segunda-feira, 3 de julho de 2017

Apoio a pellets criticado

A Assembleia Geral da Federação Europeia do Setor dos Painéis Derivados de Madeira (EPF) que terminou esta sexta-feira, no Porto, lançou um apelo para que se acabem os apoios dados ao fabrico de pellets. De acordo com aquela federação, é urgente parar com as distorções do mercado geradas direta e indiretamente pelos apoios dados à queima de madeira.

Estima-se que sejam exportadas de Portugal, anualmente, entre 700 e 800 mil toneladas de pellets para serem usadas como combustível na Europa, desperdiçando a oportunidade de utilizar este recurso natural em aplicações de maior valor acrescentado e que geram mais empregos para a economia portuguesa.

A federação assinalou também que a capacidade de produção de painéis de aglomerado de partículas (PB) e de fibras de madeira (MDF) permite armazenar o equivalente a 1.2 milhões de toneladas de CO2 por ano em painéis que podem ser utilizados em aplicações para mobiliário e construção.

Numa economia circular, que se tem vindo a desenvolver e a aprofundar, verifica-se já hoje a incorporação anual de mais de 280 mil m3 de madeira reciclada como matéria-prima dos painéis derivados de madeira evitando a deposição de resíduos de madeira em aterro, e estendendo o valor desta importante matéria-prima.

A Federação Europeia do Setor dos Painéis Derivados da Madeira (EPF) representa empresas de 25 países europeus e um volume de negócios agregado de 22 mil milhões de euros anuais e mais de 100 mil empregos.

Esta Assembleia Geral teve como parceiro organizador a Sonae Arauco, que é membro da sua direção.







Seja o primeiro a comentar

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO