segunda-feira, 22 de maio de 2017

Grupo dst constrói edifício em Loulé para a Leroy Merlin

O grupo dst está a construir o edifício comercial da insígnia Leroy Merlin, uma empreitada inserida no complexo comercial que está a ser construído em Loulé, o maior da região algarvia. A obra deverá estar concluída em outubro do corrente ano, assumindo-se como mais uma importante alavanca para a economia local.

Com uma área de implantação de 9.830 metros quadrados, o edifício comercial que vai albergar a Leroy Merlin é constituído por dois níveis de parque de estacionamento, armazém e área de vendas, sendo que no interior serão ainda construídos dois mezaninos para áreas técnicas e sociais. Uma das complexidades técnicas desta obra prende-se com o facto de ser necessário um volume de escavação superior a 50 mil metros cúbicos em terreno rochoso. No exterior serão efetuados trabalhos de enquadramento paisagístico e viários, para ligação às infraestruturas existentes. Esta obra apresenta um valor de negócio superior a 6,8 milhões de euros.
Para José Teixeira, presidente do Conselho de Administração do grupo dst, esta empreitada “vem confirmar a confiança que as grandes insígnias depositam no trabalho que efetuamos, mesmo em obras de grande complexidade técnica”, frisando ainda que “é para nós motivo de orgulho estarmos a participar num projeto essencial para a economia local, designadamente no que concerne à criação de emprego”.
A loja Leroy Merlin de Loulé representa para a marca uma continuidade da sua estratégia de expansão, oferecendo uma gama alargada de produtos e serviços que pretendem trazer inúmeras soluções para a casa dos habitantes, reforçando a sua oferta na região do Algarve. Desde o grande projeto, passando pela renovação e manutenção, até às pequenas melhorias da casa, desde as soluções mais técnicas às mais decorativas. Em Portugal a Marca conta, atualmente, com 11 lojas de norte a sul do país, a que se irá agora juntar o espaço em construção na cidade de Loulé.







3 Comentários:

António Sebastião Jesus disse...

A água é uma das nossas maiores riquezas, no entanto o sua má gestão já nos estão a criar problemas.A água é muito mal aproveitada no nosso pais,por ignorância ou irresponsabilidade, sem água não há vida.assim a terra vai-se desertificando, o clima alterando e a qualidade de vida piorando.

João M. Sousa disse...

O seu abuso e desperdício, temos sido chamados a atenção. A natureza já deu sinal, no entanto, estamos perante o velho ditado; só nos lembramos de Santa Bárbara quando troveja. Lembro-me de alguns anos (bastantes até) que, uma delegação de Israel numa visita a Portugal, chamou a atenção para o desperdício de água detetada, como sempre as autoridades portuguesas continuaram a assobiar para o lado.

António Sebastião Jesus disse...

É uma grande verdade,só nos lembramos da Santa quando troveja. É que eu,que já por cá ando há uns bons anos recordo que nos meus tempos de menino, as brincadeiras eram nas valetas com barquinhos por nós construídos,por nelas corria água quase todo o ano. Os Invernos eram rigorosos,meses sem se poder trabalhar no campo,as estações do ano eram nítidas, e hoje graças ao desperdício a pouca água que chove, mal aproveitada vai quase toda para o mar, enquanto o campo se vai desertificando, tudo graças aos assobios para a lateral. É a vida!

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO