quinta-feira, 9 de agosto de 2018

Perguntas e respostas sobre a falta de mão-de-obra no setor da construção em Portugal

A falta de mão-de-obra no setor da construção em Portugal voltou à ordem do dia e parece não ter fim à vista. Há muitas pessoas a apontar os problemas atuais no que diz respeito à falta de operários, mas é evidente a dificuldade em referir soluções para o problema. A que se tem repetido mais vezes é a de permitir a mobilidade de mão-de-obra estrangeira nas empresas portuguesas que também trabalham noutros mercados. De seguida apresentamos algumas perguntas e respostas sobre a falta de mão-de-obra no setor da construção em Portugal.

COMO SE PODE ATRAIR JOVENS PARA O SETOR DA CONSTRUÇÃO?
Sendo o setor da construção pela sua natureza pouco atrativo comparativamente a outros, e havendo no presente alternativas para a potencial mão-de-obra, a resposta parece óbvia: oferecendo melhores salários / condições.

MAS OS SALÁRIOS / CONDIÇÕES PRECISAM DE SER MUITO MELHORES?
Não é possível saber antecipadamente até quanto devem melhorar. Mas é óbvio que chegando a determinado ponto começam a atrair pessoas para o setor.

É SUSTENTÁVEL PARA AS EMPRESAS OFERECER MELHORES SALÁRIOS / CONDIÇÕES?
A capacidade de gestão em cada empresa será decisiva para esta questão. No entanto naturalmente os preços de venda das empresas teriam que aumentar. Eventualmente os clientes estranhariam inicialmente, mas depois a ideia entranhava-se. Esses ajustes nos preços ocorrem em diversas áreas e todos nós convivemos com elas, mesmo quando não gostamos da ideia de pagar mais por algo.

APOSTAR NA FORMAÇÃO PODE AJUDAR?
Claro que sim, os profissionais movem-se pelos salários, mas não só. Se as empresas derem condições aos seus funcionários para evoluírem e se atualizarem com formações, isso é um ponto que atrai sempre. Pode não ser decisivo, mas ajuda.

A IDEIA DE FACILITAR A MOBILIDADE DE MÃO-DE-OBRA ESTRANGEIRA DAS EMPRESAS RESOLVE O PROBLEMA?
Não. Apenas resolve, ou ajuda a resolver, a uma parte das empresas, nomeadamente as de maior dimensão que marcam presença em mercados internacionais. Mas esta é uma solução que serve essas empresas de maior dimensão a curto prazo, deixando as empresas que não marcam presença em mercados internacionais em situação ainda pior. Resumindo, uma solução que serve apenas uma parte das empresas quando o setor quase todo está com o mesmo problema é uma solução bastante discutível e que pode ser vista como algum tipo de cedência às empresas maiores. É dever das associações do setor defender todas as empresas e não só as maiores.

VAI CONTINUAR A FALTAR MÃO-DE-OBRA?
Tudo aponta para que sim, inclusive para um agravamento da situação. Se não houver alterações de fundo, a tendência será para piorar, pois com o envelhecimento geral dos profissionais ativos e a insuficiente renovação, o número de profissionais ativos irá necessariamente diminuir. Para mitigar este problema é necessário que os responsáveis envolvidos procurem soluções transversais e que não facilitem a vida apenas a "meia dúzia" de empresas.










Seja o primeiro a comentar

Publicar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO