terça-feira, 16 de janeiro de 2018

O que aconteceu na bancada do estádio do Estoril?

Esta é a pergunta que muita gente tem feito nas últimas horas e aparentemente ainda não há resposta para a mesma. O mais surpreendente é que a bancada norte do Estádio António Coimbra da Mota, o estádio do Estoril, foi inaugurada em Setembro de 2014, ou seja, há pouco mais de 3 anos.

O que se sabe, segundo o Observador, é que a bancada norte do António Coimbra da Mota foi uma obra da Farcimar, Soluções em Pré-Fabricados de Betão S.A., com sede na Zona Industrial de Farrapa, em Arouca, sendo inaugurada em setembro de 2014 com o objetivo de cumprir os requisitos obrigatórios para a realização de encontros europeus. Ou seja, e apesar de já ter indícios de algum desgaste, como alguns espetadores testemunharam, é muito recente, pelo que se estranhou as visíveis fissuras nas paredes e no chão.

Veja de seguida as diversas imagens do problema estrutural no Estádio António Coimbra da Mota e deixe-nos a sua opinião sobre o que terá acontecido.










16 Comentários:

Fernando Miguel disse...

Das fotos que analisei penso que foi um assento da estrutura isto porque vendo bem alguma fotos temos fraturas na alvenaria e em redor dos pilares mas propriamente na a estrutura em si não vejo qualquer problema mas se não for feito intervenção talvez a estrutura (pilares, lages e vigas) iram sofrer algumas deformações sendo assim vai haver assentamentos ao longo do tempo até quanto tivermos o assentamento final.

Abel M. J. Silva disse...

Parece que a obra terá sido executada em leito de cheia de uma linha de água, incluida em Reserva Ecológica Nacional. Por outro lado, deve ter sido fundada em terreno instável ou aterro pouco consolidado, não tendo havido a preocupação de executar fundações adequadas, por meio de estacas ou micro-estacas. Essas falhas (de projecto ou de construção) causaram, certamente, assentamentos, com a consequente abertura de fissuras e desestabilização da estrutura.

Jose Maria dos santos carrondo disse...

Bom dia analisando as fotos não me parece ser problema estrutural mas sim mais a nível da compactação dos terrenos porque junto a sapata do pilar não abateu mas sim a nível da lage terea e paredes de alvenaria tem muitos problemas de mais execução mas a nível de acabamento e difil só com fotos fazer uma análise correta mas é o que me parece

rodrigo manoel pires amaral disse...

As fotos de fato nos limitam os entendimentos, porém parece bastante característico a presença marcante
do fenômeno da punção da laje pelo subdimensionamento de armadura de cisalhamento. Se for constatado esse fato de puncionamento o risco é eminente, medidas devem ser tomadas de imediato com a interdição da estrutura porque subdimensionamento de armadura de cisalhamento é ruptura imediata. Todo cuidado é pouco...

Jorge Cravo Roxo disse...

Olá! Analisando bem o comportamento das fissuras expostas nas fotos, não há dúvida que os caboucos daquelas paredes foram calculadas para a construção de um simples galinheiro e o encontro das alvenarias com a estrutura terá sido não um encontro mas sim um encosto.
Estão para aí a falar em fenómenos de punçoamento mas não parece que haja qualquer relação, pois olhando para duas das fotos é visível o encosto da laje às vigas que devem ser de travamento, pois o afundamento dá-se em "T"... parece-me,.. estamos a especular sem analisar a estrutura por cima na bancada que aí sim talvez fosse feita uma ideia mais concreta e correcta da situação.
é a minha opinião...vale o que vale.
abraço

angelo sumana disse...

É verdade que só pelas fotos é difícil ter uma ideia consistente sobre o que possa ter acontecido mas parece me na base do pilar houve punçoamento. Isto é um facto. Será que o projectista esperava apoiar o pilar na laje? Se sim, dimensionou mal a armadura para absorver o esforço transverso. Se não, então a sapataria cedeu. Cedeu demais, porque em qualquer obra prevemos assentamentos, mas, admissíveis. Ou por outra presença de lençóis de água: erros de estudos ou ausência de estudos geotécnicos. É o que me passa pela cabeça agora. Posso mudar de opinião.

Carlos Manuel Guerra Raposo disse...

a bancada esta firme pelo que se ,o piso das casas de banho é só esta acente em blocos de cimento ,deve ter sido feito depois das bancadas ,só esta colado aos pilares não se ve sinais de levar ferro a bancada não vai cair

Jorge dos Santos Cravo Roxo disse...

Numa analise muito superficial através destas fotografias não parece ter havido qualquer deslocamento da estrutura resistente, ou seja o terreno "afundou" na envolvente ao pilar mantendo-se este, também, aparente inalterável.
Na minha opinião poderão estar na origem destes abatimentos eventuais caixas de esgotos "rotas" ou tubagem de abastecimento de água com fuga, que provocam a saída das partículas finas dos solos daquela zona aumentando os vazios entre os solos de eventuais aterros do pavimento. Ou deficiência na drenagem de águas pluviais ou outras derivadas dos desvios da ribeira, uma vez que tudo se passa "aparentemente" na zona das instalações sanitárias.
Pelas fotografias não é visível nenhuma deficiência da estrutura, apenas é visível em rebocos e alvenarias e esses elementos não são nem deverão ser elementos resistentes.
Que falta nos faz ainda hoje o Excelentíssimo mestre e prof. Eng. Edgar Cardoso...A comunicação social faz muito alarido e fala à tôa !
É a minha opinião...
Jorge Cravo Roxo

augusto disse...

Ora viva a todos. Tendo lido de relance os comentários aqui postados apercebi-me que as opiniões são mais ou menos consonantes e referem-se à questão em termos estruturais. Só que ninguém se lembrou de mencionar em como e quando estas anomalias ocorreram, uma vez que o problema só foi trazido a público aquando da realização dum jogo de futebol concerteza do conhecimento de todos em que a equipa dita superior perdia com a outra dita mais fraca. Pergunta: ninguém acha isto estranho? ou estou mal informado ou sou mal intencionado!

Jorge Cravo Roxo disse...

Não era preciso ser grande especialista para avaliar o que estava a acontecer com o abatimento dos solos de aterro na zona do assentamento debaixo das bancadas ou daquela bancada.
O que me deixou perplexo foram as afirmações do bastonário da ordem dos engenheiros...Está bem entregue!

Zeca Nanda Nanda Zeca disse...

Parabéns, muito bem! Boa análise há 3 dias, sabendo-se hoje o que vem mencionado no relatório do LNEC. O sr. Fernando Miguel devia de ser contratado pelo LNEC.

Zeca Nanda Nanda Zeca disse...

Muito bem!

Zeca Nanda Nanda Zeca disse...

Mal intencionado, para não dizer mais!

Zeca Nanda Nanda Zeca disse...

Candidate-se! Tem futuro!

António Sebastião Jesus disse...

Provavelmente foi o peso do golo que fez ruir as alvenarias. Podiam ter terminado o jogo,porque mesmo sem paredes a estrutura manten-se estável.

Fernando Miguel disse...

Estou a tirar engenharia civil era um pouco mau não perceber o que realmente se passou.

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO