quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Ordem dos Engenheiros vai certificar currículos

A Ordem dos Engenheiros - Região Norte (OERN) está a desenvolver um projeto inédito a nível mundial de certificação dos currículos dos engenheiros. Este projeto que se iniciará em 2016 representa um investimento de meio milhão de euros e terá financiamento do QREN. A Ordem dos Engenheiros conta que em 2017 o projeto já esteja totalmente operacional.

O projeto Valorie consiste num sistema curricular de desenvolvimento profissional que atesta e regista as competências dos engenheiros, conforme os atos de engenharia em que cada um adquiriu experiência. Dessa forma, cada profissional terá um curriculum vitae (CV) registado e certificado na Ordem que simplificará as exigências dos concursos públicos.

Segundo a explicação de Fernando Almeida Santos, presidente da OERN, "em obras públicas são pedidos os currículos técnicos dos engenheiros e o que acontece é que as empresas ajustam os currículos à medida do que é pedido, criando uma falta de transparência que este novo CV irá contrariar. Queremos que os decisores, o Governo e a opinião pública exijam o CV certificado pela Ordem, pois é imutável, verificado e cria transparência e confiança pública".

Segundo o responsável da OERN este Cartão Europeu do Engenheiro é um conceito que tem como objetivo a sua exportação, embora o primeiro desígnio seja o de ajudar o estado português. Além disso este cartão facilitará a mobilidade dos engenheiros portugueses, facilitando a sua internacionalização. No entanto Fernando Almeida Santos destaca que vê a internacionalização dos engenheiros portugueses como algo bom numa lógica de crescimento das empresas portuguesas e não numa perspetiva de emigração.
Esta iniciativa vai incluir os 44 mil engenheiros inscritos na OERN, mas também os representados por três associações galegas e irá contribuir para a validação do referido "Cartão Europeu do Engenheiro" capaz de estabelecer equivalências, desde a formação à experiência, entre profissionais de diferentes países.

Fonte: Dinheiro Vivo







1 Comentário:

grodrigues disse...

Para poder trabalhar lá fora (Europa) não vai ser o certificado da Ordem que vai fazer a diferença! A Ordem devia realmente trabalhar no reconhecimento dos diplomas pois isso não acontece na realidade e o processo de Bolonha não ajudou! Vejam este site se quiserem trabalhar num país da Europa http://www.enic-naric.net/

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO