sexta-feira, 12 de julho de 2019

O melhor bairro de habitação social de Portugal: Bairro Rainha Dona Leonor

O projeto do Bairro Rainha Dona Leonor contemplou a construção de 70 novos apartamentos de várias tipologias, de T1 a T4, incluindo apartamentos duplex e 2 espaços destinados a serviços, mesmo no coração da cidade do Porto. Além das habitações, que contam todas com entradas próprias e individuais, possui ainda uma zona com espaços comuns e sociais, nomeadamente lavandaria, sala de estudo e sala de moradores, usufruindo de um pátio exterior privativo ao condomínio com 290m2. A execução desta obra esteve a cargo da Cari e o projeto é da autoria da Cerejeira Fontes Arquitectos.

Nos arranjos exteriores ajardinados está integrado um parque infantil com uma área de 130m2.


O BAIRRO RAINHA DONA LEONOR APRESENTADO COMO O MELHOR DO PAÍS

Em 2017 a Câmara do Porto garantia que o bairro de habitação social Rainha Dona Leonor iria ser o melhor de Portugal.
“Aproveitando o terreno onde estava implantado o bairro Rainha Dona Leonor, em três blocos muito degradados e cheios de placas de amianto, a Câmara do Porto lançou um concurso público, obrigando o vencedor construir primeiro a habitação social de alta qualidade e, no final, ao lado, um bloco de habitação para venda”, declarou na altura a autarquia.
O modelo permitiu construir habitação social de elevada qualidade, manter todos os inquilinos no local, alojar novos inquilinos municipais a custo zero, já que são os privados a fazer todas as obras. O risco para a autarquia é, por outro lado, nulo, já que o empreendedor, Aythya - Investimentos Imobiliários, Lda., apenas pode avançar com a habitação particular após a entrega da habitação social, garantiu a autarquia.

Crédito das imagens: Cari.

Ler o resto do artigo >>

Mota-Engil é uma das 100 maiores construtoras do mundo

A Mota-Engil é a única empresa portuguesa no ranking das 100 maiores construtoras do mundo. A empresa surge na 74.ª posição, com receitas de 3,327 mil milhões de dólares em 2018. A este valor corresponde um aumento de 14%, um crescimento acima da média. Este ranking foi elaborado pela Delloite.

O ranking da Deloitte é dominado por companhias chinesas, que ocupam as quatro primeiras posições. As que constam no pódio são as únicas construtoras que fecharam 2018 com receitas acima de 100 mil milhões de dólares. São elas a China State Construction Engineering, a China Railway Group e a China Railway Construction. Estas três companhias representam perto de 29% das receitas, mas apenas 13% do valor de mercado.
A Europa é o continente mais representado no ranking, totalizando 44 empresas. A francesa Vinci surge logo depois das companhias chinesas e é a primeira europeia do ranking, surgindo mais atrás a espanhola ACS no 7º lugar. A empresa espanhola é a líder nas receitas obtidas fora do seu país.

Ler o resto do artigo >>

quinta-feira, 11 de julho de 2019

Empreendimento residencial Living Aliados nasce na Baixa do Porto

Em plena Baixa do Porto, na Praça da Liberdade, surge o Living Aliados, composto por 15 apartamentos T1, T1+1 e T2, com áreas entre os 54 e os 128 m2. Trata-se de um projeto de reabilitação urbana, que permitirá reconverter um edifício histórico do início do século XX, que conserva a sua imponente fachada original, destinado agora ao segmento residencial premium. Em regime de co-exclusividade, a Predibisa e a JLL foram as consultoras mandatadas para comercialização das habitações.

Com autoria do arquiteto António Leitão Barbosa e promovido pela Quantico-Albatross, principais investidores e assessores do Fundo Vesta Real Estate, o imóvel agrega habitações distribuídas entre os pisos 2 a 5 e está localizado naquela que é considerada zona prime da cidade, o eixo Aliados. Caraterizado pelo edificado histórico circundante, o edifício desenvolve-se através de uma ampla fachada ao longo da Rua de Sampaio Bruno, onde está instalado o conhecido Café Embaixador (pertencente a outros proprietários) e cuja parte do edifício acolhe agora o Living Aliados.
Materiais e acabamentos de qualidade superior e funcionalidade dos espaços interiores pensada ao detalhe são fatores distintivos dos apartamentos, onde um pé-direito alto, as varandas e terraços virados a sul, possibilitam uma excelente exposição solar.

Para Joana Lima, responsável da Predibisa pelo negócio, “O Living Aliados prima pela exclusividade e singularidade. A consultora acrescenta ainda que “além do forte simbolismo do edifício acresce ainda uma localização privilegiada, numa das zonas da Baixa do Porto onde se concentra maior atividade turística e que tem permitido que a maioria dos edifícios na sua envolvente estejam a ser remodelados para habitação, hotelaria e comércio. Este projeto de reabilitação urbana destina-se a quem procura viver com qualidade ou rentabilizar o seu investimento num edifício situado no coração do Porto”.

Patrícia Barão, Head of Residential da JLL Portugal, comenta: “O Living Aliados é uma oportunidade única para quem quer viver no centro do Porto, onde tudo acontece, sem abdicar do conforto e privacidade. Reúne condições excecionais enquanto investimento, não só pela sua localização, numa das artérias mais valorizadas da cidade e com acesso a uma vasta oferta de comércio, restauração e lazer, como pela qualidade e exclusividade do projeto”.
De acrescentar ainda que a Quantico-Albatross, uma joint venture focada no desenvolvimento de projetos imobiliários, tem vindo apostar no mercado do Porto. Entre os projetos de reabilitação, o destaque vai também para a reconversão do Palacete Montevideu, localizado na Foz, um emblemático imóvel na primeira linha de mar, cujo projeto prevê a edificação de 15 apartamentos premium, dois no palacete e os outros em dois novos blocos.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 10 de julho de 2019

Novo conceito das prisões em Portugal leva a obras de 120 milhões de euros

As novas cadeias de Ponta Delgada e Montijo, que implicam um investimento de 120 milhões de euros, assentam no conceito de que as prisões não servem para castigar: celas maiores e sem grades, que parecem quartos, áreas amplas, jardins e arvoredos. A prisão do Montijo será a primeira a edificar, implicando um investimento de 70 milhões, e deverá ficar concluída dentro de três anos, sendo que vai albergar mais de 700 reclusos. Já o Estabelecimento Prisional de Ponta Delgada sofreu um atraso, em virtude de um embargo, provocado por uma queixa de um concorrente ao concurso de limpeza de terrenos. Irá receber quase 500 reclusos, num investimento de 50 milhões de euros.

As duas novas prisões seguem o mesmo modelo mas a do Montijo é maior. Têm três pisos, em que o rés do chão é ocupado pelo pátio e os outros dois por celas. A cadeia está dividida em núcleos de cinquenta celas que têm acesso a um pátio próprio. Os núcleos estão separados uns dos outros por vigas de betão que deixam passar a luz natural mas por onde não pode passar uma cabeça. Não há grades. Cada núcleo terá um espaço comum e um pequeno bar gerido pelos reclusos.

O NOVO CONCEITO DAS PRISÕES EM PORTUGAL
Neste novo conceito as celas perdem os gradeamentos e passarão a ser quase todas individuais e adquirem uma aparência de quarto, com áreas mais amplas – passam dos seis metros quadrados médios para 10. “Preferimos chamar-lhes quartos”, diz mesmo o arquiteto Jorge Mealha, professor da Faculdade de Arquitetura de Lisboa, em declarações ao Expresso. Há celas maiores, com doze metros quadrados que terão espaço para dois reclusos. Mas serão uma exceção. As únicas grades são as das janelas.

Ao contrário do que acontece na maior parte das celas individuais atuais, estas não terão duche, tendo cada ala um duche coletivo. “Não são locais de conflito, isso é uma dramatização criada pelos filmes americanos”, diz o arquiteto. Acrescenta ainda que “segundo os serviços prisionais, o último problema que houve nos balneários foi há quarenta anos”.
Em redor, jardins e arvoredos, numa ‘paisagem’ que contrasta com o ambiente das prisões. Existe uma uma alameda central com relva e árvores que separa os diversos “núcleos habitacionais”. O objetivo é transmitir paz aos reclusos, sem que se entre no campo do luxo.

Rómulo Mateus, diretor-geral dos Serviços Prisionais, refere que é um “novo paradigma”, que assenta na ideia de que “a prisão não é um local para castigar”, mas antes para reintegrar pessoas na sociedade, que as aguarda, quando a liberdade chegar. "Vão ser edifícios inteligentes, com reciclagem de água e painéis solares, mas não haverá luxos desnecessários. Uma prisão não é um hotel”, diz o diretor-geral.

O projeto arquitetónico inicial previa que algumas das paredes das celas e das áreas comuns fossem construídas em betão salmão-laranja “porque está demonstrado que é uma cor que produz efeitos calmantes”, afirmou Jorge Mealha. “Os arquitetos tomaram algumas liberdades artísticas e não é isso que foi pedido pela direção-geral. Nem tudo o que está no projeto será concretizado. Essas cores são bonitas e atraentes mas têm custos”, crítica Rómulo Mateus. Percebe-se assim que o conceito ainda é alvo de divergências entre o responsável dos Serviços Prisionais e o projetista.

O conceito é original de países nórdicos, que o adotaram para promover a inclusão social mesmo durante a reclusão.

Ler o resto do artigo >>

Guia essencial para obter a licença de Alojamento Local no Porto

A GuestReady preparou um Guia Essencial para obter a licença de Alojamento Local no Porto cuja missão é ajudar os proprietários a navegar o processo de obtenção da licença que lhes permite explorar a sua propriedade no mercado. O guia foi produzido directamente no site da GuestReady para garantir que os visitante tenham sempre as mais recentes informações.

Todos as etapas necessárias estão explicadas ao detalhe: desde abrir atividade nas finanças, a como obter todas as informações e documentos necessários para fazer o registo do Alojamento Local com sucesso, a cumprir com todas as exigências de segurança e onde comprar os elementos pedidos, e por fim um breve resumo das obrigações regulares do proprietário de AL.
Para além do guia na sua versão original do português, o guia foi também adaptado para Inglês direcionado para o público estrangeiro que quer investir no mercado.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 9 de julho de 2019

Nicarágua é a nova aposta da Gabriel Couto na América Central

No final do ano de 2018 a construtora portuguesa Gabriel Couto disputou um concurso internacional promovida pela “ENACAL - Empresa Nicaraguense de Acueductosy Alcantarillados Sanitarios”. Na fase final do concurso foram admitidas apenas quatro empresas de construção, tendo sido a empresa portuguesa selecionada por este organismo publico da Nicarágua para a execução da empreitada de ampliação dos sistemas de água potável e rede de águas sanitárias para as cidades de “Santo Tomas” e “Acoyapa”.

A ENACAL tem para os próximos anos um plano de investimentos tal que a torna um cliente alvo para a Gabriel Couto, que mantêm uma forte aposta na América Central.

Com esta nova adjudicação internacional, a Gabriel Couto, segue o seu caminho de conquista de negócios na América Central. Depois de ter iniciado em 2017 a sua atividade nas Honduras, que representou o primeiro passo para a entrada no mercado da América Central, avança agora determinada para um novo País, a Nicarágua.

Para o triunfo na adjudicação deste projeto internacional, o qual é financiado com recurso a fundos da União Europeia destinados ao desenvolvimento da América Central, sob administração da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), foi determinante o curriculum e experiência da empresa Gabriel Couto neste tipo obras, adquirido quer em território nacional, quer mesmo em outros continentes. A solidez financeira no triénio 2015-2017 com uma faturação anual próxima dos 100 milhões de dólares contribuiu para esta honrosa adjudicação, mas as habilitações comprovadas do seu corpo técnico foram absolutamente determinantes e diferenciadoras para assegurar o primeiro lugar neste concurso internacional.
A empreitada que arranca ainda este mês, têm um prazo de execução global de 12 meses, e contempla a construção da ampliação da rede de condutas de abastecimento de água e saneamento das cidades nicaraguenses de “Santo Tomas” e “Acoyapa”, incluindo ainda a construção do edifício/reservatório e respetivo sistema elevatório para abastecimento de água potável a “Santo Tomas”, com instalação de três grupos de eletrobombas, bem como a reabilitação das ETAR’s nestas duas cidades. Em termos globais, o sistema de ampliação das redes de água potável e águas residuais destas cidades, será ampliado através da construção de 483 ligações domiciliárias para água potável e 1.482 ligações domiciliares para águas residuais em “Santo Tomas”, e de 243 novas ligações para água potável e 542 para águas residuais em “Acoyapa”.
De salientar que todos os sistemas para o abastecimento de água potável e sistema de águas residuais funcionam exclusivamente por gravidade, e que ambas as redes serão construídas em tubagens de PVC com diâmetros variando entre 50mm e 250mm, assentes em valas com profundidades entre 1,5m e 5,5m. Estão também previstos intervenções para melhorar as condições de captação de água potável na presa do Rio Quipor em “Santo Tomas”, com trabalhos de reabilitação da mesma, onde se terá de proceder ao desvio temporário deste rio com recurso à construção de um dique/ensecadeira e respetiva instalação de um canal/tubagem de betão, seguindo-se posteriormente o bombeamento da água e limpeza da presa. Serão também instaladas 3 novas bombas de 100 HP na estação de bombagem de Quipor, a partir da qual será bombeada a água para a estação de tratamento já existente. Todos os edifícios de apoio às redes existentes sofrerão trabalhos de reabilitação de construção civil e serão montadas novas instalações elétricas e quadros de comando nos mesmos. A partir da estação de tratamento de água em “Santo Tomás”, o abastecimento de água será efetuado e distribuído à população exclusivamente por meios gravíticos.
De salientar que até há relativamente pouco tempo, estas duas cidades nicaraguenses dispunham de serviços de abastecimento de água potável e saneamento básico muito precários, tendo sido precisamente graças aos fundos da União Europeia, através e sob administração da AECID, que foi construído o novo sistema de abastecimento de água potável e águas residuais. Com esta ampliação das redes em epígrafe, obra a cargo da Gabriel Couto, ambas as cidades ficarão com uma cobertura superior a 70%.

Para Carlos Couto, Presidente da construtora Gabriel Couto, este novo projeto na Nicarágua tem uma importância especial, não pelo valor pecuniário da obra em si, mas sim por se tratar da entrada num novo país da América Central. Depois das Honduras, com uma empreitada a decorrer num valor total que ultrapassa os 80 milhões de euros, a Gabriel Couto, mantém o foco no mercado da América Central, que encontra na União Europeia um parceiro estratégico para fundos/financiamentos comunitários que garantam o desenvolvimento de países nesta região. Nesta perspetiva, a Gabriel Couto mantem-se atenta à implementação destes investimentos, não só nesta região em particular, mas também de toda a América Latina, pois «São mercados de concorrência saudável e menos agressivos do que outras geografias», observa Carlos Couto.

Ler o resto do artigo >>

Schindler equipa o Melhor Empreendimento Turístico de Portugal

A Schindler foi a marca escolhida pelo Pine Cliffs Gardens, recentemente votado como o Melhor Empreendimento Turístico do país, para assegurar as soluções de transporte vertical do projeto. Para além de quatro elevadores Schindler 3300, a especialista em mobilidade assegura também o serviço de manutenção, num regime de suporte que atende às exigências de integração, sustentabilidade, eficiência e conforto do empreendimento da United Investments Portugal (UIP).

Projetados para funcionar em caixas standard, mas com uma cabina mais espaçosa, os equipamentos instalados pela Schindler no Pine Cliffs Gardens permitem mais liberdade para o utilizador, sem comprometer a engenharia de precisão ou o baixo consumo energético.

Com 87 apartamentos de luxo localizados à entrada do Pine Cliffs Resort, em Albufeira, o Pine Cliffs Gardens alia a elegância da estética contemporânea ao ambiente informal algarvio, num projeto desenvolvido e decorado pela própria UIP, distinguido com o Prémio do Imobiliário Expresso/SIC Notícias na categoria de ‘Melhor Empreendimento Turístico’.
“É para nós, na Schindler, uma satisfação ter conhecimento de que a colaboração e suporte prestados ao Grupo UIP ajudam a produzir distinções tão prestigiantes”, declara León Escolar, Diretor de Operações da Schindler em Portugal. Ainda de acordo com este responsável, “parabéns ao Pine Cliffs Gardens pelo prémio e às nossas equipas, que certificam que a contribuição da Schindler continua a merecer a confiança dos melhores, particularmente no Turismo, um dos setores mais estratégicos para Portugal.”

Ler o resto do artigo >>

Reabilitação do edifício Monumental conta com gestão de projeto e obra da Engexpor

A Engexpor foi selecionada pela Merlin Properties para a gestão de projeto e obra na reabilitação do edifício Monumental, na Praça Duque de Saldanha, em Lisboa. O edifício será totalmente remodelado, com uma intervenção abrangente e estruturante que incidirá no interior da zona comercial, escritórios e estacionamento, além da renovação integral da fachada, que terá uma imagem moderna e transparente e será mais eficiente e sustentável em termos ambientais. O projeto prevê fachadas ativas ventiladas em vidro e com gestão centralizada para controlo da luz e das condições térmicas.

Miguel Alegria, CEO da Engexpor, refere: “O Monumental é uma referência histórica da cidade de Lisboa localizado numa zona emblemática e recentemente requalificada. É para nós um grande orgulho e um enorme desafio estarmos envolvidos num projeto que irá transformar o Monumental num edifício de última geração com objetivos muito ambiciosos em termos de sustentabilidade ambiental e que irá contribuir ainda mais para a requalificação e embelezamento desta zona nobre de Lisboa”.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 8 de julho de 2019

Grupo Etex está de volta ao Archi Summit

O Grupo Etex, que comercializa a marca de materiais de revestimento Equitone, está de volta ao maior evento dedicado à arquitetura em Portugal, o Archi Summitt 2019, que se realiza a 10, 11 e 12 de julho nas Carpintarias de São Lázaro, em Lisboa. Este ano a presença do grupo ganha uma nova dimensão com a sua associação ao evento como patrocinador e a escolha do material de revestimento de fachadas de fibrocimento Equiotne para a zona de boas-vindas do certame, ganhando assim uma maior visibilidade junto dos visitantes e participantes.

Presente em 42 países, o Grupo Etex é o principal fabricante na Europa de materiais de fibrocimento para telhados e revestimento de fachadas e, atento à vitalidade do mercado português, está a reforçar a sua aposta no nosso país, onde atua através de marcas de excelência como a Equitone, a Cedral e Euronit. Indo de encontro a esta estratégia, o grupo estará fortemente representado no Archi Summit, onde a sua equipa dará a conhecer as vantagens e os benefícios dos produtos Equitone junto dos especialistas que o visitam, bem como o portfólio de obras de referência onde já estão presentes.
Gilberto Barbosa, representante de vendas de Equitone e Cedral, comenta: "O Archi Summit é o palco ideal para levarmos mais longe a divulgação do nosso portfólio, estando em contacto direto com um vasto público de profissionais da área da arquitetura vindos de todo o país. Além disso, esta é uma mostra do que de melhor e mais inovador se faz neste setor, o que, obviamente, passa também pelos materiais utilizados e, como tal, é uma montra de grande visibilidade para os nossos materiais de revestimento de fachadas. E, neste sentido não poderíamos estar mais satisfeitos pela parceria que estabelecemos com a organização este ano, no âmbito da qual fornecemos o material Equitone para revestir toda a zona de boas-vindas, fazendo da nossa marca um cartão de visita para todos os visitantes que chegam ao Archi Summit".

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 5 de julho de 2019

Farfetch instala-se no Boavista Office Center, um edifício reabilitado pela NVE

A Farfetch acaba de inaugurar os seus escritórios no renovado Boavista Office Center (BOC), localizado no Foco. Grande parte da operação da plataforma líder global para a indústria da moda de luxo fica instalada na cidade do Porto, com uma equipa superior a 500 pessoas. A reabilitação do Edifício BOC foi realizada pela NVE.

A Farfetch escolheu o BOC para instalar os serviços das áreas financeira, fiscal, jurídica, operacional, de apoio ao cliente e de recursos humanos.

É ao longo de vários pisos do edifício desenhado pelo arquiteto Agostinho Ricca, em coautoria com João Serôdio e Magalhães Carneiro, que se distribuem os diferentes setores operacionais, numa área superior a 8.000 metros quadrados. No interior, a Farfetch quis também deixar vincado o seu ADN português com intervenções artísticas do renomado Vhils.

Ler o resto do artigo >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO