quarta-feira, 17 de abril de 2013

Confea cancela em definitivo acordo para facilitar reconhecimento de engenheiros portugueses

Como revelamos aqui em Janeiro deste ano, a Confea não está disposta a facilitar a ida de engenheiros portugueses para o Brasil, por ter uma visão proteccionista do mercado de trabalho do seu país. José Tadeu da Silva, presidente da Confea, em declarações na Câmara dos Deputados considerou que o acordo para facilitar a integração de engenheiros portugueses no mercado brasileiro não daria qualquer vantagem ao mercado da engenharia no Brasil, que isso apenas iria reduzir as oportunidades dos engenheiros brasileiros em obter emprego.

A Confea confirmou assim a posição que assumiu no 4º Congresso Ibero-Americano de Engenharia Civil, realizado no Porto no dia 15 de Março, posição essa que foi alvo de duras críticas por parte de responsáveis portugueses.

José Tadeu da Silva explica ainda que esta posição já foi assumida perante outros países com as mesmas pretensões de Portugal no que diz respeito à exportação de engenheiros, citando como exemplo a Espanha. O presidente da Confea declarou ainda que esta é contra a "abertura do mercado de trabalho nacional à invasão de profissionais do exterior".
O acordo assinado entre a Ordem dos Engenheiros e a Confea, em final de 2011, fica assim sem qualquer efeito, tendo José Tadeu da Silva alegado que este acordo foi assinado na fase final do mandato anterior.

A Ordem dos Engenheiros ficou assim para trás neste processo, sendo que este desfecho já era previsto há algum tempo.









26 Comentários:

Anónimo disse...

Ainda bem, pois assim não terei de imigrar para um país de 3º mundo.


Obrigado,Confea.

Sérgio Costa disse...

Uma vez mais Portugal leva o troco do que andou durante séculos a "ensinar" o egoísmo sem paralelo centrado na capital, tudo era taxado para alimentar a corte de parasitas de lisboa mas as ienas. políticas e burguesia cheia de vícios, ensinaram bem a lição do EGOISMO agora está na altura de colherem o que semearam ...
Quanto ao Brasil ser um país do 3mundo... isso só revela que este corajoso anonimo não conhece o país em que vive nem muito menos o Brasil, isent payback a bitch ?? lol

Anónimo disse...

Esse comentário era desnecessário.

Sérgio Costa disse...

Cá se fazem ... a falta de memória é típica desta gentinha tão cheia de moralidade conveniente, vejam o que os ilustres do 1°mundo tuga fez durante séculos ao Brasil (todos os palops )
povinho cheio de vaidades parolas ... não admira que os alemães dizem que "português=preto" da europa (entanda-se preto estúpido, vaidoso, charlatao, envejoso e mesquinho )

(Des)Ordem dos Engenheiros disse...

"(...) a Ordem dos Engenheiros ficou assim para trás neste processo(...)"

Mas que novidade! E esse bando de cretinos lá serve para mais alguma coisa senão chupar as cotas anuais aos engenheiros, organizar provas de vinhos, corridinhas de karts e outras inutilidades semelhantes em que só eles e os amigos participam?

Tenho vergonha de (ser obrigado a) pertencer a esta ordem de inúteis!

Goste-se ou não, o CONFEA ao menos defendeu os interesses dos profissionais Brasileiros, enquanto que estes montes de esterco há muito que permitem estágios não remunerados aos recém-licenciados e ainda têm o descaramento de lhes cobrar 60€ anuais.

Claro que muitos destes senhores e as suas respectivas empresas são os grandes beneficiados destas práticas deontológicamente questionáveis... Mas isso num país de facilitismos, luvas e trocas de favores já é considerado normal.

Gostava de ouvir o que o Paulo Portas tem a dizer em relação a isto...

Brasil 1 - Portugal 0

Anónimo disse...

Concordo com a desordem dos engenheiros.

Carlos disse...

O argumento usado parece-me no fundo um ENORME Elogio á Engenharia Portuguesa.
Ao afirmar que "isso apenas iria reduzir as oportunidades dos engenheiros brasileiros em obter emprego", estão simplesmente a admitir que o mercado Brasileiro daria preferência aos Engenheiros Portugueses, naturalmente por terem formação superior á dos Brasileiros.
E sabemos que isso é um facto!

Fazendo isto, a CONFEA, recorre á lei da rolha colocando os Engenheiros Brasileiros sob a capa do Proteccionismo a que o Brasil tem vindo a ser votado também noutras áreas.

É ao mesmo tempo coerente e estranho que um País tão grande e com tanto potencial tenha tanto "receio" de um País tão pequeno de tão só 10 milhões de habitantes!

Mesmo que TODOS os Portugueses emigrassem ao mesmo tempo para o Brasil, e por absurdo construíssem uma nova cidade, ela não seria a maior da Brasil. Nem a segunda...

Afinal o Brasil tem medo de quê??

Anónimo disse...

Respondendo ao Carlos acima
O Brasil não term medo de nada, até o prezado momento tudo o que foi construído aqui, e olha que vc mesmo citou acima na nossa imensidão e potencial, tudo o que foi construido aqui foram por mãos de brasileiros(diga-se grandes e eficientes profissionais), nunca foi preciso profissionais portugueses ou de qualquer outra nação.O que está acontecendo no momento é que temos muitas obras(copa, olimpidas, pré sal, infra estrutura,obras do pac, minha casa minha vida e outros),por isso a maioria dos profissionais daqui já foram absorvidos pelo mercado, somente por isto.Além do mais existem trabalhadores de outros países que também querem vir para cá, como americanos, corenaos, chineses etc etc,ano passado o Brasil concedeu 73000 vistos de trablaho e me parece que os americanos foram a maioria ou seja a preferencia não foi pra tugas não.Realmente o Confea está certo tem que proteger o mercado nacional igual você fizeram no caso dos dentistas e se for pra facilitar que seja para o profissionais do nosso continente tem muitos querendo vir trabalhar aqui e pagamos muito bem.Assim como disse um anonimo acima judamos vcs a não vir pra cá para o 3º mundo .

Ricardo disse...

Cá se fazem,cá se pagam.Fizeram a vida negra a todos os profissionais estrangeiros, seja médicos, seja engenheiros, rquitectos agora levámos nós. Quanto ao sr.Sérgio Costa além de não ser isent mas sim isn't a expressão é ain't life a bitch. E sim é, mas cá se vai andando.Portugal que aprenda com isto que recebe-se sempre troco daquilo que se faz.Dito isto quem já viu os códigos de construção Brasileiros sabe,claro está, que não é por não conseguirmos fazer o trabalho.

Ricardo disse...

O Brasil tem medo que se prove que temos engenheiros tão bons ou melhores, porque não aceitam que um Português possa ser melhor que eles e também por vingança claro está quando pusemos entraves a toda a gente. O resto da Europa parece pensar que estamos a altura afinal de contas.

Anónimo disse...

Então vamos correr com os estudantes brasileiros que vêm para aqui aprender engenharia. Se a nossa engenharia não pode ser aceite lá, pagamos na mesma moeda e não deixamos o nosso saber e método atravessar o atlantico... mais uma vez Portugal é mandado embora com um chuto no rabo e não dá o troco...

Anónimo disse...

Acho que os estudantes brasileiros que estão aí não devem estar de graça ou seja com certeza está pagando e consumindo em seu páis. Creio que com a crise que vocês estão passando não deveria quanto mais pessoas a gastraem por ái melhor.Acredito na competência dos profissionais portugueses, só acho que deveriamos fechar este acordos com os americanos, alemães italianos dentre outros. Afinal vocês nunca facilitaram nda para brasileiros

Anónimo disse...

É isso aí "povo irmão"!!!
Vão ser sempre explorados pelos grandes intereses enquando debates assuntinhos de treta.
Boa sorte.

Anónimo disse...

O que não entendo dos "meus compatriotas" portugueses —eu sou galego— é porque gostam de perder o tempo negociando com o CONFEA. Revalidem seus títulos nas universidades federais brasileiras porque isso vai ser mais rápido e mandem a Ordem de engenheiros negociar para formar parte do importante Acordo de Washington (http://www.washingtonaccord.org/Washington-Accord/signatories.cfm)ou façam acordo com o ICE do Reino Unido que lhes permitirá trabalhar nas ex-colônias britânicas e noutros países do primeiro mundo em importantes projetos, e sentir-se-ão valorizados e melhor recebidos e reconhecidos.

O anterior é uma crítica construtiva e uma dica.

José

Anónimo disse...

Só tenho a dizer: A maior comunidade emigrante em Portugal é a Brasileira, e a maioria não tinha/ tem qualquer tipo de formação quando veio para Portugal.
Contra factos não há argumentos.

Rui disse...

Não percebo como tanta gente fala nas dificuldades criadas pelo Estado português a quem vem de fora... mas que dificuldades?? toda a gente sabe que Portugal é o país da europa que mais facilita as entradas! E ainda se queixam? Experimentem ir para a Alemanha! Vou-me rir quando vir que os estádios não vão ser construídos a tempo do Mundial!

Unknown disse...

Os brasileiros não se podem queixar de Portugal em relação a migração, pois sempre tiveram melhor tratamento (a meu ver injusto), perante os outros povos dos PALOP. Agora vou ser claro , Portugal está uma ''bosta'' e em grande parte devido não aos políticos (como o lixo do povo se queixa), mas do próprio povo asqueroso que é o português (fique claro que eu sou português), e acho muito bem que os brasileiros se defendam não só contra os portugueses como contra a entrada de muita malta (que pouca interessa para o desenvolvimento do vosso pais, ao menos estão a mostrar que são 1000 vezes mais patriotas do que esta ''bosta'' que é o português!

Anónimo disse...

Acho mais interessante não construir os estádios a tempo do que deixar vir profissionais portugueses e espanhois. Se é pra fazer acordos que façam com as universidades americanas.

Grabner disse...

Possa!!
Que agressivos, nem parece pessoas estudadas.
Para que estudam? para serem jumentos...
Acho que o falar mal dos brasileiros ou dos portugueses, nao vai ajudar ninguem...
Mostra sim, a falta de educacao que cada um de vcs tem e que nao tem nada a ver com o pais ou nacionalidade...

Anónimo disse...

Acho piada ao pessoal que vêm para aqui vangloriar-se com a suposta superioridade da engenharia portuguesa, e sobretudo de pessoas acabadas de formar.

Tão boa é a formação de um Engenheiro na UFRJ como na FEUP ou UM, encastramentos e apoios são iguais em todo o lado.


O pessoal não quer admitir, que um curso que ha uns anos dava garantias plenas de emprego bem como uma boa remuneração, neste momento está na penúria total, e mesmo lá fora começam a fechar as Portas as pessoas.


Anónimo disse...

Portugal não tem um parque industrial relevante e nem obras de construção dignas de nota...
porque então empregá-los?

Anónimo disse...

Excelente notícia, para que facilitar a vinda de profissionais de um país falido

jhonny disse...

Bom dia. Quanta resposta sem fundamento, cheias de amargura e ressentimento. O Brasil nao foi feito so por bradileiros. As grandes multinacionais trazem dezenas de profissionais, na sua maioria engenheiiros para desenvolver suas empresas. Trabalho direto com duzias de coreanos e franceses em Manaus. Duzias de alemaes e franceses em Sao Paulo... Sempre foram precisos estrangeiros. O Brasil deixa de se desenvolver porque nao existe mao de obra qualificada suficiente. Nao protege ninguem.So ajuda a inflar os salarios dos poucos que ha diminuindo a capacidafe da industria brasileira. Esta amarga falta de infraestrutura, excesso de impostos, corrupcao e burocracia e agora tambem falta de obra. Voce nao esta sendo nem um pouco patriota. Esta alimentando apenas um sentimento pequeno, chamado vinganca

RAMIRO ANDRADE - O PROVOCADOR disse...

20/06/2012

Discriminação de Engenheiros Brasileiros em Portugal

Exmo. Sr. Presidente do Confea José Tadeu da Silva

Meu nome é Ramiro Lopes Andrade, sou Engenheiro Civil Reg nº 1988100377, Carteira Profissional nºRJ-881003779/D, Cidadão Brasileiro.

Vivi em Portugal desde 1990 até 2013. Hoje vivo no Rio de Janeiro - Brasil.

Desde esta data, 1990, tenho tentado minha inscrição na Ordem dos Engenheiros Portugueses, não tendo conseguido.

Tentei a Ordem dos Engenheiros Portugueses.

Tentei a Embaixada Brasileira.

Tentei os tribunais portugueses, foi tudo tempo e dinheiro perdidos, ao longo destes 22 anos.

A atitude da Ordem dos Engenheiros Portugueses foi sempre de empatar, e ganhar pelo cansaço, conseguiram ............ foram sempre pessoas baixas e racistas em relação aos brasileiros.

Agora vejo os portugueses a voltarem ao Brasil, e EXIGEM direitos para poderem trabalhar livremente no Brasil ( engenheiros , arquitectos , etc .......), em plena concorrência desleal com os engenheiros brasileiros.

O que o Confea vai fazer em relação a esta invasão de profissionais estrangeiros ( principalmente portugueses ), depois do tratamento racista que tiveram em relação á 153 profissionais Brasileiros, em Portugal ????

Devíamos dar do mesmo veneno aos Portugueses, e não deixar trabalharem no Brasil.

Vi em um blogue um comentário seu:

http://www.blogizazilli.com/index.php/destaques/coluna-marco-alzamora/comment-page-1#comment-32397

Engenheiro civil. José Tadeu da Silva

“Entrada de profissionais estrangeiros preocupa sistema profissional”.

Brasília, 29 de maio de 2012.“A entrada de profissionais estrangeiros no país é uma situação que vem nos preocupando imensamente. Esta semana, inclusive, estamos discutindo o assunto com os presidentes de todos os Creas e com representantes das Entidades Nacionais. Trata-se de um problema de todos nós, profissionais brasileiros. E, nesse caso, de responsabilidade do Sistema CONFEA/CREA.”

Engenheiro civil. José Tadeu da Silva

Presidente do CONFEA-Conselho Federal de Engenharia e Agronomia

Será que verei de parte do Confea, e do Sr. Presidente Engenheiro José Tadeu da Silva, a devida resposta à Ordem dos Engenheiros Portugueses, com a mesma reciprocidade do que fizeram à 153 profissionais Brasileiros em Portugal ?

Caro Sr. Presidente Engenheiro José Tadeu da Silva, sei que não é culpado desta situação dos 153 profissionais Brasileiros em Portugal, mas agora é o presidente do Confea, e tem responsabilidades, peço que actue no sentido de negar, e dificultar ao máximo a vida dos profissionais portugueses no Brasil, em reciprocidade ao que fizeram a mim ( Ramiro Lopes Andrade ), e aos meus outros 152 colegas aqui em Portugal.

Aguardando vossas prezadas notícias, apresento os votos de muito sucesso no Confea.

Ramiro Lopes Andrade

Engenheiro Civil

Crea-RJ

Reg. nº 1988100377

strik disse...

Sou portugues , e nem sou engenheiro civil, mas de logo estou do lado dos brasileiros nesta questão, pois é sabido que mesmo a comunitários (como foi o caso da minha esposa), para adquirir equivalências é o diabo, depois admiram-se de levarem da mesma moeda, ao menos as instituições brasileiras preocupam-se e tentam proteger os seus profissionais o que nao acontece deste lado do atlantico

Anónimo disse...

A Ordem dos engenheiros pedia para os brasileiros fazerem um exame para serem admitidos tal como pedia aos portugueses com curso no ISEP e etc... Mas o CONFEA nem essa porta abre aos portugueses.....os brasileiros ainda sao raça pior mesquinha e vingativa. mandem os estudantes brasileiros que estao nas universidades portuguesas de volta ao Brasil para porque eles pagam uma pequena parte da propina e a maioria da despesa que o estado portugues tem com esses brasileiros é o contribuinte portugues falido que paga a fatura. Portugal abre os olhos

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO