sexta-feira, 30 de setembro de 2016

OASRS pede que Concurso da Parque Escolar para a Reabilitação do Conservatório de Lisboa seja anulado

A Secção Regional Sul da Ordem dos Arquitectos (OASRS) enviou uma carta à Administração da Parque Escolar solicitando a anulação do Concurso Público Internacional recentemente lançado para a Reabilitação do Conservatório Nacional de Lisboa. Embora seja de realçar o lançamento de um concurso para a tão necessária reabilitação do Conservatório de Lisboa, a OASRS encontrou várias irregularidades no procedimento, desde logo ao nível da modalidade de concurso adoptada. À luz do Código dos Contratos Públicos (CCP), a instrução do processo é incorrecta e não se adequa à elaboração do projecto de reabilitação de um imóvel histórico como o Conservatório Nacional.

Para a OASRS, tratando-se de uma intervenção num edifício classificado inserido num conjunto de interesse público e tratando-se da salvaguarda do seu valor patrimonial e cultural, a avaliação da experiência dos concorrentes segundo um critério quantitativo (proposta economicamente mais vantajosa) tal como está prevista no Concurso da Parque Escolar, é completamente desajustada à defesa do interesse público, do princípio da concorrência e do acesso democrático à encomenda.

Os critérios de adjudicação do Concurso contrariam o previsto no número 1 do artigo 75 do Código dos Contratos Públicos, segundo o qual “os factores e os eventuais subfactores que densificam o critério de adjudicação da proposta economicamente mais vantajosa devem abranger todos, e apenas, os aspectos da execução do contrato a celebrar submetidos à concorrência pelo caderno de encargos, não podendo dizer respeito, directa ou indirectamente, a situações, qualidades, características ou outros elementos de facto relativos aos concorrentes".
Para a OASRS, a avaliação deveria incidir sobre a qualidade das propostas e feita por um júri de natureza técnica.

A OASRS considera ainda inadequada a obrigatoriedade de pagamento para ter acesso às peças do Concurso (100 euros), um valor que contraria o princípio da gratuitidade e livre acesso às peças dos procedimentos defendido pela Ordem dos Arquitectos.

Na missiva enviada para a Administração da Parque Escolar, a OASRS solicita ainda, na defesa do interesse público, a anulação do concurso e o lançamento de um novo Concurso de Concepção indo ao encontro do que estipula o CCP.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 27 de setembro de 2016

OASRS e RTP lançam formação em Cenografia de Televisão

A OASRS e a RTP juntaram-se para criar uma formação de Introdução à Cenografia de Televisão, uma área praticamente sem oferta de formação em Portugal e que se debate, consequentemente, com uma grande falta de know-how. A formação “Introdução à Cenografia de Televisão” vai decorrer nos dias 15 e 17 de Outubro na Ordem dos Arquitectos e na RTP.

É a primeira vez que a OASRS promove uma acção nesta área onde a formação em arquitectura facilita em “90 por cento” o domínio da matéria. O formador é o arquitecto António Polainas que acumula quase 40 anos de experiência em televisão.

A formação em Introdução à Cenografia de Televisão vai decorrer em dois dias com ofertas de conteúdos distintas. No primeiro dia, a 15 de Outubro na Ordem dos Arquitectos, será feita uma abordagem mais generalista e teórica da área, explicando a história da cenografia de televisão no contexto do audiovisual, como se define a disciplina, regras de projecto, processo criativo e de execução. No segundo dia, a 17 de Outubro, os formandos irão para as instalações da RTP para uma componente prática da formação, destinada a mostrar as atmosferas dos estúdios, as câmaras, a régie bem como a interdependência das várias profissões que influenciam o papel do set designer.
As inscrições estão a decorrer até ao dia 28 de Setembro. Mais informação aqui.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

BIC 2016 - Inscreva-se com o desconto exclusivo do Engenharia e Construção

Nos últimos 3 anos o BIM Management Institute (www.bimmi.net) tem organizado diversas conferências internacionais sobre a temática do BIM no Porto (Portugal), Lisboa (Portugal) e Madrid (Espanha). Este ano, por solicitação de inúmeros profissionais, haverá uma edição em São Paulo (Brasil) a 29 e 30 de setembro de 2016 e uma em Lisboa (Portugal) a 13 e 14 de outubro de 2016.

O papel de destaque que o BIM tem vindo a assumir ao longo de todo o ciclo do empreendimento de construção, é comprovado pelo investimento internacional que tem sido concretizado por governos, promotores imobiliários, projetistas, construtores, entidades licenciadoras, fornecedores e outras. A utilização do BIM é já imposta em vários países, prevendo-se que esta obrigatoriedade seja alargada no futuro.

A conferência irá reunir os principais profissionais e investigadores da indústria da construção de um variado espectro de países para a partilha de experiências, desenvolvimentos, perspetivas e tendências nesta área. À semelhança dos anos transatos está prevista a presença dos mais reconhecidos especialistas a nível internacional, assim como os líderes da indústria, para explorar esta matéria tão atual.

Esta conferência tem como público alvo profissionais da área da arquitetura, engenharia, incorporadores, construtores e entidades públicas de todo o País e internacionais.

Para além das apresentações de mais de 26 prestigiados Keynote Speakers nacionais e internacionais convidados pela organização do evento, o evento contará com workshops de softwares e apresentações de mais de 55 Cases e Abstracts de profissionais e investigadores.
Conheça os oradores já confirmados nas duas edições nosso website em www.bimmi.org, sendo de destacar, por exemplo, a presença de Malcolm Taylor (CrossRail London, Reino Unido), Safiy Abdur-Rahman (New York City Hall), Roderick Anderson (SARCO Architects Costa Rica), Frank Haase (Suffolk, USA), Terry Stocks (UK BIM Task Force), Gunther Wölfle (buildingSMART e.V. da Alemanha), Jordy Brouwers (Geonius da Holanda), Paul Tunstall (HLM do Reino Unido), entre muitos outros.
Qualquer informação complementar acerca da Conferência, poderão consultar o site do Evento: www.bimmi.net ou enviar email para bic2016@bimmi.org.

DESCONTO EXCLUSIVO
Para ter 20% de desconto na inscrição, oferta do Engenharia e Construção e do BIMMI, use o código engenhariaeconstrucao@BIC2016.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 20 de setembro de 2016

Requalificação do Polidesportivo e do Parque de Campismo das Taipas

A NVE iniciou a obra de Requalificação do Polidesportivo e do Parque de Campismo das Taipas. A intervenção que requalificará o polidesportivo do parque das Taipas devolverá um espaço há muito vedado à utilização. O projecto de construção do novo polidesportivo representa um investimento de cerca de 1,3 milhões de euros e prevê a criação de condições para a abertura do Parque de Campismo durante todo o ano.

A obra terá a duração de um ano e dotará o espaço de balneários, casas de banho e arrecadações. O projecto consiste na construção de uma cobertura, com uma estrutura em madeira sobre o recinto que ficará com capacidade para 500 espetadores (lugares sentados), um ringue e vários espaços para o jogo de “petanca”, é assim desenvolvido em função de uma pré-existência, evitando as debilidades de que a mesma sofre.
Serão demolidas as atuais instalações sanitárias e balneários de apoio ao polidesportivo e ao parque de campismo, uma vez que as atuais condições não se compatibilizam com as exigências da atualidade; todas as instalações ficarão concentradas no mesmo volume construído em detrimento da sua disseminação pelo parque; - Sala de convívio, lavandaria, integradas nas aludidas instalações da alínea anterior, e edifício/anexo de receção de apoio a utentes do parque de campismo.

A construção pretendida privilegia o betão armado na estrutura baixa, demonstrando-se como o único resistente aos níveis de humidade, de alta utilização e de baixa manutenção; a madeira como elemento estrutural acessório, assegurará a estabilidade da cobertura abobadada que não deterá caleiros ou outros canalizadores de águas.
Todos os espaços serão bem ventilados e iluminados, seja através de sistemas naturais, seja por sistemas mecânicos, de modo a assegurar os valores de exigências legais, salubridade e economicamente sustentáveis.

A solução do projecto tem como objectivo devolver à área o seu valor ambiental, cultural e paisagístico.

Ler o resto do artigo >>

Gabriel Couto constrói e reabilita novo hotel de 4 estrelas na baixa do Porto

A construtora Gabriel Couto vai reabilitar e ampliar um edifício no centro histórico do Porto que dará lugar a um novo hotel de quatro estrelas na baixa portuense: o Durius. Com uma localização privilegiada e vista magnifica sobre o rio Douro, este novo hotel estará vocacionado não só para o setor turístico, mas também para o sector “business”, assim como para receber eventos de cariz empresarial.

Situado na Rua da Restauração, esta nova unidade hoteleira será constituída por 63 unidades de alojamento (42 quartos duplos, um destes adaptado a utentes de mobilidade condicionada, 14 quartos individuais e sete suites), distribuídos por quatro pisos. Sala de terapias, SPA e espaços de eventos ficarão instalados no piso -1, enquanto o rés-do-chão será reservado para a receção, lobby e bar, assim como para o restaurante. Com uma área total de construção de cerca de 3.500 m2, os trabalhos a desenvolver pela Gabriel Couto envolvem, além da reabilitação e requalificação do edificado existente, algumas obras de ampliação. Na construção e reabilitação deste empreendimento hoteleiro será mantida a traça original do edifício, construído na década de 50, com fachadas em alvenaria de pedra e vãos de janelas ornamentados com pedra, sendo ainda acrescentado mais um piso aos existentes.

A reabilitação urbana e os empreendimentos turísticos estão a ser determinantes na recuperação económica do sector, verificando-se um dinamismo estimulante nos últimos anos, pretendendo a Gabriel Couto ter um papel ativo nesse desenvolvimento, contribuindo com todo o seu conhecimento e experiência nesta área. Nos últimos anos têm sido vários os projetos de construção e reabilitação urbana executados pela Gabriel Couto, quer para o segmento hoteleiro, quer para o segmento imobiliário e residencial.
Na sequência da conquista do “Prémio Construir” na área da Reabilitação na Construção na categoria Construtora por parte da Gabriel Couto no ano de 2014, e dos mais recentes projetos diversos na área da reabilitação e requalificação urbanas, executados nos últimos anos (alguns deles ainda em execução), este empreendimento hoteleiro é mais um desafio aliciante, a executar num prazo muito exigente (nove meses), sendo, uma vez mais, uma afirmação clara da empresa como uma referência nacional e internacional na área da reabilitação urbana.”

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Ar condicionado de meio milhão de euros da Câmara de Guimarães está desligado há anos para poupar

O sistema de AVAC da sede da Câmara Municipal de Guimarães está desligado há anos após o Município ter investido cerca de meio milhão de euros no mesmo. A denúncia parte de funcionários da Câmara que este Verão se queixaram por não aguentarem as temperaturas elevadas no local de trabalho.

Segundo a notícia do Jornal de Notícias, a Câmara de Guimarães instalou postos de ar condicionado individuais para minimizar o calor que está na origem das queixas dos funcionários.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Tecnologias para casas inteligentes ainda são desconhecidas para muitas pessoas

A Bosch, juntamente com a rede social Twitter, levou a cabo um inquérito sobre casas inteligentes na Alemanha, França, Reino Unido, Áustria, Espanha e EUA. Os resultados mostram que uma casa inteligente pode fazer mais hoje do que a maioria dos inquiridos considera possível, apesar de toda a informação disponível, nomeadamente na internet. Neste artigo vamos falar do nível de informação que o potencial utilizador de uma casa inteligente tem e das capacidades que muita gente desconhece sobre estas casas.

Franceses são os que têm maior confiança nas casa conectadas
Uma casa inteligente torna o nosso dia-a-dia mais conveniente, poupa energia e dinheiro, e proporciona mais segurança. No entanto, muitos utilizadores do Twitter ainda não estão conscientes das potencialidades de uma casa conectada. Por exemplo, enquanto dois terços dos inquiridos sabe que uma casa inteligente pode desligar as luzes automaticamente quando saem, apenas 22% consegue imaginar que o forno já pode sugerir receitas perfeitas. Numa comparação por país, de salientar que os utilizadores de Twitter em França estão mais confiantes do que a tecnologia de uma casa inteligente pode fazer do que os britânicos, americanos e austríacos, por exemplo. Alemães e espanhóis, por outro lado, veem como futurista funcionalidades que hoje já são possíveis.

É particularmente interessante que sejam as pessoas entre os 25 e os 34 anos as que mais se aproximam da realidade com as suas respostas. O facto de a perceção das diferentes possibilidades diminuir com a idade não é tão surpreendente quanto o facto de muitos nativos digitais não saberem o que é possível hoje em dia. Especialmente para os jovens entre os 16 e os 24 anos, que nunca viveram num mundo sem internet, uma casa inteligente é ainda surpreendentemente desconhecida. A razão para este facto pode ser a falta de relevância que os assuntos relacionados com a casa têm para este grupo etário. Algo que não se aplica às mulheres que, por norma, são mais conscientes do que os homens em relação às vantagens de uma casa inteligente. Para além disso, apenas 50% dos inquiridos estão conscientes que os sistemas de casa inteligente já são interoperativos, o que significa que os dispositivos podem comunicar uns com os outros independentemente do fabricante.
Poupar energia a nível mundial – um ponto muito importante
Uma casa inteligente toma conta de tarefas rotineiras automaticamente, permite o controlo até longe de casa, e assim transmite uma sensação reconfortante. No entanto, os inquiridos ficaram ainda mais convencidos pelo potencial de poupança de energia, como quando os aquecimentos desligam automaticamente logo que as janelas são abertas. Os espanhóis, franceses e ingleses, em particular, parecem estar muito interessados em poupar dinheiro, e entre 71 e 75% consideram a poupança de energia um argumento convincente. Esta foi também a resposta mais popular entre os inquiridos alemães, mas estes ficam em último lugar na comparação por país, com 59% de menções. Algo surpreendente, considerando que os alemães são conhecidos pela sua consciência ambiental. Em Espanha, França e Reino Unido, são provavelmente os aspetos financeiros que tornam a poupança de energia um argumento mais importante do que os aspetos ecológicos.

Ir de férias sem preocupações
Tranquilidade e segurança ficam em segundo e terceiro lugar nos argumentos, com 59 e 58% dos inquiridos a escolherem estas opções, respetivamente. Uma casa inteligente que dispara o alarme automaticamente quando um intruso invade a casa e avisa os residentes enviando uma mensagem para os seus smartphones é tão impressionante quanto a ideia de poder olhar pelas coisas a qualquer momento utilizando uma câmara conectada. A segurança assume um papel especialmente importante para as mulheres. Enquanto são geralmente menos convencidas por todos os outros argumentos do que os homens, a situação neste caso é exatamente a oposta. Apenas um terço das inquiridas consideram especialmente conveniente a preparação do capuccino começar quando ainda estamos deitados. É aqui que os franceses marcam a diferença: 42% aprecia encontrar o seu café com leite pronto quando chegam à cozinha.

Sempre em movimento: britânicos e americanos querem controlar a casa “na estrada”
A casa conectada tem um lugar no quotidiano dos britânicos e dos americanos. É o caso quando inquiridos em quais situações pretendem controlar a sua casa inteligente quando estão na estrada. 60% dos britânicos e americanos têm este desejo quando viajam de carro ou de comboio. Para espanhóis, alemães e austríacos, este valor desce para metade, e com os franceses atinge os 45%. O resultado por país é bastante semelhante quando os inquiridos estão com pressa. Estar com pressa é uma situação que faz com que a maior parte das mulheres acredite que pode beneficiar de uma casa inteligente. Têm isto em comum com os inquiridos mais novos (16 a 24 anos), que também querem uma casa inteligente, particularmente quando estão no sofá. A ideia de ter acesso à sua casa quando se está de férias tem um certo fascínio em diversos países, faixas etárias e géneros, valor que aumenta com a idade, seja para olhar pelas coisas ou para ligar o aquecimento antes de chegar a casa.
Muito suspeitam de custos elevados. Proteção de dados é uma prioridade
Quando questionados sobre as razões pelas quais ainda não conectaram a sua casa, mais de metade dos inquiridos diz que os elevados custos iniciais são um entrave. No entanto, este fator diminui de importância com a idade. Especialmente os espanhóis (70%) e os franceses (68%) afirmam que a tecnologia é demasiado cara. Já a proteção de dados, um tópico onde a Bosch está a trabalhar ativamente, é uma grande preocupação para um terço dos inquiridos. Na realidade, todas as soluções para casas inteligentes da Bosch correspondem aos mais altos padrões de segurança. Cada utilizador pode decidir se os dados devem ficar dentro da casa ou se devem ser enviados para a cloud para determinados serviços.

31% dos inquiridos nunca tinha pensado numa casa conectada. Isto é surpreendente, especialmente tendo em conta as diversas áreas nas quais uma casa inteligente pode ser útil. Mas pelo menos uma em cada dez pessoas na Alemanha e Áustria já se convenceram e já vivem numa casa conectada ou planeiam fazê-lo, mais do que em qualquer outro país que participaram no inquérito.

Internet é a principal fonte de informação
Dois em cada três utilizadores do Twitter inquiridos indicaram que visitariam os sites dos fabricantes antes de adquirirem aplicações para casas inteligentes, enquanto 42% confiam em blogs e fóruns. Assim, a internet é claramente a fonte de informação mais importante. Lojas e retalhistas apenas surgem em terceiro lugar com 35%. O comércio tem um papel secundário no Reino Unido e nos EUA. Vale a pena mencionar que os mais novos entre os inquiridos procuram informação offline e vão a lojas.

Sobre o estudo:
Este estudo do Twitter foi realizado entre 26 de julho e 3 de agosto de 2016. Contou com 6.265 respondentes da Áustria, Alemanha, Espanha, França, Reino Unido e EUA, sendo mais de 1.000 utilizadores do Twitter por país e perto de 500 da Áustria.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 6 de setembro de 2016

Colégio Bissaya Barreto em Coimbra vai ser reabilitado pela Sotecnisol

A Sotecnisol acaba de ganhar por concurso público a obra de Reabilitação do Colégio Bissaya Barreto, pertencente à prestigiada Fundação Bissaya Barreto. Esta obra envolve a reabilitação das Fachadas e das Coberturas inclinadas em telha cerâmica. Nas fachadas viradas a Sul vão ser aplicadas películas de sombreamento e reabilitadas as coberturas dos alpendres, onde se mantém o sistema de impermeabilização existente, utilizando este como suporte para o novo sistema de impermeabilização.

A Sotecnisol possui um serviço de reabilitação integral, seguindo o modelo de Reabilitação Sustentável, do qual é pioneira, onde estão incluídas soluções de produção de energia renovável e de sistemas energéticos de baixo consumo, como sistemas solares fotovoltaicos e térmicos, caldeiras para AQS (Águas Quentes Sanitárias), bombas de calor, aquecimento central, piso radiante e sistemas de climatização.
Estas soluções passam ainda pela instalação de películas refletoras nos envidraçados, claraboias de iluminação zenital, isolamento térmico, coberturas ajardinadas, entre outras. Sempre com o objetivo do conforto térmico, focado na redução das necessidades de consumo de energia, e, portanto, na redução da própria fatura energética, e preocupações ambientais.

Ler o resto do artigo >>

Vidro de alto desempenho Guardian no centro cultural La Cité du Vin

La Cité du Vin, novo centro cultural em Bordéus, é um local único onde os visitantes podem aprender tudo sobre vinho, a sua história e influência na civilização, através de uma variedade de zonas temáticas, exposições e espetáculos multimedia. Um miradouro situado no topo da torre de 55 metros de altura oferece uma vista de 360 graus da cidade e dos vinhedos circundantes.

O edifício desenhado por Anouk Legendre e Nicolas Desmazières da XTU Architects constitui uma forte afirmação arquitetónica graças às suas curvas ousadas e à sua forma global que evoca o espírito e a natureza líquida do vinho: corpo arredondado, intangível e sensual. Obviamente, o vidro desempenha um papel importante na expressão destes aspetos.

A XTU Architects quis usar vidro capaz de oferecer o mais alto desempenho, devido ao seu papel especial na reflexão da luz, tanto no interior como no exterior. O vidro selecionado devia, ao mesmo tempo, simular a efervescência. Os arquitetos escolheram a empresa de revestimentos exteriores francesa Coveris, para ajudar a encontrar a melhor solução para este projeto de elevada visibilidade. A escolha recaiu sobre a Guardian Glass, um fabricante líder de vidro arquitetónico de alto desempenho. A experiência e o apoio técnico da Guardian revelaram-se determinantes.

“A escolha do vidro foi um processo longo,” segundo a Coveris. “Era vital eleger os produtos certos tanto ao nível técnico como estético. Tivemos de comprovar a viabilidade sob muitos aspetos, desde a escolha do revestimento para assegurar que o vidro podia ser deformado ou curvado para o exterior. Ao longo de todo este processo, houve uma colaboração excelente com a Guardian e os arquitetos.”
Anouk Legendre e Nicolas Desmazières da XTU Architects concordam: “O caderno de encargos exigia que encontrássemos vidro com reflexos dourados. Estudámos vários tipos de vidro, depois realizamos testes de serigrafia.”
Foram selecionados dois tipos de vidro: Guardian SunGuard Solar Gold 20 e Guardian UltraClear. SunGuard Solar Gold 20 é a escolha favorita de muitos arquitetos e designers. O seu revestimento dourado é aplicado ao vidro float Guardian ExtraClear®. Isto apresenta vantagens em comparação com o vidro colorido. Oferece não só um controlo solar de alto desempenho, como também, graças ao seu índice de rendimento de cor, as cores que podem ser vistas do interior para o exterior do edifício estão muito próximas da realidade.

Contrariamente ao vidro tradicional, o vidro de baixo teor de ferro UltraClear oferece uma elevada transmissão de luz e uma maior neutralidade das cores, deixando entrar a “verdadeira” luz do dia, para oferecer uma sensação de espaço e luminosidade acrescidos.
Na torre principal do edifício, foi usado vidro para criar uma capa separada que envolve a estrutura valorizando a sua estética. No total, foram usados aproximadamente 900 painéis de vidro, alguns dos quais foram serigrafados com 20 padrões diferentes. Todos os painéis são distintos, medindo o maior deles 5,1 x 1,5m. O projeto inclui três tipos de painéis: monolítico, laminado e laminado triplo. É sobre este último tipo que é aplicado revestimento SunGuard Solar Gold 20. Todos os painéis foram fixados individualmente na obra utilizando 4500 acessórios de fixação separados com medidas de 50mm a 270mm de altura. O sistema de fixação teve de ser programado usando um software específico devido à geometria particular do edifício. A capa de vidro final cobre uma superfície total de 2700 metros quadrados.

A impressão serigráfica que proporciona um efeito deslumbrante é composta por 20 padrões diferentes, cada um aplicado individualmente sobre os painéis. Tudo isto contribuiu para a forma com que os vidros SunGuard Solar Gold e UltraClear são usados para respeitar a arquitetura e a sua estética.

Ler o resto do artigo >>

Cari reabilita edifício pombalino para servir turismo de Lisboa

A cari é a empresa responsável pela construção de uma nova unidade hoteleira de quatro estrelas em Lisboa, o Hotel da Baixa, que vai acrescentar mais 66 quartos à oferta já existente. Desta forma, a cidade de Lisboa reforça a sua capacidade de alojamento, numa altura em que o setor do turismo assiste a um crescimento exponencial.

A obra do Hotel da Baixa é o resultado de um investimento superior a 4,4 milhões de euros por parte do cliente, estando localizada na Rua da Prata, números 221 a 241, e Rua dos Correeiros, números 158 a 168. Os trabalhos deverão estar concluídos no início do segundo trimestre de 2017. Trata-se de uma intervenção num conjunto de edifícios inseridos na zona da Baixa Pombalina, caracterizada pelos padrões arquitetónicos rígidos, decorrentes das normas de reconstrução no pós-terramoto de 1755. O projeto, da autoria dos gabinetes de arquitetura RRJ Arquitetos e ARA – Alves Rodrigues e Associados, implica a demolição de todo o interior, com a manutenção integral da fachada principal.
Para Eduardo Leite, administrador da cari, esta empreitada “é muito importante para a valorização do trabalho que a empresa tem vindo a efetuar em termos de reabilitação urbana, assente num know-how ímpar que lhe permite encontrar soluções inovadoras quando as intervenções se centram no património edificado”, lembrando que “este é também um investimento que reforça a aposta no turismo, uma das grandes alavancas da economia nacional e local”.

Ler o resto do artigo >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO