sexta-feira, 21 de abril de 2017

Recuperação da Irmãos Cavaco em risco

A aprovação do plano de recuperação da construtora Irmãos Cavaco está dependente do voto da Caixa Geral de Depósitos (CGD), revelou o administrador judicial da empresa, Francisco Duarte. Esta semana decorreu no Tribunal de Oliveira de Azeméis a assembleia de credores, e 28,5% votaram contra o plano de recuperação da empresa, apresentado pela sua administração. Entre os credores que votaram contra estão o BCP, o Santander Totta, as Finanças e vários trabalhadores da construtora de Santa Maria da Feira.

Um grupo de cinco credores que representam 12,7% dos votos, onde se inclui a CGD, o BIC e a Segurança Social, pediram para votar por escrito no prazo de dez dias. Os votos destes credores vão determinar se o plano de recuperação da Irmãos Cavaco é aprovado ou não, destacando-se neste particular a CGD que sozinha pode chumbar o plano caso o seu voto seja contra.

"Só a Caixa representa 5,1% dos votos, o que quer dizer que se votar contra, automaticamente chegamos aos 33,4% dos votos, que são suficientes para chumbar o plano", disse Francisco Duarte.
A Irmãos Cavaco foi oficialmente declarada insolvente em agosto de 2016, depois de o Supremo Tribunal de Justiça ter revogado o segundo Processo Especial de Revitalização, que estava em curso desde 2015.

Fundada há 40 anos, a Irmãos Cavaco é uma empresa especializada em obras hidráulicas.









Seja o primeiro a comentar

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO