terça-feira, 26 de julho de 2011

Guerra entre a ANET (futura OET) e a Ordem dos Engenheiros

A alteração do Regulamento de Admissão e Qualificação (RAQ) abriu mais uma guerra entre a Associação Nacional dos Engenheiros Técnicos (ANET) - futura Ordem dos Engenheiros Técnicos (OET) - e a Ordem dos Engenheiros (OE). A alteração mais significativa centra-se na admissão dos licenciados pós-bolonha, ou seja, licenciados com apenas três anos de estudos superiores. Até agora apenas a ANET admitia as pessoas com o primeiro ciclo de formação, correspondente aos 180 ECTS.

A ANET acredita, e sempre afirmou, que é possível formar convenientemente engenheiros técnicos em ciclos curtos de estudo, e afirma-se como a associação nacional representativa desses profissionais de forma exclusiva. Já a Ordem dos Engenheiros não alinhava nesta ideia da formação adequada em apenas três anos de estudos superiores. A questão é que com esta alteração do RAQ por parte da OE, pode haver conflito de interesses entre as duas associações o que acabará por ser prejudicial para pelo menos parte dos profissionais.

E, claro, a ANET aproveitou esta situação para dizer que isto vem demonstrar que eles é que sempre tiveram certos ao afirmar que era possível formar bons profissionais com apenas o 1º ciclo de estudos. A OE ao voltar atrás no que dizia acabou por de certo modo dar um tiro nos pés. Esta reviravolta de posições por parte da OE pode ser encarada como um reconhecimento da razão alheia, ou então, como uma mera decisão táctica (por sentir que está a perder terreno para a futura OET) ainda que vá contra aquilo que a própria OE defende (e a ser este o caso, devia ter sido tomada há muito mais tempo). Em ambas as hipóteses, a Ordem dos Engenheiros não sai bem da fotografia...

Vamos aguardar para ver no que isto dá, mas é certo que a "guerra" está instalada. E só se antevêem duas hipóteses:

1 - Este conflito de admissão de profissionais é sanado, ficando então os do 1º ciclo para a futura OET com a classificação de Engenheiros Técnicos, e a Ordem dos Engenheiros continua tal como estava até agora mas sai muito mal vista desta situação toda.
2 - Este conflito de admissão de profissionais mantém-se, e então este pode muito bem ser o inicio do fim da futura OET.

E vocês, o que acham desta polémica que promete dar que falar no mundo da engenharia portuguesa?









7 Comentários:

Carlos Lisboa disse...

OE dá um belo tiro de canhão nos pés e dá razão a anos de luta dos engenheiros técnicos pela sua dignidade. Será que é desta que a classe se une e deixa de haver corporativismo e demagogia na OE?
Para bem da engenharia espera-se que sim.

Anónimo disse...

Se querem melhorar a qualidade dos actos de Engenharia em Portugal, os exames de acesso a OE nao deveriam ser apenas para cursos nao creditados pela OE,mas sim para todos os licenciados de todas as universidades.
Há muitos Engenheiros oficialmente inscritos na OE que nao deveriam la estar

Anónimo disse...

A OE quando deveria ter aceite os licenciados 1º ciclo imediatamente rejeitou essa hipótese e ao deparar-se com o erro que cometeu veio agora querer fazer o reconhecimento...é como o Narciso que só aparece quando não é preciso!
De facto penso que os licenciados de 1º ciclo estão bem se borrifando para o "clube elitista" OE uma vez que a OET os aceita com muito gosto.

Anónimo disse...

A OET- antiga ANET - tem realizado muito bem as suas fuções, e tem tido uma atitude sempre coerente e correcta. A OE, com esta atitude, só demonstra falta de caracter e de verticalidade. Tenho um mestrado em Engª e poderia estar na OE, mas é com muito orgulho que pertenço á ANET/OET, pois foi lá que me aceitaram quando tinha apenas o bacharelato, e sempre me senti muito bem tratado e defendido por esta "casa". A OE que fique lá com a sua prepotência e o seu corporativismo. Estou curioso para ver como a OE vão "tratar" os licenciados pos-Bolonha...

Anónimo disse...

A OE o que pretende são as cotas ao fim do ano, pelo menos é o que vejo na atitude deles. Tenho licenciatura pré-bolonha e mestrado e enquanto continuar a existir a ANET/OET lá continuarei.

Anónimo disse...

Se querem pertencer à OET por lá fiquem. Eu por mim tanto faz, pois não defendo uns nem outros apesar de pertencer á OE. Apesar de haver isso, nem vocês se calhar sabem que se pode pertencer à OE quando se é estudante!!
Penso que por trabalhar quase só com pessoas da OET (ANET), que eles se tornaram elitistas.
Eu sou é pelas coisas bem feitas.....

Anónimo disse...

Quem conhece as posições elitistas e de "dona da engenharia" sempre defendidas pela OE, não deixa de estranhar este arrepiar de caminho. De facto nunca fez sentido a existência de duas ordens profissionais para engenheiros em Portugal.Deveria apenas haver uma ordem, sejam a OE ou OET ou outra nova, onde cabessem todos os profissionais, devedamente escalonados em função da sua formação académica e experiência profissional.

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO