segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Instalações desportivas e a construção sustentável

Na passada 6ª feira tive a oportunidade de participar no congresso da APOGESD – Associação Portuguesa de Gestão de Desporto, cujo tema principal foi O Desporto nas Cidades do Futuro.

No painel onde intervir tinha como tema Boas práticas em instalações desportivas e espaços urbanos. A intervenção que gostava de destacar foi a do Joaquim Carvalho sobre a Academia de Ginástica de Guimarães.

Guimarães teve desde o início uma preocupação em desenvolver um projeto distinto, numa perspetiva da Sustentabilidade. Assim foram implementadas diversas medidas sendo o edifício quase zero de carbono.

Além de ser um exemplo de construção sustentável pelas diversas medidas com vista à sustentabilidade, verifica-se que o retorno do investimento adicional inicial será recuperado em 10 anos.

Mas além disso, existe uma ligação ou interesse de ligação ao espaço tão elevada, que neste momento têm já inscrições para 2 instalações! Guimarães conseguiu criar uma forma de tornar ainda mais interessante a prática da ginástica, podendo mesmo ser já uma moda.
Assim com o sucesso que têm tido com este projeto, pretendem repensar a forma de investimento no município, tendo sempre a componente de construção custentável sido tida em conta. E querem sempre fazer mais e melhor, julgo porque têm a noção que tornam as instalações muito mais atrativas. Parece-me mesmo que este pode ser o caminho, para deixarmos de ter instalações desportivas com um uso reduzido.

---
Artigo escrito por Susana Lucas do SEIbySusana.










Seja o primeiro a comentar

Publicar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO