quarta-feira, 18 de setembro de 2019

Empreendimento Bayview inicia obra com gestão a cargo da Engexpor

Iniciam-se nesta semana os trabalhos de construção do empreendimento Bayview, em Cascais, com gestão de obra a cargo da Engexpor, que tem acompanhado este projeto desde a fase de pré-construção, nomeadamente no processo de consultas e contratações para seleção de empreiteiros.

O Bayview representa um investimento total de cerca de 120 milhões de euros, a cargo da promotora Grand Bay Residences - SICAFI S.A e tem uma área de implantação de cerca de 34.000 m², que irá revitalizar a entrada nascente de Cascais, transformando toda a zona e a envolvente onde está instalado atualmente o hipermercado Jumbo, junto à Avenida Marginal.

A componente residencial do empreendimento é composta por seis edifícios com uma área total de construção acima do solo de aproximadamente 21.700 m² que irá disponibilizar cerca de 150 apartamentos. O projeto - da autoria da Fragmentos de Arquitectura e Next Architects - integra ainda uma galeria comercial com 10.351 m², que contará com um novo hipermercado Jumbo, a construir no atual silo automóvel, com uma área de restauração no topo voltada para o mar.
A criação de um jardim público junto à Marginal, com cerca de 7.000 m² é uma das mais-valias do Bayview e irá beneficiar a população de Cascais, que poderá também usufruir de novas infraestruturas viárias e urbanas adjacentes ao empreendimento.
De acordo com Miguel Alegria, CEO da Engexpor, “a nossa experiência em diferentes setores do mercado deixa-nos extremamente confiantes para acompanhar um projeto com diferentes valências e que será estruturante para a entrada mais nobre de Cascais. A execução da obra com o hipermercado em funcionamento e os trabalhos de infraestruturas em torno do empreendimento obriga-nos a um planeamento rigoroso e à utilização de sistemas de construção avançados de forma a minimizar o impacto para as pessoas que diariamente usam e circulam na zona.”

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 16 de setembro de 2019

Hospital Particular da Madeira escolhe soluções da Vicaima

O Hospital Particular da Madeira (HPM), situado no concelho do Funchal, é o mais recente projeto que a Vicaima integra no setor hospitalar, assente na sustentabilidade, na tecnologia de vanguarda e com uma arquitetura que reflete um estilo moderno, de linhas sóbrias e soluções contemporâneas na sua materialidade.

Este edifício, recentemente inaugurado e que passa a ocupar o lugar de unidade privada de saúde mais moderna e mais bem equipada do arquipélago, está focado no bem-estar, conforto e, sobretudo, na segurança dos utentes. A Vicaima deu o seu contributo e know-how para este projeto com soluções específicas da sua Linha Hospitalar: soluções Portaro® para as portas dos quartos, zonas comuns e corredores. Adicionalmente, também integrou roupeiros nos quartos, proporcionando harmonia, por meio de um ambiente sóbrio e moderno.

Enquadrado neste objetivo, de garantir segurança e conforto, foi selecionado o Portaro® corta-fogo 30 minutos (EI30) e 60 minutos (EI60), de uma e duas folhas, tendo em conta os diferentes locais de aplicação e de acordo com a legislação em vigor. Todas as soluções Portaro® incluem porta, aro e acessórios com dimensões de passagem livre que asseguram a livre circulação e mobilidade dos utentes entre espaços.
Para reforçar a simplicidade e luz que dão forma ao projeto, foi escolhido o revestimento Dekordor® HD branco da Vicaima, um laminado em pressão contínua, com elevada resistência física e química, ideal para locais sujeitos a uma utilização intensiva.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 11 de setembro de 2019

Schindler antecipa impactos da robótica na mobilidade urbana

Automação e robótica já não dizem respeito a uma visão futurista da mobilidade urbana. Quem o afirma é a Schindler, um dos principais fornecedores mundiais de elevadores, escadas e tapetes rolantes, serviços de manutenção e modernização, que através de iniciativas de pesquisa e desenvolvimento está a antecipar e a responder às tendências que colocam seres humanos e robots a partilhar as cidades.

Se até aqui a terceirização de algumas tarefas para robots resultou numa melhor qualidade de vida para as pessoas (nomeadamente nas tarefas mais repetitivas e fisicamente exigentes), no futuro, esferas como as do trabalho e da convivência social também serão influenciadas pela aplicação da robótica e de sistemas autónomos à vida quotidiana.

Para a Schindler, robots preparados para intervir ao nível do design, construção e manutenção de serviços farão surgir as realidades da co-mobilidade e da robótica social, onde protótipos darão suporte à instalação de elevadores, transportarão indivíduos horizontalmente ou no interior dos ascensores, como assistentes do serviço.

A exploração das relações com as novas tecnologias digitais e as implicações sociais dos robôs nas cidades inteligentes do amanhã têm feito parte das pesquisas mais recentes da Schindler e representam um ângulo inovador às questões de segurança, conforto, eficiência e fiabilidade.
Sistemas como o R.I.S.E, um robot autónomo para instalação de elevadores, já permitem à Schindler assegurar maior precisão e qualidade nas instalações, através da troca automática de dados com modelos digitais de edifícios. Neste caso, o robot substitui a pessoa no poço do elevador para medir e perfurar com precisão, bem como definir parafusos de ancoragem e instalar trilhos de guia para elevadores.

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 6 de setembro de 2019

Oli equipa hotel que homenageia Churchill

O novo Pestana Churchill Bay, em Câmara de Lobos, que presta homenagem ao político britânico Winston Churchill (1874-1965), que pintou a vila piscatória em 1950, durante uma passagem pela Madeira, escolheu as soluções da Oli para equipar os espaços de banho.

A Oli, líder ibérica na produção de autoclismos, equipou os espaços de banho da unidade hoteleira, que é a primeira pousada do Grupo Pestana em território madeirense, com autoclismos interiores “Oli 80”, que se destacam pela sustentabilidade hídrica, e a placa de comando “River”.

Esta é mais uma obra de referência que a Oli conquista e adiciona ao seu portfolio de projetos de hotelaria e de saúde, através da inovação. Nos últimos cinco anos, a empresa mobilizou 12,5 milhões de euros para área de Investigação e Desenvolvimento. Atualmente, tem 45 patentes ativas na Europa e, nos últimos três anos, surgiu no ‘top 3’ das empresas em Portugal que mais patentearam na Europa.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 2 de setembro de 2019

Município de Beja analisa propostas para empreitada do Parque Fluvial dos Cinco Reis

A Câmara Municipal de Beja abriu ontem as propostas de empreitada para a intervenção junto à albufeira dos Cinco Reis. O concurso público criado pelo Município para o efeito previa um valor base de 700 mil euros. Foram apresentadas três propostas, das quais duas estão acima do valor-base do concurso e outra dentro do valor a concurso.

Uma vez analisada a proposta vencedora, caso esteja tudo conforme, e cumprido o direito de audição de interessados, proceder-se-á à assinatura do contrato, envio para verificação pelo Tribunal de Contas e posteriormente início da intervenção junto ao Espelho de Água.
Recorde-se que a Câmara Municipal de Beja apresentou uma candidatura ao Programa Valorizar do Turismo de Portugal para a criação do Parque Fluvial dos Cinco Reis localizado a cerca de 4kms da cidade de Beja. Um projeto que visa a criação de uma praia fluvial com plataformas para atividades náuticas, assim como um parque de merendas, percursos pedonais, abrigos para observação de aves, dois parques de estacionamento e a plantação de árvores, em articulação e parceria com a EDIA e entidades privadas para a criação de atividades de dinamização e promoção turística.

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 30 de agosto de 2019

Maior eficiência e qualidade de iluminação na ponte 25 de abril

A Signify, líder mundial em iluminação, e a Lusoponte, concessionária das pontes rodoviárias em Lisboa, apresentam a nova iluminação funcional da Ponte 25 de Abril. Melhorar a qualidade de luz, reduzir o consumo energético bem como o número de horas de manutenção eram os principais requisitos da Lusoponte. As 120 Luminárias ClearWay LED instaladas nos mais de 2km de tabuleiro da ponte permitem poupanças energéticas superiores a 70%, o que se traduz numa poupança superior a 15.000 euros por ano (face à solução tradicional equivalente).

>> Aproveite para ver as imagens históricas da construção da Ponte 25 de Abril.

As novas luminárias reproduzem melhor as cores com uma superior uniformidade de iluminação, e a luz branca melhora as condições de visibilidade dos veículos, incrementando a segurança rodoviária. Este projeto representa uma aposta da Lusoponte pela inovação e sustentabilidade, sendo a primeira das duas grandes pontes sobre o rio Tejo iluminadas com tecnologia LED.

Ler o resto do artigo >>

quinta-feira, 29 de agosto de 2019

dstgroup no projeto "Esposende SmartCity"

Numa estratégia vanguardista, Esposende vai aderir ao conceito das cidades inteligentes, afirmando-se como um território transformador e uma cidade voltada para o futuro. A apresentação do projeto “Esposende SmartCity” decorrerá no próximo dia 5 de setembro, pelas 19h30, no Forte de S. João Baptista, em Esposende, numa sessão que incluirá também a inauguração de uma instalação artística ambiental, da autoria de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais.

O conceito Smart City tem como pilares a Sustentabilidade, Pessoas, Território e Arte, e como grande propósito a qualidade de vida das populações. Em causa está a aplicação da tecnologia em projetos estruturantes em áreas decisivas como ambiente, mobilidade, energia, cultura e património e reabilitação urbana.

O projeto “Esposende SmartCity” é composto por cinco eixos: Esposende cidade Analítica, Esposende cidade Resiliente, Esposende cidade Preditiva, Esposende cidade de Conhecimento e Educação e, ainda, Esposende Território Criativo.

A vertente Esposende cidade Analítica prevê, por exemplo, a criação de um sistema de informação na área do ambiente, concretamente, e nesta primeira fase, a implementação de sensorização sobre a qualidade do Ar, Ruído e Índice Ultravioleta.

Sendo as alterações climáticas um fator determinante para o futuro das cidades e dos territórios, Esposende cidade Resiliente aposta na inovação para a prevenção desta ameaça ambiental. Em causa está a conservação da costa marítima, das infraestruturas da cidade e biodiversidade existente, complementando e reforçando a atuação do Município, nomeadamente através do projeto OMARE – Observatório Marinho de Esposende, do Next-Sea e da obra do Canal Intercetor de Esposende para a prevenção de cheias, recentemente iniciada.

A empresa municipal Esposende Ambiente é também relevante em todo este processo na medida em que possui um cadastro de diferentes infraestruturas, equipamentos e do estado dos serviços que lhes estão associados (nomeadamente nas áreas da gestão de resíduos, água, saneamento e pluviais e também ao nível do cadastro de iluminação pública). Neste âmbito, Esposende cidade Preditiva prevê a integração da informação constante nesse sistema de informação geográfica (SIG) num centro de controlo da cidade, permitindo uma melhor gestão das operações no terreno.

O Centro de Educação Ambiental surge associado ao eixo Esposende cidade de Conhecimento e Educação, orientado para a educação dos cidadãos, através da tecnologia digital, em matéria do ambiente, sustentabilidade e gestão dos recursos naturais.

Esposende território Criativo aposta na importância da arte e da cultura, nomeadamente por via da instalação de obras de arte em espaço público. No arranque do projeto “Esposende SmartCity”, o Forte de S. João Baptista acolhe a instalação artística ambiental de Pedro Tudela e Miguel Carvalhais, estando já previsto que outras manifestações pontuem pela cidade.

Tendo presente o cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Agenda 2030 da Organização das Nações Unidas, o Município de Esposende desencadeia o processo de transformação digital da cidade: das suas infraestruturas, sistemas, serviços e aplicações, para a melhor qualidade de vida dos seus cidadãos.
O Presidente da Câmara Municipal de Esposende, Benjamim Pereira, refere que “o contexto atual nos impele a projetar a cidade do futuro e a procurar estratégias de melhoria da qualidade de vida da população”. Sublinha que “o projeto “Esposende SmartCity” constitui um desafio ambicioso, traduzindo-se no ponto de partida para a transformação do território, para fazer de Esposende uma cidade inteligente, tendo como foco as pessoas.

O dstgroup suporta a implementação do projeto na sua componente tecnológica e de sensorização e na arte, através da solução Mosaic e da zetgallery, respetivamente.

Ler o resto do artigo >>

Generali Real Estate adquire edifício de escritórios em Lisboa

A Generali Real Estate concluiu, em nome do Fundo Generali Europe Income Holding (GEIH), a aquisição de um edifício de escritórios em Lisboa, Portugal. A propriedade, denominada Office Oriente, situa-se na Rua do Mar da China, na área central do Parque das Nações, uma moderna área de escritórios e lazer desenvolvida no início de 2000: um bairro à beira-rio de qualidade superior, caracterizado por edifícios de escritórios, residências, hotéis, instalações de retalho e lazer, muito bem ligado ao resto da cidade e ao aeroporto pela linha de metro e estação de comboio.

O edifício de escritórios é composto por 8 pisos acima do solo, com uma superfície total de 9.250 m2, e está totalmente arrendado a empresas de referência.

A Generali Real Estate foi assessorada pela FCB, Deloitte e JLL.
A Generali Real Estate persegue uma estratégia de investimento voltada para as principais cidades europeias, com foco em escritórios de primeira linha e activos de retalho bem localizados que gerem fluxos de caixa estáveis a longo prazo ou com uma perspetiva de valor acrescentado.

A Generali Europe Income Holding (GEIH) é um fundo imobiliário focado no investimento em escritórios prime de alta qualidade e em ativos imobiliários em zonas nobres das principais cidades europeias, contando com € 2,8 mil milhões de ativos sob gestão a 30 de junho de 2019 e sendo gerido pela Generali Real Estate S.p.A Società di gestione del risparmio.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 28 de agosto de 2019

Grupo Nov (ex-Lena) faz parcerias com a China Railway Tunnel

O Grupo Nov, ex-Lena, estabeleceu uma parceria com a China Railway Tunnel para as obras ferroviárias. Esta parceria visa contornar as dificuldades bancárias da empresa portuguesa, permitindo assim que a empresa concorra à construção das novas linhas do Metro do Porto. O Grupo Nov detém 60% do Agrupamento Complementar de Empresas (ACE) constituído pelas duas empresas.

De resto esta parceria estende-se a todos os mercados onde o Grupo Nov opera, segundo afirmações de João Paulo Conceição - presidente executivo do Grupo Nov - em declarações ao Expresso. Por exemplo no Brasil, o consórcio está a finalizar uma proposta para uma linha de metro ligeiro.
A China Railway Tunnel é uma empresa do conglomerado estatal China Railway Engineering Corporation, com uma faturação equivalente a 84 mil milhões de euros e um valor na bolsa de Hong Kong de 15 mil milhões de euros.

A entrada das empresas chinesas no mercado português é já uma realidade. Recorde-se que já aqui demos conta de que a maior construtora chinesa iniciou atividade em Portugal.

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

As empresas pré-qualificadas para a construção das novas linhas do Metro do Porto

A empresa do Metro do Porto revelou haver onze consórcios pré-qualificados para construir as novas linhas, sendo seis para a Linha Rosa (entre os Aliados/Praça da Liberdade e a Casa da Música), e sete para a extensão da Linha Amarela (entre Santo Ovídio a Vila d'Este, em Vila Nova de Gaia). Em ambos os casos houve quatro candidaturas que foram excluídas.

Assim, segundo o Jornal de Negócios, no concurso para a Linha Amarela foram pré-qualificados sete consórcios liderados pela Mota-Engil, Teixeira Duarte, Zagope, Lena Engenharia, ABB, Acciona e a Sacyr. No caso da Linha Rosa, repetem-se os consórcios pré-qualificados para a Linha Amarela, com a excepção da Sacyr que nesta linha ficou de fora.

Esta fase de pré-qualificação prosseguirá agora com o período de audiência prévia, no qual os candidatos podem apresentar as suas reclamações relativamente às disposições do relatório preliminar.

Após a fase de audiência prévia será publicado o relatório final e depois a Metro do Porto convidará as empresas pré-qualificadas a apresentarem a respetiva proposta de preço para a execução das duas empreitadas de expansão da rede.
Os dois concursos correspondem a um investimento global na ordem dos 300 milhões de euros, que acrescentará seis quilómetros e 10 milhões de novos clientes à rede do Metro, segundo a expectativa indicada pela empresa.

A Linha Rosa tem um valor base de 175 milhões de euros um prazo de execução de 42 meses. A extensão da Linha Amarela tem um valor base de 95 milhões de euros e um prazo de execução de 34 meses.

Ler o resto do artigo >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO