quarta-feira, 26 de abril de 2017

Projetos eólicos na Alemanha

Atualmente, o Planeta Terra vem passando por diversas mudanças climáticas decorrentes do aquecimento global, as principais causas estão relacionadas às práticas não sustentáveis praticadas pelo homem que agridem diretamente o meio ambiente. A degradação do meio ambiente está relacionada ao aumento de alguns gases, principalmente o dióxido de carbono – CO2, o gás metano – CH4, o óxido nitroso – N2O, fluorhidrocarbonos e perfluorocarbononos.

Queimadas, poluição, desmatamento são alguns dos causadores da degradação ambiental e que tem colaborado para o aumento dos efeitos do aquecimento global no qual todos nós atravessamos atualmente. As consequências do aquecimento global estão relacionadas ao degelo das calotas polares, o que eleva o nível dos oceanos, a extinção de algumas espécies de animais, problemas ambientais de ordem ecológica e o aumento das temperaturas médias nos oceanos e atmosfera.

Não há consenso na comunidade científica sobre a ocorrência do aquecimento global, os céticos do clima acreditam que o gás carbónico não é capaz de gerar efeitos conclusivos sobre o clima na questão do efeito estufa. Nessa guerra científica de opiniões adversas, a Conferência do Clima da ONU, COP-21, conseguiu um feito inédito em Paris no ano de 2015 envolvendo quase todos os países do mundo. O Acordo de Paris foi validado por 195 países membros da Convenção do Clima da ONU em um esforço para reduzir as emissões de carbono e conter os efeitos do aquecimento global que valerá a partir de 2020.

E o que os países que assinaram o Acordo de Paris estão fazendo para manter o aquecimento global muito abaixo dos 2º C? Muitos países estão investindo recursos financeiros em projetos de energia renovável, solar, eólica e biomassa, como é o caso da Alemanha. Em 2015, a produção de energia renovável na Alemanha ficou em cerca de 33%, a previsão para 2025 é que 40 a 45% da eletricidade consumida no país seja proveniente de fontes renováveis, ou seja, a meta tende a crescer a cada dez anos muito mais do que o proposto em 2015.
A agência alemã Bundesnetzagentur selecionou por meio de leilão quatro projetos eólicos offshore da Dong Energy e da EnBW que serão desenvolvidos no Mar do Norte com capacidade de 1.490MW, sendo 900MW da EnBW He Dreiht, Dork Borkum Riffgrund II Oeste, Gode Wind 3 e OWP West. As licitações são elegíveis em rodadas de projetos em 2017 e 2018 para os Mares do Norte e Báltico compreendendo um volume total de cerca de 6.000 MW a 7.000MW respectivamente.

A previsão é que os parques eólicos sejam colocados em operação entre os anos de 2021 e 2025, além do que, todos os projetos bem sucedidos terão direito a financiamento ao abrigo da Lei das Fontes de Energia Renováveis e a possibilidade de explorar os parques eólicos durante 25 anos.

E que mais projetos de energia renovável sejam desenvolvidos ao redor do mundo, atitudes como estas tendem a beneficiar todos os habitantes do planeta, consequentemente haverá redução na temperatura, assim esperamos todos nós.

---
Artigo escrito por Marisa Fonseca Diniz.









Seja o primeiro a comentar

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO