sexta-feira, 22 de março de 2019

Setor da construção em Portugal perde 100 trabalhadores por dia

Saem 100 trabalhadores da construção civil por dia do país, segundo declarações do presidente do Sindicato da Construção de Portugal, Albano Ribeiro, ao Jornal i, o que leva a graves crises de falta de mão-de-obra em Portugal. A diminuição do número de trabalhadores na construção civil conjugada com o novo fôlego do setor traduz-se em vários problemas para a realização das obras. Só em janeiro e no mercado das obras públicas, o lançamento de concursos de empreitadas quase quadruplicou para 332 milhões de euros face a igual mês do ano anterior, revelou a Associação dos Industriais da Construção Civil e Obras Públicas (AICCOPN).

Ao todo faltam 14 mil trabalhadores, segundo as contas de Albano Ribeiro, e os que ainda continuam a trabalhar não serão suficientes para responder a necessidades de grandes obras, como o aeroporto do Montijo, um projeto que precisa de mais de 10 mil trabalhadores. Esta carência, no seu entender, “tenderá a agravar-se nos próximos meses”.

Os baixos salários praticados em Portugal são apontados como uma das principais razões para a emigração dos trabalhadores. “Muitas das empresas pagam apenas o salário mínimo nacional, e depois são confrontados com ordenados de 2000 ou 2500 euros noutros países.”

Outro problema apontado é o dos trabalhadores clandestinos, na sua grande maioria provenientes da Índia e do Brasil, já são responsáveis por 40% do trabalho realizado no setor. “Há angariadores de mão-de-obra ilegal que concorrem com as empresas idóneas, destruindo totalmente o mercado e não dando a esses trabalhadores as condições mínimas de segurança.”

Este problema já é transversal a todo o mercado, incluindo o das obras públicas. “Ainda há dias fomos visitar uma obra pública e detetámos 20 trabalhadores ilegais, mas graças à nossa intervenção passaram a ter as mesmas condições que os restantes trabalhadores portugueses. Se no privado essa situação é grave, então o que dizer do público”.

Recorde o nosso artigo com perguntas e respostas sobre a falta de mão-de-obra no setor da construção em Portugal.










1 Comentário:

Everton Queiroz disse...

Sou profissional qualificado, como faço pra trabalhar em Portugal legalmente?

Publicar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO