quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

Balanço do mercado de investimento imobiliário em Portugal em 2013

Segundo a consultora imobiliária global Cushman & Wakefield (C&W), 2013 foi o ano de recuperação da atividade de investimento imobiliário no setor comercial. Invertendo a evolução negativa que se verificava desde 2008, o ano de 2013 trouxe ao mercado de investimento imobiliário alguns sinais de retoma da confiança dos investidores.

As estimativas provisórias de fecho de ano para o volume de investimento em ativos de imobiliário comercial em Portugal (excluindo eventuais transações de Fundos de Investimento Nacionais durante o mês de Dezembro) apontam para um total de €289 milhões, quase o triplo do volume registado em 2012, e 60% acima dos €167 milhões transacionados em 2011. Ainda assim, estes são volumes abaixo da média dos últimos dez anos, que se cifrou próxima dos €600 milhões.

Estes valores estão em linha com as expectativas formuladas pela C&W no final do primeiro semestre do ano, que apontavam já para uma maior procura de ativos imobiliários por parte dos investidores. De acordo com Luís Rocha Antunes, partner e diretor do departamento de investimento da consultora, “a acalmia no mercado de dívida pública, as melhorias nos indicadores económicos, bem como o bom comportamento de Portugal no programa de ajustamento, foram importantes contributos para a recuperação do mercado, que se irá seguramente manter e mesmo acentuar ao longo de 2014. Contudo, a perspetiva dos investidores é ainda revestida de alguma cautela, nos pressupostos de sustentabilidade das rendas ena exigência de taxas de retorno, que devem ainda compensar a tomada de risco acima da média europeia e as ainda dificuldades no acesso ao crédito.”
Apesar de o investimento estrangeiro se ter mantido em volumes reduzidos face ao passado, representando 29% do total investido, o ano foi caracterizado pelo regresso ao mercado dos fundos de investimento imobiliário alemães, tidos como mais avessos ao risco. Em relação ao tipo de investidores nacionais no mercado, os fundos de investimento portugueses foram os mais ativos em termos de número de transações, sendo responsáveis por 27% do volume total investido. O volume médio por negócio de investimento comercial confirma o maior dinamismo no mercado, e situou-se nos €15 milhões, em linha com a média dos últimos dez anos.

O maior negócio do ano foi a compra dos restantes 50% do centro comercial CascaiShopping por parte da Sonae Sierra à britânica Rockspring, o que impulsionou a primazia do setor de retalho durante 2013, responsável por 58% do total de investimento comercial. O setor de escritórios foi o segundo com maior peso, e também onde se verificaram as seguintes maiores transação do ano - a compra do Báltico Office Center pelo fundo imobiliário alemão Deka à Mota-Engil por 43€ milhões; e a compra, por parte do investidor suíço AFIAA por cerca de €30 milhões, dos edifícios Espace e Explorer no Parque das Nações. Neste último negócio, a C&W atuou em nome do vendedor dos edifícios, a TMW Pramerica Property Investment GmbH, uma subsidiária da Pramerica Real Estate Investors.









Seja o primeiro a comentar

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO