quarta-feira, 3 de junho de 2020

Casais traz movimento CREE para Portugal e aumenta aposta na sustentabilidade

Numa fase em que ficou evidente a necessidade de se implementarem medidas para a preservação do meio ambiente, proteção do ecossistema e aumento da qualidade de vida das pessoas e espécies, muda o quadro de exigência de todos os atores nos mais diversos setores da economia. A indústria da construção é um desses setores, no qual são exigidos processos e metodologias que permitam obter uma maior eficiência ambiental da sua atividade, bem como a níveis de prazos, custo e segurança.

O Grupo Casais sempre procurou assentar o seu crescimento no conhecimento e inovação, e neste quadro tornou-se no parceiro para o mercado português da CREE Buildings, uma rede internacional de empresas com know-how na construção com madeira híbrida, para, de uma forma inovadora e sustentável, desenvolver grandes volumes de construção em prazos curtos e com grandes níveis de eficiência.

Estas soluções, acessíveis aos seus representantes, em países como Alemanha, Áustria, Bélgica, Dinamarca, Japão, Luxemburgo, Singapura, Suíça, e agora, Portugal, permitem a construção de edifícios híbridos de madeira de alta qualidade, sendo um produto confiável e com baixo risco execução.

Esta é mais uma aposta do Grupo Casais no crescimento da industrialização e na implementação de soluções de construção mais sustentáveis, que será apresentada hoje, durante a visita às instalações industriais da construtora, em Braga, dos secretários de Estado do Planeamento e das Infraestruturas, José Gomes Mendes e Jorge Delgado, respetivamente.

“A orientação e as soluções de madeira híbrida sustentável da CREE estão em sintonia com o nosso posicionamento presente e futuro na indústria da construção. A nossa missão é construir de forma responsável, incorporando práticas sustentáveis, que criem valor para os nossos clientes e para a sociedade como um todo a longo prazo”, explica António Carlos Rodrigues, CEO da Casais.

Por sua vez, Hubert Rhomberg, CEO e cofundador da CREE Buildings, afirma que o sistema que ajudou a criar “está a mudar a face da indústria da construção. Ao estabelecermos colaborações com parceiros autorizados como o Grupo Casais, estamos a acelerar este processo de mudança”.

No âmbito desta licença, o Grupo Casais assume um papel pioneiro na indústria e no mercado nacional. “O desempenho ambiental da Casais continua a evoluir de forma sustentada desde a decisão de implementação de programas de eficiência para potenciarmos os nossos edifícios de ‘Elevado Perfil Ambiental’. Reforçámos este desempenho com a adoção de critérios ambientais, sociais e de governance, que agora abrangem desde Energia a Sistemas de Construção, como o que é disponibilizado pela CREE”, continua o CEO.

No essencial, o sistema CREE baseia-se numa matéria-prima natural renovável, a madeira, para pré-fabricar componentes individuais padronizados, como painéis de teto e de fachada, pilares e estruturas. Estes podem ser rapidamente montados no local da obra, reduzindo as emissões de carbono, o ruído e as poeiras e permitindo economizar tempo, recursos, e criar valor ao maximizar processos que reduzem o custo global e contribuem de forma direta para a redução de resíduos. “Hoje, precisamos de construir edifícios que se adaptem às necessidades e que acompanhem as mudanças dos negócios, das empresas e das pessoas. Por essa razão, precisamos de edifícios que sejam cada vez mais flexíveis, mas também duradouros, e o sistema CREE permite-nos isso”, concretiza António Carlos Rodrigues.

Industrialização é ferramenta para Edifícios de Alto Perfil Ambiental
A industrialização tem vindo a ser a ferramenta da Casais para aumentar a eficiência, que considera essencial para a transição do setor da construção, no qual a tendência será cada vez mais assente em produtos e sistemas pensados e produzidos de uma forma integrada, permitindo assim transformar a construção num processo de montagem de componentes que podem ser configurados de diferentes formas para atingir o resultado final. Nesta vertente, a construtora integra 13 empresas – Socimorcasal, Socimorcasal Angola, Probetão, HidroCNT, Undel, Carpin Wood & Metal, Metalser, EIA – Electro Ideal Angola, Carpinangola, Ampere Energy Portugal, Hidroangola, Quadrina e RMCasais – que lhe permitem assumir um posicionamento verticalizado.

Numa perspetiva de edifício “carbono zero”, e na lógica dos “Nearly Zero Energy Buildings” (NZEB), a Casais assumiu a linha da frente desta transição para uma construção mais sustentável em 2008, com o lançamento da marca GO GREEN BUILDINGS e o projeto Olympo Solutions. Posteriormente, a empresa desenvolveu e registou a marca EPA (Edifícios de Alto Perfil Ambiental), destinada à promoção de edifícios sustentáveis e que pretende ser o instrumento de suporte ao negócio e contribuir para a fidelização dos clientes numa perspetiva de criação de valor conjunto.

Agora, com esta tecnologia de construção, a Casais prepara a segunda fase da sua unidade industrial, onde projeta produzir os componentes deste sistema construtivo, dando assim escala ao crescimento da sua mais recente unidade, a BluFab. Esta tem vindo a dar corpo à transformação do negócio numa visão de construção “industrializada”, onde são já produzidos elementos num processo integrado de construção off-site.










Seja o primeiro a comentar

Publicar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO