sexta-feira, 29 de maio de 2020

Faturação da Garcia Garcia cresce 16% em 2019

A Garcia Garcia, construtora nacional especializada no Design and Build de edifícios industriais, logísticos, residenciais e comerciais, fechou 2019 a faturar acima dos 84 milhões de euros, registando assim um crescimento de 16,1% face ao ano anterior. Pelo quarto ano consecutivo nomeada como “Melhor Construtora” para os Prémios Construir, categoria que já venceu em 2016, a empresa que, no ano passado, assumiu obras para empresas como Lidl, Kirchhoff Automotive, VNC, Milestone, entre outras, assinala ganhos sucessivos desde 2010.

A empresa regista um crescimento acumulado de 58,8% nos últimos dois anos. Com uma estratégia sustentada e estruturada, a construtora tem investido na capacitação dos quadros da empresa, na agilidade organizacional e no desenvolvimento de uma estrutura flexível e polivalente. Cerca de metade dos seus clientes são empresas multinacionais, representando 70% do volume de negócios de 2019, que conta atualmente com 175 trabalhadores no Grupo. Dedicada ao Design and Build de edifícios industriais, logísticos, residenciais e comerciais, ainda assim, é no setor industrial e logístico que a Garcia Garcia tem a sua maior alavanca, com esta área de negócio a representar 70% do volume de negócios de 2019. A construtora tem contribuído desta forma para a operacionalização de um investimento global de várias dezenas de milhões de euros e para a criação de novos postos de trabalho.

Do portefólio deste ano da Garcia Garcia fazem parte projetos diversificados como o novo entreposto logístico da cadeia de retalho Lidl, em Santo Tirso; a construção da nova sede e edifício de escritórios do Grupo Vigent na Trofa - nomeado pelos Prémios Construir 2019 na categoria para Melhor Edifício de Escritórios -; a ampliação da multinacional alemã do ramo automóvel, Kirchhoff Automotive, em Ovar; a edificação das novas residências universitárias da Milestone no Porto e em Cascais; entre outros.

“Sempre tivemos um denominador comum, que foi o nosso core business. É por isso natural que projetos industriais e logísticos assumam um maior peso no nosso volume de negócios. Não obstante, temos vindo a reforçar em outras áreas, como a construção residencial e o hospitality, nas quais temos vindo a desenvolver projetos cada vez mais relevantes”, realça Miguel Garcia, administrador da empresa.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 25 de maio de 2020

O BIM e a Gestão de Projetos

Atualmente os gestores de projeto tendem a assumir um papel limitado na implementação e utilização do BIM (Building Information Modelling) como parte do processo de desenvolvimento dos projetos de construção e infraestruturas.
Para maximizar o potencial desta metodologia, requer-se uma maior proatividade e entendimento sobre as implicações e possibilidades que o BIM pode proporcionar ao ambiente construído.

“Os gestores de projeto podem - e devem - assumir um papel relevante na liderança e governance da gestão da informação”, diz Bruno de Carvalho Matos, Board Member do RICS Portugal.

O gestor de projetos pode influenciar na forma como os processos são adaptados e nos requisitos necessários para facilitar a implementação BIM. Deverá assim participar na tomada de decisão desde cedo, capitalizar sobre a sua experiência em comunicação, coordenação e colaboração, e estar ciente das vantagens e desafios desta abordagem, que no final do dia tem apenas o seguinte objetivo: melhorar a forma como os projetos são desenvolvidos e como os ativos são geridos, facilitando, para todas as partes interessadas, o acesso à informação correta, da entidade correta, na forma correta e no tempo correto.

A gestão BIM deve ser assegurada por uma entidade independente e respeitar os requisitos da ISO19650, a norma internacional para gerir a informação ao longo do ciclo de vida de um ativo construído utilizando BIM. Nesta norma encontramos a descrição do processo de gestão a seguir para cada fase de contratação deste tipo de serviços, ao longo do desenvolvimento dos projetos.

A utilização do BIM evolui ao longo do ciclo de vida do ativo, variando desde a conceção, mais orientada para a produção de informação, até à construção e exploração, onde existe um maior foco na extração e utilização da informação. A importância da coordenação de projetos é frequentemente reconhecida apenas quando algo de errado acontece, existindo a tendência de transferir erros de conceção, medição e outros para a fase de construção. Os gestores de projeto têm a oportunidade de mitigar estas ineficiências por recurso à metodologia BIM, desde que previamente definidos os requisitos contratuais apropriados para promover a colaboração entre as equipas de conceção e construção.

Os gestores de projeto podem assumir uma posição líder na gestão da mudança requerida para a implementação desta abordagem inovadora, alinhando a sua estratégia em 3 níveis chave: organização-ativo-projeto. A mudança organizacional deverá iniciar com o apoio da gestão de topo, passando por iniciativas intra- e inter-organizacionais, até atingir um estágio de melhoria contínua.

Não obstante, o BIM não é ainda a panaceia que a indústria tem vindo a procurar. A falta de normalização específica; a escassez de recursos humanos reunindo conhecimento e experiência combinada em BIM e na indústria da construção; a dificuldade em definir objetivos SMART (“specific, measurable, actionable, relevant and timely”); e a complexidade em realizar análises custo-benefício, recorrendo ao conceito de custo de oportunidade, baseadas em potenciais erros, omissões, incompatibilidades e outras ineficiências, são alguns dos desafios mais significativos, além da natural resistência humana.

Saiba mais sobre este tema no seguinte artigo desenvolvido por este autor: BIM: a project management view.

--
Bruno de Carvalho Matos MRICS é Engenheiro Civil Sénior MSc PMP e possui um MBA pela Católica | Nova

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 22 de maio de 2020

Sá Machado executa recuperação de um palacete e construção de edifício de habitação no Porto

Os quase 90 anos de história da empresa de construção Sá Machado terão sido uma das principais razões da adjudicação das obras referentes à 2ª fase da empreitada: “Recuperação de palacete e construção de edifício de habitação multifamiliar”, na Avenida Brasil - Porto, a esta empresa. Tratam-se dos trabalhos de acabamento necessários à finalização desta empreitada, assim como a recuperação e restauro dos elementos arquitetónicos classificados do Palacete.

A Sá Machado tem no seu historial um imenso portefólio relacionado com a restauração de património protegido, quer público quer privado. Sérgio Machado, Administrador da empresa, considera que esta adjudicação “para além de mais uma oportunidade de demonstrar as valências e competências da Sá Machado nesta área, é também mais um trabalho, muito importante, para deixar a nossa marca no âmbito das obras de restauro complexas e de grande responsabilidade.”

O projeto é promovido pela empresa Alfa Atlântica e compreende uma área de construção de 1.640,00 m², correspondendo a 9 apartamentos de alta qualidade e apurado design, estando previsto que as obras estejam concluídas no espaço de um ano.

Esta é uma obra que reforça ainda mais o mercado imobiliário de habitação de luxo no Porto, mercado onde a Sá Machado atua há várias décadas, e para o qual conta com os melhores recursos para a sua execução.

Este grupo de construção de Braga, cuja atividade internacional representa atualmente mais de 50% do seu volume de negócios, pretende demonstrar também “o seu empenho no trabalho nacional onde, mesmo numa altura de grandes restrições, quer dar continuidade ao crescimento da sua atividade e da qualidade da sua carteira de obras”, conclui Sérgio Machado.

OPORTUNIDADES DE EMPREGO EM TODOS OS DEPARTAMENTOS
Devido ao crescimento que tem vindo a registar, a Sá Machado tem neste momento vagas para recrutamento abertas em todos os seus departamentos, tanto a nível nacional como internacional.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 19 de maio de 2020

dstgroup melhora infraestruturas para a Iberdrola

As empresas dst, sa, e dte - instalações especiais, ambas subsidiárias do dstgroup, estão a proceder a trabalhos de melhoramento e reposição de infraestruturas hidráulicas, integradas no Sistema Eletroprodutor do Tâmega, em construção pela Iberdrola Generacion S.A.. A intervenção, avaliada em cerca de 2.7 milhões de euros, diz respeito a infraestruturas localizadas nos municípios de Ribeira de Pena, Vila Pouca de Aguiar e Vidago, contemplando intervenções nas ETAR de Balteiro, de Friúme, de Santo Aleixo e de Vidago, na Central Mini-Hídrica de Bragadas, no passadiço para a estação de bombagem no rio Tâmega, em Vidago, e no sistema de captação de água no rio Torno.

Com conclusão prevista para o último trimestre de 2020, o projeto é assinado pelo Centro Tecnológico de Gestão Ambiental (CTGA) e inclui demolição, desativação, adaptação e execução de novas infraestruturas, com o objetivo de garantir a manutenção ou melhoria dos serviços e das funções que estas infraestruturas prestam às populações. A coordenação e execução da obra está sob responsabilidade da dst, sa, cabendo à dte a execução das infraestruturas elétricas e o fornecimento e instalação do equipamento hidro e eletromecânico.

Esta obra junta-se a outras já executadas pelo dstgroup para a Iberdrola Generación S.A., o que, no entender de José Teixeira, presidente do conselho de administração do grupo, “atesta a confiança que este importante parceiro de negócio deposita no nosso trabalho, profissionalismo, rigor e know how técnico. Esta intervenção junta-se a outras que já desenvolvemos no âmbito do Sistema Eletroprodutor do Tâmega, um dos maiores projetos hidroelétricos realizados na Europa nos últimos 25 anos”. A “melhoria assinalável na qualidade de vida das pessoas e o contributo desta obra em termos ambientais, quer na preservação quer na otimização dos recursos” é também fator de destaque por parte daquele responsável.

Recorde-se que o Sistema Eletroprodutor do Tâmega é um investimento de cerca de 1.500 milhões de euros que prevê a criação de 13.500 empregos diretos e indiretos durante o período de maior volume dos trabalhos (2018-2020). O Sistema é formado por três centrais hidroelétricas e três barragens, duas situadas no rio Tâmega (Daivões e Alto Tâmega) e a terceira no rio Torno (Gouvães). O complexo contará com uma potência instalada de 1.200 megawatts (MW), alcançando uma produção anual de 1.800 gigawatts hora (GWh), ou seja, 4% do consumo elétrico do país.

Ler o resto do artigo >>

Portugal é o país com maior percentagem de cobertura de fibra ótica em zonas rurais

De acordo com o estudo anual realizado pela consultora IDATE para o FTTH Council Europe, a associação que representa o ecossistema Europeu de redes de fibra ótica, Portugal é o país com maior percentagem de cobertura de fibra ótica em zonas rurais. O relatório, publicado no final de abril, aponta que Portugal lidera o ranking Europeu com 53% das casas cobertas, seguindo-se Espanha com 42% e Suécia com 38%.

De acordo com a mesma fonte, Portugal evoluiu muito rapidamente na implantação de redes FTTH em áreas rurais, atingindo uma cobertura que triplica os valores médios na Europa.

O relatório revela ainda que, embora subsista uma forte presença de redes de cabo coaxial no território nacional, o FTTH é a principal tecnologia, o que tem permitido atingir uma largura de banda média superior a outros países.

dstelecom leva fibra ótica a um terço dos municípios de Portugal continental
A dstelecom tem sido um dos principais promotores destes resultados, disponibilizando hoje a fibra ótica a 400 mil casas de 95 municípios em zonas rurais, através de uma rede neutra e aberta a todos os operadores de telecomunicações.

A origem desta rede está no concurso ganho em 2010 para a construção, gestão, exploração e manutenção das Redes de Nova Geração (RNG) nas zonas rurais do Norte e Sul do país, que foi posteriormente expandida a outros vinte concelhos. Esta rede incorpora hoje as tecnologias mais modernas para servir todos os operadores de telecomunicações do país num formato grossista, neutro e transparente.

Ricardo Salgado, CEO da dstelecom, destaca que “após termos consolidado em 2019 o nosso posicionamento no setor das telecomunicações em Portugal, não pouparemos esforços para conseguir cobrir mais 150 mil casas este ano e mais 250 mil em 2021, duplicando, assim, a cobertura atual.

Ler o resto do artigo >>

LG Portugal inicia operação no mercado da energia solar

Após 17 anos de atividade em Portugal, a LG Electronics acaba de dar mais um importante passo no mercado nacional: a partir de agora, conta com uma equipa especializada nas soluções de energia solar da empresa sul coreana no país, responsável pela distribuição e instalação destes mundialmente reconhecidos e premiados sistemas energéticos.

Contando com uma vasta rede de parceiros em todo o território, a nova operação da LG em Portugal prestará suporte técnico e comercial em todas as fases da obra, desde a planificação e design até à instalação e manutenção dos equipamentos e sistemas energéticos, de projetos residenciais, empresariais ou industriais, em qualquer localização do país.

Além disso, o verdadeiro aspeto diferenciador desta nova área da empresa sul coreana em Portugal passa pela possibilidade de integração com os restantes setores de negócio da LG, como Home Entertainment, Home & Appliances e Air Conditioning, alavancando o seu know-how e produtos de excelência para construir um ciclo integrado e completo de soluções energéticas que vão muito além dos painéis solares no telhado.

“A partir de hoje, os nossos clientes passam a ter acesso a uma equipa especializada e totalmente dedicada a um produto sem igual no mercado nacional. A LG é a única empresa do mundo a oferecer um verdadeiro ecossistema energético, com soluções de produção, armazenamento e consumo de energia, tudo integrado num único sistema de equipamentos e soluções que se interligam e comunicam entre si”, afirma Luís Lameiras, Diretor de Negócio da LG Portugal.

Do telhado para todo o edifício

“A LG está atenta às necessidades dos consumidores. Por essa razão, a criação de soluções energéticas sustentáveis e integradas para edifícios cada vez mais ecofriendly tem sido uma das nossas grandes apostas. Temos vindo a investir cada vez mais tempo e recursos na conceção deste tipo de equipamentos que permitem a particulares e empresas reduzir a sua pegada ambiental e, ao mesmo tempo, poupar na conta da eletricidade”, continua Luís Lameiras.

Foi assim que nasceu o inovador Smart Home Energy Package da LG, o primeiro pacote de energia integrado do mundo, que inclui todos os equipamentos necessários para produzir energia renovável e sustentável em casa, no escritório ou em qualquer outro edifício. Contando com módulos fotovoltaicos premiados, um sistema de armazenamento de energia e bomba de calor ar-água, permite não só gerar energia solar como também armazená-la de forma inteligente para usar quando for necessário.

A gama de painéis solares NeOn é a espinha dorsal deste ciclo, oferecendo um alto desempenho seja qual for a sua aplicação com altos níveis de eficiência e uma melhor performance no espaço disponível no telhado. Com uma garantia (líder na indústria) de 25 anos, estes módulos providenciam uma excelente durabilidade e são submetidos a testes intensivos, minimizando o risco de defeitos. Por outro lado, apresentam um design único e apelativo, contribuindo para a melhoria da aparência e aumento do valor do edifício.

Com a aplicação desta solução solar, é possível produzir energia durante todo o dia capaz de abastecer qualquer edifício. Tal é possível graças ao Sistema de Armazenamento de Energia, uma solução que funciona como uma bateria recarregável que armazena toda a energia que ainda não se encontra em utilização e cujo carregamento permite uma distribuição eficiente pelos vários equipamentos que compõem o circuito quando necessário.

Paralelamente, os painéis NeOn direcionam também o excesso de energia por si gerado para a bomba de calor ar-água THERMA V R32, reconhecido como um dos mais eficientes e sustentáveis equipamentos de aquecimento do mercado. Este recente modelo utiliza o fluido frigorigéneo R32, a alternativa ambientalmente sustentável ao fluido frigorigéneo R410A e que cumpre os critérios europeus, e um compressor avançado para ajudar a alcançar o aquecimento mais elevado de sempre num produto da gama Therma V.

Assim, do telhado para todas as zonas do edifício, a LG apresenta um conjunto de soluções integradas único no mercado, respondendo às necessidades dos consumidores: criar um ambiente de comunicação constante e intuitiva com todos os equipamentos do edifício, permitindo adaptar a sua utilização às necessidades do consumidor, tudo à distância de um clique através da app ThinQ, desde os grandes eletrodomésticos às soluções de home entertainment e IT.

“Graças a um percurso com mais de 60 anos de investimento e investigação em inovações que façam efetivamente a diferença na vida das pessoas e no mundo, podemos agora oferecer em Portugal estes produtos únicos no mundo. Tal só é possível através de uma equipa e de uma operação totalmente focada nestas soluções energéticas integradas que vêm responder às maiores preocupações dos consumidores de hoje em dia – reduzir as emissões de CO2 e, ao mesmo tempo, reduzir drasticamente as despesas com eletricidade e outros recursos naturais”, conclui Luís Lameiras.

Paralelamente, esta nova área da LG em Portugal oferecerá também formação especializada aos profissionais do setor na sua Academia. Localizada no showroom das instalações da empresa no Tagus Park, em Oeiras, este espaço de 70 m2 é totalmente dedicado às soluções energéticas do portefólio da LG e conta com uma grande exposição de equipamentos instalados disponíveis para que os formandos possam manusear e conhecer todo o seu funcionamento.

Ler o resto do artigo >>

domingo, 17 de maio de 2020

Chamar o elevador sem carregar no botão mas sim com chamada “virtual” através do telemóvel

A Schmitt+Sohn, a única empresa em Portugal a produzir de raiz, instalar e fazer a manutenção de elevadores, acaba de lançar um sistema inovador de chamada remota de elevadores que prescinde da necessidade de utilizar os botões dos equipamentos.

Be Safe Touchless by S+ é a nova solução desenvolvida pela empresa, em conjunto com um parceiro tecnológico, que permite aos utilizadores comandarem o elevador a partir do seu smartphone pessoal. A marcação virtual dos botões é efetuada através de uma aplicação gratuita disponível para iOS e Android.

“Este sistema vai permitir eliminar o risco de contágio de vírus, bactérias e outros microrganismos, por prescindir da utilização do botão físico de chamada e envio do elevador. De forma simples, com uma aplicação de uso intuitivo e rápido, anulamos a necessidade de contacto dos utilizadores com a superfície destes equipamentos de mobilidade, que são cruciais para o bom funcionamento dos edifícios. Além disso, esta solução permite controlar o acesso dos utilizadores a determinados pisos e restringir a utilização dos elevadores em determinados períodos de tempo”, explica Miguel Franco, administrador da empresa.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 13 de maio de 2020

Porto Office Park conclui obra com gestão assegurada pela Engexpor

Está em fase de conclusão o projeto de escritórios Porto Office Park (POP), promovido pelo grupo Violas Ferreira na zona da Boavista, no Porto. A gestão de projeto e obra esteve a cargo da Engexpor que ao longo dos últimos 25 meses acompanhou os trabalhos de construção, com execução das obras a cargo da Mota-Engil.

A Engexpor foi ainda selecionada pelo grupo Violas Ferreira para coordenar e fiscalizar as obras de fit-out necessárias à instalação dos inquilinos, encontrando-se já em curso trabalhos em vários pisos.

Localizado na principal zona de negócios do Porto e uma das mais centrais desta cidade, o POP é constituído por dois edifícios, cada um com 9 pisos acima do solo, que no total disponibilizam 31.500 m² de escritórios. Houve ainda a preocupação de criar espaços amplos e flexíveis, com cerca de 1.800 m² por piso, divisíveis em 4 frações. Abaixo do solo, foram construídos 18.855 m² destinados a parqueamento com 600 lugares para carros (com posto de carregamento elétrico) motas e bicicletas.

Miguel Alegria, CEO da Engexpor, refere: “O Porto Office Park é um dos projetos de escritórios mais singulares em que estamos envolvidos na região do Porto, com características pioneiras a nível dos serviços que oferece à sua comunidade empresarial na zona prime da cidade. É ainda um edifício sustentável, com elevada qualidade arquitetónica e de construção, atributos que farão dele um marco na nova geração de escritórios. Estamos muito satisfeitos por termos ajudado a dar vida a um projeto tão peculiar”.

As soluções adotadas para o projeto e construção dos edifícios e respetiva envolvente, valeram-lhe a atribuição da certificação energética “Classe A” e a certificação internacional de sustentabilidade BREEAM, com a classificação “Excelente”.

O POP está inserido numa extensa área verde de 15.000 m², um local privilegiado que estabelece a ligação entre o interior e o exterior dos imóveis e acolhe vários equipamentos para usufruto das empresas residentes, como restaurante, serviços de apoio, ginásio e 3 campos de padel. Além de um lounge com 300 m², os edifícios incluem auditório, salas de reunião e eventos com capacidade para 200 pessoas, uma cafeteria com 250 lugares no interior e 100 ao ar livre e ainda serviços de concierge, estando a gestão do empreendimento a cargo da POPeats e todos os serviços acessíveis a partir de uma aplicação digital móvel.

Com projeto de arquitetura assinado pela Broadway Malyan e engenharia pela A400, os edifícios são revestidos a vidro e lâminas de alumínio com sistema de sombreamento. Além de uma fachada emblemática que proporciona vista panorâmica sobre a cidade, esta solução garante o controlo solar, reduzindo o consumo de energia.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 12 de maio de 2020

dstgroup constrói parque de estacionamento do Parque dos Poetas

O dstgroup, através das subsidiárias dst, sa, e dte - instalações especiais -, está a construir o parque de estacionamento do Parque dos Poetas, em Oeiras, uma empreitada que se encontra já em fase de conclusão e que vai disponibilizar 322 lugares de estacionamento, dos quais 33 para carregamento elétrico e 8 para mobilidade reduzida. Avaliado em cerca de 1,9 milhões de euros, o projeto do parque de estacionamento subterrâneo vai permitir assim proporcionar melhores condições aos frequentadores do Parque dos Poetas, cuja oferta de estacionamento está atualmente limitada aos lugares disponíveis na área circundante.

A dst, sa, assume o projeto de construção desta obra, entre as quais a execução de alvenarias, serralharias, escadas, rede de abastecimento e de combate a incêndio e ainda a instalação de dois grupos de elevador com duas caixas em vidro no piso exterior. A empreitada conta ainda com a dte - instalações especiais -, nomeadamente nos trabalhos elétricos e de AVAC, que, em 2013, já havia assinado uma intervenção no próprio Parque dos Poetas. Da equipa de execução deste projeto fazem ainda parte as empresas parceiras smartfloor, na execução e pintura dos pavimentos do Parque de Estacionamento, dri, empresa de drenagens, revestimentos e impermeabilizações, na impermeabilização do reservatório do sistema de combate a incêndio, e a revestsolutions na execução dos tetos falsos.


José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do dstgroup, destaca a importância da construção deste equipamento numa área de lazer e de bem-estar dedicada à Cultura e à Arte. “Somos um grupo empresarial que constrói Cultura todos os dias e que pauta a sua atuação investindo na cultura e na democratização do acesso à arte e às literacias da beleza. Building Cultura é o nosso ADN. É, por isso, com particular orgulho que nos associámos a uma marca representativa da diversidade das correntes estéticas com a construção de uma infraestrutura de estacionamento que dotará o Parque dos Poetas de melhores condições. As pessoas poderão tirar o melhor partido deste espaço verde que homenageia a poesia nacional e que imortaliza os poetas portugueses ali representados esculturalmente”, sublinha.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 11 de maio de 2020

VIC Properties compra Herdade do Pinheirinho

A VIC Properties acaba de adquirir a Herdade do Pinheirinho, situada em Melides, no concelho de Grândola. Com uma área de implantação de aproximadamente 200 hectares e acesso direto à praia, este projeto inclui hotéis, moradias, apartamentos, comércio e um Campo de Golfe.

Neste momento, a VIC Properties encontra-se reavaliar os estudos e usos existentes para a Herdade do Pinheirinho, de forma a poder melhorar um projeto desenvolvido inicialmente há mais de 10 anos. Após terminar esta fase de definição da estratégia para este novo desafio, a VIC Properties irá começar o desenvolvimento do projeto o mais rapidamente possível. Atualmente, está prevista a construção de um hotel, 450 moradias e 250 apartamentos, que se juntam a um campo de Golfe que já se encontra em funcionamento.

Para João Cabaça, CEO da VIC Properties, esta é uma “aquisição estratégica” da promotora, que acredita que nos próximos anos “vai existir uma cada vez maior valorização de segundas habitações, inseridas em contextos mais próximos na natureza”.

“Existe uma tendência cada vez mais forte sobre o que as pessoas vão querer no futuro, que passa por segundas habitações inseridas na natureza, com espaços ao ar livre, que permitam a prática de atividades de lazer e de desporto”, acrescenta João Cabaça, recordando que a Herdade do Pinheirinho reúne todas estas condições, acrescida da mais-valia de estar localizada a pouco mais de 1 hora de Lisboa. “Trata-se de uma zona com grande potencial com a qual a VIC Properties se identifica muito e na qual pretende concentrar esforços nos próximos anos.” Além disso, o Pinheirinho é também “um marco para a VIC Properties, que com a concretização do seu primeiro empreendimento fora da cidade de Lisboa reforça a sua solidez e crescimento”
Para Luís Gamboa, COO da VIC Properties, o desenvolvimento da Herdade do Pinheirinho vai “aumentar a oferta numa zona que necessita de projetos estruturantes e que possam alargar a oferta de serviços na região”. “Temos a certeza de que a Herdade do Pinheirinho será um projeto de referência em Portugal, com um forte impacto no panorama imobiliário nacional, assim como na economia e na criação de emprego local”.

Com esta aquisição, a VIC Properties reforça o seu portfolio de empreendimentos em Portugal, que neste momento conta já com o Prata Riverside Village e com o projeto da Matinha, ambos na freguesia de Marvila, em Lisboa.

Ler o resto do artigo >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO