terça-feira, 31 de Janeiro de 2012

Edifer com situação insustentável

Vera Pires Coelho, presidente do conselho de administração da Edifer, enviou um comunicado aos trabalhadores da empresa onde afirma que "A situação de tesouraria continua insustentável e resulta da seguinte espiral negativa: clientes importantes não nos pagaram e, em consequência, temos vindo a atrasar pagamentos aos nossos fornecedores que são determinantes para a nossa actividade e começámos a registar quebras na produção das nossas obras com a facturação a diminuir sistematicamente mês após mês". Diz ainda que a empresa não está "a conseguir desbloquear os fundos necessários para regularizar as dívidas".

A Edifer emprega em Portugal cerca de 900 trabalhadores, que estão assim com os seus salários em atraso. É a segunda notícia do género a surgir hoje, depois de já aqui termos dado conta da situação de salários em atraso na FDO.

Ler o resto do artigo >>

FDO tem salários em atraso

Confirmaram-se hoje os rumores da existência de salários em atraso na FDO. Segundo a directora de comunicação e marketing a empresa tem em atraso o salário de Dezembro, o subsidio de Natal e metade do salário de Novembro. Estava prometido aos trabalhadores que a situação fosse resolvida a semana passada, mas até ao momento isso ainda não aconteceu. Em declarações à lusa uma fonte da empresa disse que "Ainda não regularizámos a situação, mas a administração continua a fazer todos os esforços para o conseguir o mais rapidamente possível". A directora de comunicação e marketing da FDO garantiu que a situação é pontual e que será resolvida até ao final da semana. A empresa de Braga emprega cerca de 400 trabalhadores que se vêem apanhados nesta situação "pontual" que se arrasta há dois meses!

Esta situação vem dar força aos rumores que circulam no mercado há alguns meses que a FDO pode estar para entrar em insolvência em breve.

Adenda: Não perca também o artigo FDO a um passo da insolvência.

Ler o resto do artigo >>

Um erro que custou 8 milhões de euros

A Câmara de Braga vai desistir da construção de uma piscina olímpica na zona envolvente ao estádio AXA, ideia que tem já alguns anos. Isto não teria nada demais não fosse o facto da fase de estrutura da obra estar concluída desde 2008 e ter custado 8 milhões de euros. Para o que falta construir estavam previstos 12 milhões de euros, mas a Câmara de Braga não tem conseguido atrair investimento nesse sentido, pelo que a solução será desistir da ideia. O número dois da Câmara bracarense, Vítor Sousa, afirmou que mais vale reconhecer o erro e procurar outras soluções.


O projecto inicial previa que fossem construídas duas piscinas de competição e uma de recuperação. Estas piscinas seriam um complemento do estádio AXA e fariam parte do novo parque desportivo da cidade, o Parque Norte. Posta de lado esta hipótese, a solução poderá agora passar por um parque aquático, no caso de aparecer um investidor privado interessado nisso.

Ler o resto do artigo >>

O Futuro das Cidades

Foi apresentado no passado dia 20 de Janeiro, no Museu Nogueira da Silva em Braga, o livro O Futuro das Cidades, da autoria de José Mendes, Professor Catedrático da Universidade do Minho e actual Vice-Reitor da referida academia. A apresentação do livro contou com a presença de Luís Braga da Cruz, presidente do Conselho Geral da Universidade do Minho, e de Carlos Abreu Amorim, deputado do PSD e docente na Universidade do Minho. Os elogios à obra foram vastos, havendo mesmo quem afirmasse que nas próximas eleições autárquicas os candidatos deveriam ser obrigados a ler este livro.

Luís Braga da Cruz afirmou ser um privilégio ler este livro, "dada a inspiração que neste se encontra presente, uma vez que as cidades se especializaram, residindo o segredo no estabelecimento da complementaridade entre as cidades: é a organização dos municípios e consequente especialização que os pode tornar mais competitivos. Em suma, apresenta uma visão clara e contemporânea do futuro das cidades"

Por sua vez, Carlos Abreu Amorim destacou o quão "estimulante e motivador foi regalar os olhos a cada página desta peça escrita, no qual a ousadia e até mesmo alguma utopia predominam".

Segundo o autor do livro O Futuro das Cidades, José Mendes, "a fusão dos municípios não deverá ser apenas considerada como uma forma de racionalização dos custos, mas deve-se falar antes do facto de gerar mais valor, criar mais sinergias e mais-valias".

José Mendes terminou a apresentação como começa a obra: “Não é um tratado urbanístico, não é um desenho futurista, pretende apenas ser uma proposta de futuro para as cidades do presente”.
José F. G. Mendes é professor catedrático de Sistemas Regionais e Urbanos na Universidade do Minho, onde ocupa actualmente o cargo de Vice-Reitor para a Inovação. Foi consultor para questões do planeamento do território em diversas instâncias nacionais e internacionais, como o Governo Português, o Governo Regional dos Açores, a Agência Portuguesa do Ambiente, a CCDR-Norte, o Gabinete para a Mobilidade Eléctrica, dezenas de municípios, a Comissão Europeia, a European Training Foundation, o Natural Environment Research Council (UK), entre outros. Foi docente e investigador convidado na Universidade de Bolonha (Itália), na Universidade de São Paulo (Brasil), na Silesian Technical University (Polónia) e na Universidade Eduardo Mondlane (Moçambique). É autor de vários livros e de dezenas de artigos científicos.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 30 de Janeiro de 2012

Acidente na Barragem de Foz Tua - Comunicado

Na sequência do acidente que vitimou três operários nas obras da Barragem de Foz Tua, a Barragem de Foz Tua, Aglomerado Complementar de Empresas (que integra a Mota Engil, a Somague e a MSF) emitiu um comunicado. Relembre-se que o acidente se deu no início da tarde de quinta-feira quando muitos operários ainda estavam a almoçar. Um deslizamento de terras na margem esquerda do rio Tua provocou o soterramento dos três operários que viriam a falecer. Leia de seguida o comunicado das empresas responsáveis.

Comunicado da empresa:
"A Barragem de Foz Tua, A.C.E., que integra as empresas Mota-Engil Engenharia, Somague e MSF, comunica que ocorreu hoje pelas 13,30 horas um acidente na obra a seu cargo de Construção da Barragem de Foz Tua, no concelho de Alijó.

Deste acidente resultaram a morte de três trabalhadores.

De imediato foram accionados os meios de socorro, Bombeiros Voluntários de Alijó, INEM, GNR e Protecção Civil, que acorreram de imediato ao local, e confirmaram os óbitos.

Informa-se ainda que apesar da equipa de trabalho cumprir com todos os normativos relacionados com os regulamentos de Segurança previstos na Lei, o acidente foi provocado pelo desprendimento súbito e inesperado de um maciço rochoso, que na sua queda atingiu os três trabalhadores, que se dirigiam à sua frente de trabalho.

A Administração da Barragem de Foz Tua, A.C.E. lamenta profundamente o acidente e transmite as condolências às famílias das vítimas."

Ler o resto do artigo >>

Brasil precisa de 60 mil engenheiros civis

Não é nova a carência que o Brasil tem de engenheiros civis, e quem acompanha o nosso site teve já inclusive a oportunidade de concorrer a vagas de emprego para engenheiros civis no Brasil. As razões maiores para este défice é a realização do Mundial de Futebol de 2014 e os Jogos Olímpicos no Rio de Janeiro em 2016. A somar a estas razões há também o crescimento económico do Brasil, e um factor que facilita o processo, a receptividade dos brasileiros a mão-de-obra estrangeira. Um dado interessante é que a maior parte dos imigrantes autorizados a trabalhar no Brasil no ano passado tinha já concluído o ensino superior.

Segundo Raquel Teixeira, ‘partner' de Human Capital da Ernst & Young, há um défice de 60 mil engenheiros no mercado nacional brasileiro. O Brasil, a maior potência económica da América do Sul, está actualmente a receber muitos imigrantes dos Estados Unidos, Índia e Filipinas.
Num momento particularmente difícil da economia portuguesa, o mercado brasileiro pode ser a salvação para muitos engenheiros civis que procuram emprego e possibilidade de crescimento profissional e económico, coisas cada vez mais difíceis de conseguir em Portugal.

Imagem: Obras no Estádio do Maracaná no Rio de Janeiro.

Ler o resto do artigo >>

domingo, 29 de Janeiro de 2012

Ajuste directo da Parque Escolar à Mota Engil chumbado pelo Tribunal de Contas

O ajuste directo no valor de 1,1 milhões de euros efectuado pela Parque Escolar à Mota Engil em Janeiro de 2011 foi agora chumbado pelo Tribunal de Contas. Este ajuste directo referia-se a obras na escola básica e secundária Passos Manuel em Lisboa. O contrato foi celebrado mais de um ano passado após a conclusão das obras a que diz respeito. A adopção do procedimento por ajuste directo apresentou ilegalidades o que levou à nulidade do contrato segundo o Tribunal de Contas. A consequência desta acção do Tribunal de Contas é que não seja efectuado o pagamento do mesmo, ou no caso de já ter sido feito, a responsabilização financeira de quem o autorizou.

Em sua defesa a Mota Engil invocou a excepção prevista na lei para casos de urgência imperiosa resultante de acontecimentos imprevisíveis pela entidade adjudicante, justificação essa que o tribunal rejeitou totalmente. Segundo provou o Tribunal de Contas, a situação resultante dos tais acontecimentos imprevistos era conhecida desde Dezembro de 2008.
Mais, os trabalhos em causa começaram a ser executados em Novembro de 2009 e terminaram em Janeiro de 2010, tendo este ajuste directo sido efectuado apenas em Janeiro de 2011. Segundo o Código Civil esta situação tipifica um negócio jurídico com um objecto fisicamente impossível, o que torna o contrato nulo. As infracções cometidas neste contrato podem dar origem a multas que vão de 500 a 20 mil euros.

Relembre-se que está em curso uma auditoria à Parque Escolar por parte do Tribunal de Contas para apurar se tem sido cumpridas as regras da contratação pública. A Parque Escolar foi criada em 2007 para gerir a modernização das escolas secundárias com um investimento superior a 2 mil milhões de euros.

Ler o resto do artigo >>

Causas da queda dos 3 prédios no Rio de Janeiro

O desabamento de três prédios no Rio de Janeiro tem despertado as atenções, e após o choque inicial iniciaram-se as peritagens para aferir as causas da queda dos prédios. Pelo que tem sido referido, a queda do edifício Liberdade originou a queda do edifício 13 de Maio e do edifício Colombo. O edifício 13 de Maio tinha 4 andares e situava-se entre os outros dois, ambos maiores. O edifício Liberdade tinha 20 andares e o Colombo tinha 10 andares. Nesta fase de averiguações das causas da queda existem 3 hipóteses mais fortes, hipóteses essas que apresentamos a seguir.

1- O edifício de 20 andares, o Liberdade, caiu de cima para baixo arrastando os outros dois, situação que pode ter sido causada pelo corte de uma viga.

2- Acumulação de materiais (cimento, areia e outros) nos andares o que poderá ter provocado um excesso de peso que provocou o colapso da estrutura.

3- Problemas nas fundações como consequência das fortes chuvadas que atingiram o Rio de Janeiro (as fundações dos prédios em causa são do tipo indirecto, por estacas, atingindo profundidades de 8 a 10 metros).

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 27 de Janeiro de 2012

Martifer fecha fábrica em Benavente

A unidade fabril de Benavente da Martifer Construções vai encerrar em Agosto, segundo uma comunicação do Grupo Martifer. Os trabalhadores souberam da novidade ontem, simultaneamente à apresentação de oportunidades de integração em outras unidades da empresa, nomeadamente no estrangeiro (Brasil, Polónia, Angola e Roménia). Em alternativa poderão também aceitar serem integrados na unidade fabril de Oliveira de Frades. A unidade fabril de Benavente emprega 120 trabalhadores.

Nos três primeiros semestres de 2011 a Martifer Construções apresentou prejuízos na ordem dos 31 milhões de euros e a empresa viu a sua carteira de encomendas na Península Ibérica cair de 10% do total do grupo para 3%, pelo que os responsáveis acharam essencial proceder a mudanças.

A Martifer vai participar na construção de dois estádios do Mundial de Futebol 2014 no Brasil, a saber:

- Estádio Fonte Nova em Salvador da Bahia;
- Estádio do Ceará.

Ler o resto do artigo >>

As melhores empresas de construção para trabalhar em Portugal em 2012

A Revista Exame organizou mais uma vez a eleição das melhores empresas para trabalhar em Portugal, lista essa que todos os anos invade as notícias. O ano passado demos conta do ranking das melhores empresas de construção para trabalhar em 2011, e agora vamos dar conta da lista das melhores empresas de construção para trabalhar em 2012. Nesta lista algumas empresas de construção repetem a presença em relação ao ano passado, embora em posições diferentes e com valores apurados diferentes. Vejam de seguida a lista das melhores empresas de construção para trabalhar em 2012.

Esta imagem foi uma fotografia tirada por nós à página da Revista Exame aonde se encontra este ranking. Destacamos o Grupo Alberto Couto Alves (ACA) que este ano é a melhor empresa de construção para trabalhar e que no ano passado estava em 2º lugar. Por sua vez a Conduril, o ano passado em 1º, está este ano em 6º. De resto destacamos a manutenção neste ranking das empresas DST - Domingos da Silva Teixeira, Lúcio da Silva Azevedo & Filhos, Sotecnisol e Construções Europa Ar-Lindo.

No que diz respeito ao ranking global, a melhor empresa de construção (Conduril) o ano passado estava em 30º e este ano a melhor (Grupo ACA) está em 25º. Apesar de uma ligeira melhora, destaca-se que as empresas de construção continuam muito longe dos lugares cimeiros do ranking das melhores empresas para trabalhar em Portugal. Aliás, tirando as duas primeiras (Grupo ACA e M.N. Ramos Ferreira), salta à vista que a terceira (Aqualongo) está apenas no 62º lugar do ranking geral.

Aqui ficam os nossos parabéns ao Grupo Alberto Couto Alves (ACA), que é, segundo o ranking da Revista Exame, a melhor empresa de construção para trabalhar em Portugal.

Ler o resto do artigo >>

quinta-feira, 26 de Janeiro de 2012

Ponte da Lezíria - A 2ª ponte mais extensa da Europa

A ponte da Lezíria é uma ponte que no que diz respeito à construção tem muita importância mas que nem sempre é conhecida como outras o são. Esta ponte começou a ser construída no verão de 2005 e foi inaugurada a 7 de Julho de 2007 pelo então primeiro-ministro José Sócrates. A ponte atravessa o rio Tejo e o rio Sorraia e liga o Carregado a Benavente, situando-se na A10. Um dos grandes objectivos desta ponte era o de desviar trânsito de Lisboa e descongestionar as Pontes Vasco da Gama e 25 de Abril. A extensão da ponte da Lezíria é de 12 km, sendo a 9ª ponte mais extensa do Mundo e a 2ª da Europa, atrás da também portuguesa ponte Vasco da Gama. A ponte da Lezíria custou 220 milhões de euros.

A ponte permite a circulação nos dois sentidos, sendo que cada um tem 3 faixas de rodagem. Foram aplicados 400.000 m3 de betão, 45.000 toneladas de aço, 3.000 toneladas de pré-esforço e 52.300 ml de estacas nas fundações. Ao todo a realização desta obra implicou mais de 7 milhões de horas de trabalho.

A construção da ponte da Lezíria é a maior obra pública nacional da primeira década do século XXI e a sua execução teve uma duração de 23 meses. A execução da obra foi levada a cabo pelo empreendimento empresarial TACE, que era constituído pelas empresas MSF - Moniz da Maia, Serra e Fortunatos - Empreiteiros, SA; Bento Pedroso Construções, SA; Lena Construções, SA; Construtora do Tâmega, SA; Novopca, SA; e Zagope, SA.

Fiquem de seguida com imagens da construção da ponte da Lezíria, e uma imagem da ponte já construída.

Ler o resto do artigo >>

A rotunda mágica

As rotundas são um elemento fundamental na definição do trânsito e muitas vezes são construídas por apresentarem vantagens evidentes em relação aos cruzamentos. Estes dias foi notícia a turbo-rotunda que se vai construir em Coimbra, a primeira de Portugal. Nesse sentido parece-nos oportuno falarmos da rotunda mágica, rotunda essa que foi construída a primeira vez em Swindon, na Inglaterra, em 1972. O desenho da rotunda mágica foi feito por Frank Blackmore e sucintamente originava trânsito no sentido dos ponteiros do relógio na rotunda central, e trânsito no sentido contrário ao ponteiro dos relógios nas cinco rotundas que se localizam no exterior da rotunda central.

Como se percebe por este desenho esquemático da rotunda mágica, a confusão instala-se muito facilmente, e só um povo muito organizado poderia circular nesta rotunda sem problemas de maior. E se calhar nem esses.

De seguida apresentamos uma fotografia aérea da rotunda mágica:
Deixamos ainda uma animação virtual que demonstra o funcionamento da rotunda mágica. Atentem na confusão que se gera se em vez de um software forem humanos a controlar os carros...

E por fim um vídeo amador que filmou o funcionamento real da rotunda mágica. Isto a uma hora de pouco tráfego... imaginem se fosse à hora de ponta!

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 25 de Janeiro de 2012

Construtoras querem estatuto especial para despedir

O governo terá já recebido o pedido da Federação da Construção para declarar o sector da construção como estando em reestruturação pelo que os limites legais para os despedimentos poderão ser ultrapassados no que concerne ao acesso ao subsídio de desemprego no caso dos trabalhadores que cessem contrato por mútuo acordo. A Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP) fez o pedido numa carta enviada ao primeiro ministro. No caso deste pedido ser aceite, situações como a da Soares da Costa passarão a ocorrer mais frequentemente.

A FEPICOP afirma que "Face à ausência de medidas capazes de travar a maior crise de que há memória na Construção, a FEPICOP pediu formalmente ao Governo que declare esta actividade como sector em reestruturação e que preveja, expressamente, a possibilidade das empresas de construção poderem ultrapassar as quotas legais para acesso ao subsídio de desemprego".

Diz ainda que é a "única forma de assegurar a sobrevivência das poucas empresas que se mantém activas e evitar a agudização dos problemas sociais decorrentes de um fenómeno de desemprego em massa".

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 24 de Janeiro de 2012

Mistério das Obras Públicas

O sector da construção civil é um dos mais permeáveis à crise económica que o país atravessa, e ainda hoje Manuel Reis Campos, presidente da AICCOPN, afirmou que por dia 200 trabalhadores na área da construção são despedidos e 10 empresas abrem falência. Grandes obras que foram planeadas mas não avançaram, obras que começaram mas não se acabaram, obras que se acabaram mas que não foram pagas, as razões são várias, mas o que é certo é que o sector da construção vive dias negros. Exemplo disso é a obra do Túnel do Marão, sem solução à vista, e que arrastou para o desemprego mais de 1000 trabalhadores. A SIC efectuou uma reportagem sobre o mistério das obras públicas, com especial destaque para o já referido Túnel do Marão (mas abordando outras como o aeroporto de Beja). Não perca de seguida o vídeo da reportagem.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 23 de Janeiro de 2012

A primeira turbo-rotunda em Portugal

Em Fevereiro vai começar a ser construída a primeira turbo-rotunda em Portugal, mais concretamente em Coimbra. Esta inovação rodoviária será possível devido a uma parceria entre a Câmara Municipal de Coimbra e a Faculdade de Ciências e Tecnologia de Coimbra. Ao Expresso, Ana Bastos, uma das coordenadoras do projecto, docente na Universidade de Coimbra, disse que "O principal objetivo é a diminuição dos acidentes. Mas as turbo-rotundas também permitem mais fluidez, maior segurança e melhorias ambientais, por existir menor concentração de dióxido de carbono". A rotunda contemplada com esta experiência será a da EN111 no Bolão, junto à estação velha.

De forma sucinta Ana Bastos explica em que consiste uma turbo-rotunda: "Tratam-se de rotundas onde se canalizam, através de lancis, os veículos desde a entrada à saída, de forma contínua e mais precisa do que a que se utiliza hoje, evitando entrecruzamentos no anel de circulação". A transformação da rotunda existente numa turbo-rotunda será realizada em duas fases:

1 - Até Março será efectuado o alargamento para duas vias;
2 - Em Agosto serão colocados os lancis e a sinalização para os condutores.
(infografia do Expresso sobre as turbo-rotundas

Até Dezembro espera-se que seja possível obter resultados suficientes para retirar conclusões sobre a instalação da turbo-rotunda.

"Este conceito não existe em Portugal e está a ter grandes resultados em outros países europeus. Na Holanda, levou a uma redução da frequência dos acidentes superior a 80%. Em 2007, a Holanda já contava com mais de 70 turbo-rotundas. A divulgação dos resultados alcançados na Holanda levou o conceito a outros países, tais como a Polónia e, mais recentemente, na Alemanha, Finlândia, Noruega e Eslovénia", acrescentou Ana Bastos.
(turbo-rotunda em Amsterdão, Holanda)

As turbo-rotundas foram criadas na Holanda em 1996 pelo investigador Lambertus Fortuijn da Universidade de Delft (conceituada universidade na área da engenharia civil). Este conceito surgiu como alternativa às rotundas normais e tinha como objectivo a redução do número de acidentes e o controlo do comportamento dos condutores na entrada e saída de rotundas.

Fiquem de seguida com um vídeo onde se explica o funcionamento de uma turbo-rotunda.

Ler o resto do artigo >>

Sistema anti-roubo de tampas de saneamento

Há uns dias publicamos uma imagem na nossa página do Facebook e inesperadamente a mesma foi um sucesso batendo todos os recordes da nossa página e espalhando-se rapidamente por centenas de pessoas. Nesse sentido parece-nos que a dita imagem merece honras de destaque no Engenharia e Construção, para que chegue a um maior número de pessoas. Ainda por cima o sistema que apresentamos na imagem dá resposta a um problema actual, que é o roubo das tampas de saneamento (no mercado negro vendem-se a 60 ou 70 euros cada uma). Assim, de seguida apresentamos o novo sistema anti-roubo de tampas de saneamento...

Entretanto aproveitamos para sugerir que se tornem fãs da nossa página do Facebook. Além de terem acesso a conteúdos exclusivos, ainda podem fazer download de um excelente dicionário de termos técnicos de engenharia civil.

Ler o resto do artigo >>

As obras em Guimarães para a Capital Europeia da Cultura (CEC)

A Capital Europeia da Cultura em Guimarães, à semelhança do que aconteceu no Porto no seu tempo, começa com a maior parte das suas obras a decorrer e ainda a alguns meses do término. Ao todo um investimento de perto de 50 milhões de euros para a Capital Europeia da Cultura que vai sendo concluído com o avançar do ano - se não houver derrapagem nos prazos, claro. Por um lado António Magalhães, presidente da Câmara de Guimarães garante que esta era a programação, que as obras fossem terminando ao longo do ano, por outro seria recomendável por todas as razões e mais algumas que as obras estivessem já concluídas (alguns concursos foram lançados tarde).

De seguida deixamos uma lista das principais obras de Guimarães, a Capital Europeia da Cultura e o estado em que se encontram actualmente.
- Plataforma da Artes (valor: 16.632.030 euros) - Esta obra está em curso e está a cargo da empresa bracarense Casais - Engenharia e Construção, S.A. e é a mais emblemática da Capital Europeia da Cultura. É também a mais cara. Relembramos que o concurso público da Plataforma das Artes foi fértil em polémica. Aqui demos conta da polémica na fase de prévia qualificação e da polémica decisão final de adjudicação. A sua conclusão está agendada para Junho de 2012.
Plataforma das Artes e Criatividade
- CAMPURBIS - compreende a implantação do Instituto de Design, do Centro Avançado de Formação Pós-Graduada e do Centro de Ciência Viva - (valor: 7.916.516 euros mais 4.102.500 euros para a intervenção na via pública) - Obras em curso, a conclusão está prevista para algures entre o primeiro trimestre de 2012 e Maio. A obra do Instituto do Design está a cargo da DST e da CARI; a do Centro Avançado de Formação Pós-Graduada está a cargo da António Campos Silva - ACS, após desistência a meio da obra por parte da Guimar. Para saber mais sobre o CAMPURBIS veja a apresentação do projecto.
Centro Avançado de Formação Pós-Graduada
- Intervenção no Largo do Toural e na Alameda São Dâmaso, no Largo República do Brasil e na Rua Santo António (valor: 7.006.715 euros) - Obras já concluídas pela Alberto Couto Alves - ACA.
Largo do Toural
- Museu Casa da Memória (valor: 4.500.000 euros) - Obra em curso a cargo, à semelhança da Plataforma das Artes, da Casais - Engenharia e Construção, S.A.
Casa da Memória
- Extensão do Museu Alberto Sampaio (valor: 2.874.604 euros) - Obra em curso a ser executada pela António Campos Silva - ACS.
Extensão do Museu Alberto Sampaio
- Intervenção no Monte Latito e Campo de S. Mamede (valor: 1.235.394 euros) - As obras ainda não começaram, estarão a cargo da M. Couto Alves - MCA - e a conclusão está agendada para Julho do presente ano.
Monte Latito

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 17 de Janeiro de 2012

Conclusões do LNEC sobre a estabilidade da bancada do Estádio da Luz

Ainda mexe o último Benfica-Sporting, mais concretamente os incidentes que ocorreram no final do jogo com os adeptos do Sporting a incendiarem parte da bancada do Benfica. De modo a avaliar os estragos estruturais que o incêndio provocou na bancada o Benfica solicitou no dia 29 de Novembro uma inspecção por parte do LNEC. No dia 30 foi efectuada uma primeira visita pelo director do departamento de materiais do LNEC, o Engenheiro Arlindo Gonçalves, tendo posteriormente também se deslocado ao estádio da Luz especialistas nas áreas de betão, materiais metálicos e estruturas.

O relatório preliminar do LNEC afirma que o incêndio provocou danos na bancada em betão armado e na cobertura. No que diz respeito à cobertura será necessário substituir a mesma numa área que pode ser superior a 200 metros quadrados devido “à incineração de componentes orgânicos, à fusão localizada do alumínio e à degradação generalizada do revestimento da chapa de aço na zona de incêndio”. A estabilidade da cobertura não terá ficado comprometida a não ser num elemento de contraventamento.

Já o betão armado da bancada ficou “afectado em profundidade na zona de incêndio, tendo ocorrido não só destacamento superficial, mas perda de propriedades mecânicas em profundidade, pelo que será necessário proceder à substituição ou reparação profunda de nove vigas da bancada”.
O Benfica deverá avançar para a realização das obras necessárias com o correspondente pedido de indemnização ao Sporting por danos directos e indirectos. O Correio da Manhã avançou com a notícia de que o Benfica vai pedir 500 mil euros de indemnização.

Ler o resto do artigo >>

segunda-feira, 16 de Janeiro de 2012

Projecto da UrbaClérigos: Investimento de seis milhões de euros requalifica baixa do Porto

A primeira fase das obras do Passeio dos Clérigos, o novo projecto comercial e de lazer que está a nascer na Praça de Lisboa, no Porto, já está concluída. Prontas as obras de estrutura, a UrbaClérigos – promotor do empreendimento – avança agora para a próxima etapa, prevendo inaugurar o espaço em Junho deste ano. O espaço de restauração terá assinatura “by Shis”.

Com um investimento de cerca de seis milhões de euros e uma área bruta locável de 3600 metros quadrados, o projecto, que resulta da reconversão de um espaço localizado numa zona privilegiada da baixa da cidade que se encontrava em adiantado estado de degradação, permitirá incutir uma nova dinâmica à histórica zona dos Clérigos, através de uma oferta comercial e de lazer completamente inovadora.
O “Passeio dos Clérigos” surgirá com uma arquitetura moderna e arrojada, que aposta num conceito de comércio de rua e privilegia a abertura do espaço à cidade. Para isso, está a ser criada uma nova e única passagem, idealizada como rua comercial pedonal a céu aberto, que oferece sombra ou abrigo, com o objetivo de assegurar um maior conforto aos clientes e transeuntes. A nova rua que nascerá no Porto ligará a Livraria Lello à Torre dos Clérigos.

Para além da profunda requalificação do parque de estacionamento subterrâneo, o projecto prevê ainda uma inovadora área ajardinada com cerca de 4.500 metros quadrados, que permitirá ultrapassar a lacuna de oferta de espaços verdes na baixa portuense. Pretende-se, por isso, que o novo espaço seja também um ponto de encontro, de lazer e de bem-estar para os portuenses, visitantes e turistas.
Em termos de mix comercial, o Passeio dos Clérigos inclui dez lojas, uma âncora de restauração já contratualizada com o conhecido espaço Shis e um café. As restantes oito terão ofertas de moda e de lazer. A UrbaClérigos já está em fase de comercialização dos espaços comerciais, que tornarão o “Passeio dos Clérigos” no novo pólo de atratividade e de referência numa das mais movimentadas zonas do centro histórico do Porto.

Com assinatura do gabinete de arquitetura balonas menano e projecto de engenharia da AFA Consult, o “Passeio dos Clérigos”, cuja responsabilidade de construção pertence à Rodrigues & Névoa, é um projeto imobiliário que resulta de uma parceria entre a John Neild & Associados e a UrbaClérigos, esta última pertencente à Bragaparques. Os operadores interessados em integrar o projeto devem canalizar os contactos através do sítio www.passeiodosclerigos.com.

Ler o resto do artigo >>

domingo, 15 de Janeiro de 2012

ANA rescinde contrato no valor de 38 milhões de euros com a Edifer

A Edifer volta a ser notícia, desta feita por a ANA ter rescindido com a construtora o contrato para ampliação do aeroporto da Portela. As obras de ampliação, iniciadas em 2006, ascendiam a um valor total de 38 milhões de euros e permitirão aumentar a capacidade do aeroporto para 16 milhões de passageiros por ano e aumentar a capacidade da pinta de 36 para 40 movimentos por hora. Em declarações à Agência Lusa uma fonte da ANA confirmou a rescisão do contrato, sem no entanto adiantar os motivos dessa decisão. Até ao momento ainda não é conhecida a reacção da Edifer, sendo previsível que a mesma surja nas próximas horas.
Recorde-se que esta semana a Edifer já tinha sido notícia, mas dessa feita por retomar as obras do novo Hospital da Guarda, que realiza em consórcio com a Hagen, após a administração do Hospital ter saldado cerca de 50% da dívida, mais concretamente 6,4 milhões de euros.

No que diz respeito à ANA Aeroportos de Portugal foi também noticiado este mês no Engenharia e Construção o contrato efectuado com a Britalar para a construção do novo hotel do Aeroporto de Lisboa e das acessibilidades à estação do metro.

Ler o resto do artigo >>

sexta-feira, 13 de Janeiro de 2012

Retomadas obras do novo Hospital da Guarda

Foram retomadas as obras do novo Hospital da Guarda após ter sido paga parte da dívida que o dono de obra tinha com o consórcio construtor constituído pela Edifer e pela Hagen. Recorde-se que as obras estavam paradas desde a primeira quinzena de Dezembro, paragem essa que foi interrompida ontem, dia 12. Foi efectuado o pagamento de 6,4 milhões de euros, ou seja, pouco mais de metade da dívida que ascendia a 12 milhões de euros. A decisão de pagar parte da dívida foi tomada já após a mudança na administração, agora liderada pela social-democrata Ana Manso. Neste momento o consórcio Edifer/Hagen já mobilizou 70 por cento da capacidade do estaleiro e tem em obra já mais de 100 operários.

A conclusão do novo edifício do Hospital da Guarda ainda está sem data definida. A construção do novo edifício corresponde à primeira fase da empreitada de ampliação e requalificação do Hospital da Guarda, fase essa orçada em 45 milhões de euros e tinha uma estimativa inicial para ser concluída em Agosto de 2012, prazo que poderá estar comprometido devido à paragem que referimos. Este edifício terá quatro pisos e uma área de construção de 48600 metros quadrados.

Após a construção do novo edifício será iniciada a segunda fase da empreitada, no valor de 59 milhões de euros, que consiste na requalificação dos dois pavilhões existentes, com especial destaque para um deles que é já um edifício centenário.

Ler o resto do artigo >>

Metodologia de qualificação de edifícios – aplicação a operações de reabilitação

O actual panorama da construção civil Portuguesa começa a atribuir às operações de reabilitação a importância já existente em vários países Europeus. Dentro do sector da construção, a actividade tende a deslocar-se, cada vez mais, da construção nova para a manutenção e reabilitação das construções existentes, o que tem enormes vantagens para a sociedade e para o país, em termos económicos, sociais, ambientais e culturais. Mas, ao contrário de um edifício novo, em que basta conhecer as características do terreno onde se vai edificar, as intervenções de manutenção ou reabilitação pressupõem um conhecimento, mais ou menos profundo, das próprias construções existentes.

Essa necessidade de recolha de informação deu origem a um novo segmento de actividade, dentro do sector da construção, que se ocupa do levantamento, caracterização de edifícios e estruturas correntes, controlo de qualidade da sua construção ou das intervenções neles realizadas e diagnóstico das anomalias por eles apresentadas.

Em 2008, no âmbito de um projecto de investigação realizado na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto, foi desenvolvida uma metodologia de Qualificação de Edifícios aplicada a operações de reabilitação realizado pela Eng.ª Aline Floret, com a orientação do Eng.º Jorge Moreira da Costa.

Nesta primeira fase foi desenvolvido um método de avaliação do estado de conservação dos edifícios, baseado, principalmente, nos métodos “Bilan Patrimoine Habitat”, Método de Avaliação do Estado de Conservação de Imóveis – MAEC e Método de Avaliação da Qualidade de Projectos de Edifícios de Habitação – MCFEUP.

O Método de Avaliação de Qualidade de Edifícios Aplicado à Reabilitação propõe um conjunto de procedimentos, definidos a partir de uma hierarquia lógica de objectivos a cumprir, que permite estabelecer uma distinção de nível qualitativo entre diversas soluções apresentadas com base na verificação concreta de determinadas circunstâncias. O resultado final é apresentado sob a forma de um Perfil de Qualidade. Este perfil fornece informações que poderão servir de base aos projectos de reabilitação, auxiliando, assim, na determinação das intervenções posteriores necessárias.

Em 2011, devido a um protocolo entre a FEUP e a PortoVivo SRU, e com a colaboração da empresa N40º-W8º, Lda e do gabinete Floret Arquitectura, foi possível avaliar a utilização e importância deste método. Nesta primeira fase foram avaliados cerca de dez edifícios no centro histórico do Porto. Juntamente com os alunos do Prof. Rui Calejo, do 5ºano da disciplina de Manutenção e Reabilitação de Edifícios, foram realizadas vistorias aos edifícios utilizando a metodologia. Neste momento encontra-se em fase de análise de resultados. No final, pretende-se criar uma aplicação informática para a utilização rápida e pratica da metodologia.

A necessidade de criar uma metodologia que auxilie o perito na avaliação do estado de conservação do edifício é cada vez mais urgente e necessária.

Para mais informações acerca do projecto contacte-nos através da página http://n40w8.wordpress.com/ ou www.facebook.com/n40w8.

---
Artigo escrito por Aline Floret.

Ler o resto do artigo >>

quinta-feira, 12 de Janeiro de 2012

Comparação de soluções de condicionamento térmico em edifícios de construção tradicional Mediterrânica e o RCCTE

Este relatório enumera e compara soluções de condicionamento térmico em edifícios de construção tradicional, localizados em quatro países diferentes da bacia Mediterrânica. Procuraram-se pontos de concordância e discordância entre as soluções adoptadas e discute a sua pertinência num contexto de construção sustentável. Comparam-se essas soluções com medidas propostas pela legislação em vigor em Portugal, nomeadamente o Regulamento das Características de Comportamento Térmico de Edifícios (RCCTE).

INTRODUÇÃO
A construção tradicional desenvolveu-se ao longo de milhares de anos, através de processos de experimentação empírica, com uso de materiais e recurso abundantes ou facilmente acessíveis no local ou proximidade do local de construção, recorrendo a bom senso e observação dos fenómenos climatéricos e do comportamento dos materiais. Em países de clima temperado, com Invernos pouco rigorosos e Verões amenos, essas soluções são um exemplo de construção sustentável e do aproveitamento passivo dos agentes climáticos.

Até há poucas décadas, o comportamento térmico dos edifícios era conseguido à custa de materiais, processos construtivos simples e geometria da construção, sem outro consumo energético, como se mantém em países subdesenvolvidos ou de desenvolvimento ainda muito precoce. Aí, o nível de conforto é mais relativo, flexível, cultural, não se esperando que, durante todo o ano, os edifícios se mantenham a temperaturas anormais para a época. É sim razoável esperar que, em tempo quente, o interior do edifício esteja mais fresco que o ambiente exterior,circulando uma brisa que promova o arrefecimento, e que, durante o tempo frio, a temperatura ambiente seja superior à do ambiente exterior, sem correntes de ar, com humidade moderada, para uma respiração confortável e sensação de bem estar.

Para apresentação das soluções consideradas neste estudo, e na impossibilidade de deslocação aos diversos locais de estudo, serão tidas em conta informações de outros estudos e artigos científicos de referência. O relatório está dividido em secções de caracterização da zona climática, soluções construtivas de diversas zonas e conclusões. São anexadas tabelas detalhando as soluções abaixo descritas, bem como fotos elucidativas de algumas das situações observadas. Não se pode considerar informação generalizada, mas sim tipificada em determinadas características de edifícios de construção tradicional.

Artigo técnico completo em PDF: Clicar aqui para fazer o DOWNLOAD

Autora do artigo técnico: Margarida Fernandes Ruivaco

---
Artigo escrito por Margarida Fernandes Ruivaco.

Ler o resto do artigo >>

Como os chineses construíram um hotel de 30 andares em 15 dias

No final de 2010 muita gente ficou espantada com a notícia da construção de um hotel de 15 andares em 6 dias na China. Quem acompanhou as discussões que surgiram na altura lembra-se certamente de muita gente afirmar que isso era impossível. Pois bem, os chineses não se ficaram por este feito, e agora construíram um hotel de 30 andares (sim, 30) em 15 dias (isso mesmo, 15). O Ark Hotel, localizado na cidade chinesa de Dongting Lake, na província de Hunan, foi executado em estrutura metálica pré-fabricada, todos os pavimentos já vieram prontos para o estaleiro da obra, inclusive com as instalações hidráulicas e eléctricas, sendo por isso apenas necessário a sua montagem em obra. As fundações do edifício são do tipo indirecto, nomeadamente estacas cravadas.

Para quem põe em causa a segurança do edifício, a construtora responde que este edifício é cinco vezes mais seguro que os prédios comuns, estando preparado para resistir a sismos de grau 9 na escala de Richter. A construtora destaca ainda a economia de energia que o prédio possibilita pelo facto de ter janelas que protegem contra a insolação e um sistema de filtragem tripla de ar. A qualidade acústica é outro dos pontos garantidos pela construtora.

Destaca-se ainda que esta obra executada pela Broad Group, construtora chinesa, foi concluída sem lesões nos seus trabalhadores. De seguida pode ver imagens e um vídeo com toda a construção do Ark Hotel na China...

GALERIA DE IMAGENS
O terreno onde após alguns dias deste momento surgiu um hotel de 30 andares acabado.
As peças pré-fabricadas a chegarem à obra...
Os operários em acção na construção do hotel.
E finalmente uma imagem do aspecto final de um quarto do Ark Hotel.

VÍDEO
Veja de seguida o vídeo que documenta a construção do Ark Hotel de 30 andares em apenas 15 dias:

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 11 de Janeiro de 2012

Preparar, Planear e Produzir

Para os engenheiros civis estes são os conceitos fundamentais para o sucesso na gestão de qualquer empreitada, devendo ser transversais às economias e aos costumes das sociedades.

Actualmente e devido às exigências de mercado os prazos para execução de obras e os preços contratualizados têm margens cada vez menores, em contrapartida a qualidade de execução tornou-se a imagem de marca para qualquer empresa que queira ter sucesso, pelo que uma eficaz e bem coordenada gestão é fundamental para atingir os objectivos propostos.

Uma preparação cronológica do trabalho, bem estudada, constituí um processo de aumentar a produtividade, na medida em que contribui para dar uma maior rentabilidade aos meios de trabalho da empresa e assegurar a continuidade e melhoria dos seus recursos.

Cada actividade para se realizar exige consumo de tempo e de recursos. Estas as duas variáveis são fundamentais na elaboração do planeamento de uma obra, uma correcta gestão do tempo de execução, prevendo o máximo de inconvenientes que poderão ocorrer, o ajustamento das margens livres das actividades de uma forma realista, a particular atenção pelas actividades críticas (as pertencentes ao caminho critico), uma liderança determinada, capaz de incutir o sentido de equipa, garantindo que cada interveniente sabe o que deve fazer, quais são as suas responsabilidades e os limites do seu campo de acção e que motive os recursos que tem ao seu dispor garantirão o cumprimento do prazo de execução da obra e das margens de lucro orçamentadas.

A gestão de obra não é uma ciência exacta, exige-se que seja feita de forma seria, ou seja, executada com o firme propósito de acertar e de tirar ensinamentos em todas as circunstâncias.

---
Artigo escrito por João Paulo Abrantes.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 10 de Janeiro de 2012

Gstar CAD 2012 - Uma alternativa ao Auto CAD

Na área da engenharia civil e da arquitectura há muita procura de alternativa aos softwares mais habituais e que dominam o mercado, seja por causa do preço, seja por vontade de perceber se as alternativas dão mais potencial ao trabalho desenvolvido. No que diz respeito ao desenho assistido por computador toda gente da área da engenharia civil e da arquitectura conhece o Auto CAD e todos, mais cedo ou mais tarde, já o usaram. A questão é, quantos conhecem alternativas ao Auto CAD? É neste contexto que vos vamos apresentar o Gstar CAD 2012 - Software de desenho 2D/3D que surge agora com uma nova versão...

Entre as principais funcionalidades do Gstar CAD 2012 destacam-se:

- Suporte de blocos dinâmicos
Os blocos dinâmicos são altamente compatíveis com os criados no AutoCAD®. Os ficheiros *.DWG que contêm blocos dinâmicos podem ser abertos editados de igual modo no GstarCAD 2012 ou AutoCAD®, sem perda de parâmetros, estados de visibilidade ou acções. A compatibilidade com ficheiros desenvolvidos no AutoCAD® foi assim melhorada.

- Uma aplicação desenvolvida para iPad e iPhone poderosa e rápida na leitura e edição de desenhos
A principal diferença entre o GstarCAD MC e outras apps é que os utilizadores não necessitam de aceder aos seus desenhos nos seus dispositivos móveis através de servidores. Conseguindo maior velocidade, performance e estabilidade na visualização, criação e edição de desenhos.

- Relação Biderecional entre o desenho e tabelas de excel
Que permitem a contagem medição de entidades do seu desenho sendo atualizadas em tempo real.
Mas existem outros aspectos a ter em conta na altura de analisar este software como uma alternativa ao Auto CAD, nomeadamente:

Compatibilidade de Ficheiros DWG
No GstarCAD os ficheiros são criados e gravados no formato DWG sem recurso a qualquer conversão, possibilitando uma comunicação eficaz e sem perda de informação com os seus colegas e clientes. O GstarCAD permite abrir e editar desenhos criados noutros softwares que gravem no formato DWG ou DXF desde as versões R12 à 2012, ou seja, qualquer versão, e ainda, gravar os seus desenhos em ficheiros DWG/DXF nas versões R12 à 2010.

Compatibilidade Genérica de Ficheiros
Além da compatibilidade de ficheiros dwg apresenta também compatibilidade de ficheiros de tipos de linhas (*.lin), tipos de tramas (*.pat), configuração de menus (*.mnu, *.mns, *.cui), tipos de letra SHX, slides (*.sld), unidades (*.unt), personalização de comandos (*.pgp), rotinas criadas em AutoLisp, Vlisp, ADS, ou VBA (*.fas, *.vlx, *.lisp, *.vbi, *.dll, *.drx, *.grx)

Exportação / Publicação de Ficheiros
Poderá publicar/exportar os desenhos num só ficheiro DWF ou PDF, para uma colaboração rápida e segura (E-Transmit).

Familiaridade da Interface
O ambiente de utilização é muito semelhante ao software líder de mercado, desde a organização dos menus, comandos e janelas de introdução dados como a janela de propriedades, layers, tramas, design center, plotagens, etc. A sua interface moderna e intuitiva satisfará novos e antigos utilizadores garantindo uma adaptação instantânea

Separadores para Múltiplos Desenhos
O sistema MDI (Multi Document Interface) permite ter aberto vários desenhos simultaneamente. No GstarCAD cada desenho aberto esta num separador situado antes dos menus. Os separadores são coloridos para uma fácil identificação.

Linha de Comandos
Similar a outros softwares de CAD, a linha de comandos está presente no GstarCAD. Com a linha de comandos poderá aceder a comandos através de atalhos e carregar aplicações. Se preferir pressione F12 para as opções da linha de comandos aparecerem sobre o rato. Caso seja utilizador de outros software de CAD e tiver personalizado os seus poderá importar o ficheiro de Command Alias(*.pgp).

Múltiplos Layouts
Possibilita a criação de múltiplos layouts
que o ajudam optimizando a impressão
e publicação de ficheiros.

Janela de Propriedades
Para uma rápida inspecção e edição de objectos seleccionados e das suas propriedades utilize a janela de propriedades.

Estilos de Cotagem
Poderá criar e editar estilos de cotagem ajustando cada estilo às suas necessidades. Os estilos definidos em ficheiros DWG criados por outros programas serão automática reconhecidos não havendo alteração de estilo.

Gestão de Layers Optimizada
O Gestor de Layers está mais amigo do utilizador. Agora é mais simples fazer filtros estruturas, editar, adicionar e renomear assim como alterar propriedades das layeres. Dispõe também de funcionalidades como LayerP para anular (undo) as últimas alterações realizadas nas layer, o LayerWalk para que à medidad que muda de layer ver os objectos da layer em destaque, LayerIsolate para apenas ver no desenho a layer seleccionada e muito mais.

Design Center
No Design Center além de explorar ficheiros DWG, e visualizar blocos e imagens, pode facilmente copiar entre desenhos ou inserir directamente no desenho activo Layers, Blocos, Tipos de linha, Tipos de tramas, Estilos de Cotagem, Imagens. E ainda poderá arrastar blocos directamente para os Tool Palettes.

Tool Palette
Utilize os Tool Palettes para maximizar a sua produtividade. O GstarCAD permite que arraste comandos da Lista de Comandos para uma Tool Palette e os Blocos do Design Center. Garantindo, assim, um acesso rápido às ferramentas que mais utiliza.

Express Tools
O GstarCAD apresenta os Express Tools. Os Express Tools são ferramentas que permitem grande aumento de productividade. O GstarCAD dispões de Express Tools para Layers, Blocks, Cotagem, Selecções, Tabelas,Textos, Impressão e muito mais.

Aerial View
O Aerial View oferece uma forma mais eficiente de fazer Pan e Zoom, revelando-se uma ferramenta essencial para a navegação em desenhos de grande dimensão.

Destaques de Objectos ao Mover o Rato
De modo a prover uma utilização mais interactiva, ao mover o rato sobre qualquer entidade no desenho, se o objecto for seleccionável, este será destacado.

Edição de XRef’s Mais Ágil
Trabalhe com referências externas (XREFs) um qualquer ficheiro dwg, criadas pelo GstarCAD ou outro programa. Poderá ainda, editar a referência externa sem necessidade de abrir o ficheiro original.

Imagens Raster
Poderá inserir imagens em ficheiros dos do tipo BMP, JPEG, GIF, TIF, PNG, etc. O GstarCAD apresenta um menu dedicado ao tratamento de imagens suportando transparências, cropping (corte das imagens).

Gestor de XRef e de Imagens Raster
Utilize ao gestor de XRefs e de Imagens Raster e mantenha os desenhos sempre organizados.

Adaptação de blocos à Escala e Unidades do Desenho
Se as unidades do block e do desenho não são as mesmas com o Insertion Scale o bloco será dimensionado para compatibilização.

Criação e Edição de Tabelas
Crie tabelas no GstarCAD inserido os dados na tabela utilizando os muito úteis Express Tools Forms. Com estas ferramentas vai poder criar tabelas, inserir e remover linhas e colunas, unir de células, editar a largura de colunas e altura de linhas, inserir e editar os textos das células.

Sincronização Excel - AutoXLSTable
Esta ferramenta, também comercializada como Plug-in para o AutoCAD, permite a criação e edição de tabelas a partir de um ficheiro de Excel. No excel, terá ferramentas instaladas pela GstarCAD, para quantificar blocos do desenho, calcular dimensões de e áreas. Os dados da tabela serão alterados de acordo com as alterações do desenho.

Cotagens Associativas
Com as cotas associativas poderá alterar o seu desenho sem alterar sem se preocupar com as cotas, estando associadas à geometrias serão automaticamente actualizadas.

Cotagem Especiais – DimSpace, DimJogged e Dim Inspect
Novas cotagens foram introduzidas no GstarCAD. O DimSpace ajusta a distancia e alinhamento entre dimensões seleccionadas, quer sejam lineares ou angulares. O DimJogged cria uma dimensão de raio quando o centro do arco está fora do layout, podendo ser especificado uma origem mais conveniente. O DimInspect adiciona informação de inspecção à dimensão, permitindo comunicar as tolerâncias e a frequência da verificação.

Dimension Break
Com o Dimension Break melhora a leitura dos seus desenhos criando interrupções, quebras, nas linhas de cotagem, evitando ser confundidas com linhas de desenho.

Arranjo Automático de Desenhos a Imprimir
Muitos desenhos podem ser organizados de modo a promover uma impressão mais rápida e com menos consumo de papel. A ferramenta Arrange Frame Automatically desenvolver os cálculos e posiciona os desenhos na posição óptima.

Protecção de Ficheiros – Drawing Encryption
Ao salvando ficheiros, poderá proteger o ficheiro colocando uma password no GstarCAD, garantindo a segurança dos desenhos dos seus clientes.

Overkill
Com o comando Overkill pode eliminar ou unir, rapidamente, linhas, arcos e blocos sobrepostas limpando o modelo de geometria não desejada ou introduzida por lapso.

Edição no Gráfico de Textos de uma linha
O novo editor de texto permite que edite os textos no gráfico assegurando que o texto no desenho tem o mesmo aspecto de quando estava a editar. O utilizador poderá clicar no texto para editar, inserir Fields, editar num dado UCS.

Textos Dinâmicos – Fields (Campos)
Crie textos multi-linha com Fields, que poderão ser automaticamente actualizados quando o valor do Field muda. Os Fields poderam ser, entre outrous, expressões, informação de impressão, informação do documento, data e hora.

Comparação de Desenhos / Revisões
Com a ferramenta Drawing Compare vai poder verificar a mais pequena diferença entre desenhos semelhantes. Seleccione dois ficheiros e o GstarCAD criará um terceiro com uma layer de diferença, lidando mesmo com objectos complexos como blocos dentro de blocos, textos multi-linha, cotagens e sólidos.

Selecções por Propriedades no Express Tools
As ferramentes de selecção do Express Tools oferecem uma forma rápida de seleccionar objectos por tipo, nome de bloco, layer, cor, combinações entre outras combinações.

Flex connect
O Flex connect é uma ferramente de extensão de linhas sem que necessariamente estas se cruzem, isto é, extende até uma à continuidade imaginária de uma linha.

Cross Break Soon
Muitas vezes é necessário interromper muitas linhas no desenho, tornando-se num trabalho muito demorado se feito manualmente. O Cross Break Soon permite interromper ou quebrar linhas que se sobreponham umas às outras.

Shade e Hide no Layout Space
Com as opções de shaded ploting, é possível escolher diversos estilos de shadded: As Diplayed, Wireframe, Hidden ou mesmo Rendered.

Geração automática de vistas e cortes - Solddraw, Solview Solprof
Com estas novas funcionalidades poderá criar automaticamente layout’s com plantas, alçados, cortes ou perfis a partir de modelos 3D. São geradas as linhas visíveis e invisíveis e as linhas de corte.

Sweep
Crie sólidos ou superfícies a partir de um caminho 2D ou 3D de um objecto 2D, isto é, o extrude possibilita o extrude, ou apenas a criação de superfícies ao longo de uma linha 2D ou 3D.

UCS no Plano de uma Superfície
Especifique a superfície de um sólido 3D com o qual queria alinhar o UCS, e trabalhe directamente na superfície. Poderá seleccionar a superfície clicando no contorno da superfície que automaticamente ficará destacado à passagem do rato.

3D Rendering
Utilizando propriedades como materiais, luzes e imagens de fundo cria imagens fotorrealistas dos seus modelos 3D.

Extensas API’s de Programação e Editores
No GstarCAD dispões de ferramentas de gravação das acções efectuadas à semelhanças das macros standard em Excel. Possibilidade de carregar macros e Scripts. Dispõe de um editor de Visual Basic o Microsoft VBA(Visual Basic for Applications) - um familiar editor a vária aplicações da Microsoft, possibilita o uso do Automação ActiveX para a criação de aplicações.
Dispõe, ainda, do Editor de VisualLisp (Gstar Visual LISP IDE) criado pela GstarcCAD, permitindo programar, testar e fazer debug de forma ágil e intuitiva.
Já foram desenvolvidas algumas aplicações para o GstarCAD, comerciais e livres, que promovem a eficiência dos projectistas.

Fácil Transplantação de Rotinas Criadas
Poderá carregar directamente plugins VLisp (*.vlx, *.fas) desenvolvidos no autocad sem necessidade de qualquer alteração. A API do GstarCAD é semelhante a outras plataformas sendo em caso de transplantação apenas renomear o object principal para gcad. A equipa de suporte da GstarCAD poderá ajuda-lo a fazer a transplantação de aplicações.

Para mais informações sobre o Gstar CAD 2012 clique aqui.

Ler o resto do artigo >>

Missão empresarial em São Paulo

A AICCOPN está a promover uma missão empresarial a realizar em São Paulo, Brasil, a realizar no fim de Março de 2012. Numa altura em que muitas empresas portuguesas na área da construção e engenharia civil procuram a sua tábua de salvação no estrangeiro, o Brasil surge como destino lógico, não só pela facilidade da língua mas também porque é conhecido o grande investimento económico previsto para os próximos anos. Nesse sentido muitos engenheiros civis e arquitectos têm-se antecipado à ida das empresas portuguesas para o Brasil e tem procurado mesmo oportunidades de emprego concretas naquele país. Assim, os empresários portugueses que procuram investir no estrangeiro e que olham para o Brasil como uma séria possibilidade devem considerar esta missão empresarial como um bom ponto de partida, ou pelo menos de experimentação. De seguida apresenta-se a missão empresarial a São Paulo.

OBJECTIVOS DA MISSÃO
A presença da sua empresa na Missão Empresarial da AICCOPN, permitirá estabelecer contactos com as instituições mais relevantes para o desenvolvimento da actividade no Mercado Brasileiro da Construção e do Imobiliário, identificar oportunidades de negócio, conhecer empresas e empresários de referênca no sector, obter informação sobre condições de funcionamento e requisitos legais deste mercado.

PROGRAMA DA MISSÃO
- 27 de Março -
Viagem com Partida do Porto e voo direto para São Paulo

- 28 de Março -
Seminário "O mercado da Construção no Brasil"
Bolsa de Contatos

- 29 de Março -
Bolsa de Contatos
Visita a Obras / Projetos de Interesse

- 30 de Março -
Workshop "Como fazer negócios no Brasil"
Bolsa de Contatos
Jantar da Missão

- 31 de Março -
Bolsa de Contatos
Viagem de Regresso - (chegada ao Porto dia 1 de Abril, às 8h45m)

APOIO INSTITUCIONAL
A Missão será liderada pelo Presidente da AICCOPN e as empresas contarão com o apoio permanente de técnicos da Associação e da Marketacces - Consultants Advisors in International Business.

Para mais informações fica o contacto:
Sónia Oliveira - NAI - Núcleo de Apoio à Internacionalização
Tel. 223402200

Pode encontrar a ficha de inscrição no seguinte link.

Ler o resto do artigo >>

Soares da Costa pode despedir mais trabalhadores

O secretário de estado do emprego Pedro Martins autorizou a Soares da Costa a exceder o limite de despedimentos previsto na lei. Recorde-se que a Soares da Costa terá já excedido o limite de rescisões por mútuo acordo permitidas pela lei para um intervalo de três anos, tendo inclusive no último ano e meio rescindido com mais de 100 trabalhadores, o que a levou a formular um pedido especial ao ministério da economia. As empresas que empreguem mais de 250 trabalhadores, só podem rescindir por mutuo acordo a cada três anos até 20% do quadro de pessoal, com um limite máximo de 80 trabalhadores, segundo o Decreto-Lei 220/2006. A Soares da Costa alega que esta reestruturação é vital para a sua sobrevivência. Os sindicatos apontam para mais 900 trabalhadores com o seu lugar em risco.

Ler o resto do artigo >>

domingo, 8 de Janeiro de 2012

Index Newspaper

Existem já no mercado várias revistas especializadas dedicadas à arquitectura, entre elas o próprio JA – o Jornal dos Arquitectos publicado trimestralmente pela Ordem dos Arquitectos – e uma série de outros títulos mais ou menos originais, de cariz mais técnico ou conceptual, mais dedicadas a nomes desconhecidos ou aos consagrados, mais preenchidas por imagens, por texto, desenhos ou publicidade… Este pode ser um público restrito, mas é sem dúvida ávido de imagens e de informação.

No passado Sábado foi lançada uma nova revista de arquitectura: a Index Newspaper, que pretende afirmar-se pela diferença, começando pelo carácter informal das suas páginas, impressas em papel de jornal – facto que evidencia a primazia do conteúdo sobre a embalagem e que permite que a revista chegue às bancas ao razoável preço de 3,5€.

Amélia Brandão Costa e Rodrigo da Costa Lima, dois arquitectos do Porto, juntaram-se para dar forma a esta publicação bilingue trimestral que ambiciona por toda a gente a falar de arquitectura. Cada número apresenta-nos um ilustrador diferente para a capa, uma entrevista, um atelier, um conjunto de projectos e um ensaio. Cada lançamento servirá também de pretexto a um evento onde se pretende falar sobre arquitectura em espaços pouco convencionais.
O salão de bilhares do Café Ceuta, no Porto, nunca se imaginara tão cheio de arquitectos e estudantes de arquitectura. Este foi o espaço escolhido para o lançamento do primeiro número da revista e no passado Sábado, dia 7, a partir das 14h, as mesas de bilhar foram transformadas em espaços de exposição e foi assim, num ambiente informal a meia-luz, que a conversa com o arquitecto suíço Valerio Olgiati, anunciada para as 18h, se foi desenrolando. O som não chegava límpido a todos os cantos da sala, mas as questões pertinentes foram-se sucedendo a bom ritmo.
Os editores não escondem a paixão e o gosto pessoal que os move em direcção a este novo desafio, que lhes permite distanciarem-se do trabalho de gabinete em direcção a novas abordagens à própria arquitectura.

É caso para dizer que, mesmo entre as várias publicações especializadas em arquitectura já existentes, há sempre espaço para novas ideias – venham elas!

[créditos das imagens: Ana Pina]

---
Artigo escrito por Ana Pina, nascida no Porto em 1980. Formada em arquitectura pela FAUP desde 2004, divide agora as suas paixões entre a ilustração e a joalharia contemporânea. Colabora com o Engenharia e Construção desde Setembro de 2011.

Ler o resto do artigo >>

quarta-feira, 4 de Janeiro de 2012

Prédio de Barcelos em perigo de derrocada?

Em Dezembro de 2008 os moradores do prédio panorâmico em Barcelos receberam o aviso da protecção civil para abandonar o prédio pois um estudo do Departamento de Engenharia Civil da Universidade do Minho apontava para a possível derrocada do mesmo. Entretanto com a mudança da presidência da Câmara Municipal de Barcelos, o novo presidente, Miguel Costa Gomes, decidiu encomendar outro estudo, desta feita aos Professores Joaquim Figueiras e Adelino Costa da Universidade do Porto. Estes indicaram que a solução preconizada pela Universidade do Minho está muito acima do necessário no que diz a custos de intervenção. Joaquim Barros, Professor Catedrático da Universidade do Minho, mantém a sua posição e garante o perigo de derrocada deste prédio. Entretanto a Câmara de Barcelos contratou uma empresa de engenharia civil para analisar este processo, a JFA Engenharia, e a mesma coloca-se ao lado da posição dos dois professores da Universidade do Porto. Veja de seguida um vídeo com a reportagem da RTP sobre este assunto.

Ler o resto do artigo >>

terça-feira, 3 de Janeiro de 2012

Britalar vai construir novo hotel do aeroporto de Lisboa e acessibilidades à estação de metro

A Britalar Engenharia (que recentemente mudou a sua identidade corporativa) foi a empresa selecionada pela ANA Aeroportos de Portugal para a construção das acessibilidades à nova estação Metro Aeroporto, uma obra integrada no plano de ampliação e modernização do metropolitano de Lisboa e estimada em cinco milhões de euros. Para além da construção dos acessos à nova estação de metropolitano, o projeto inclui também intervenções nas áreas envolventes, nomeadamente a remodelação do curbside para melhor interação com a nova estação. O objetivo é também o de que a intervenção paisagística se articule com a arquitetura do projeto, ultrapassando um conjunto de condicionantes, como a tipologia do espaço e a intensa circulação de pessoas e veículos, constituindo um fator de amenização do conjunto.

Por se tratar de um aeroporto internacional e com elevado tráfego aéreo, os trabalhos de intervenção decorrerão maioritariamente em horário noturno, exigindo uma iluminação adequada que cumpra as normas de segurança do espaço e da respetiva envolvente. A estas especificidades, juntam-se ainda um conjunto de dificuldades técnicas, sendo exemplo o da interação das gruas necessárias à execução da empreitada com o espaço aéreo, a que a BRITALAR Engenharia dará resposta através de uma intervenção cuidada e responsável.

Com conclusão prevista para Novembro de 2012, a obra será coordenada em conjunto entre a ANA, o Metropolitano de Lisboa e a BRITALAR Engenharia, no sentido de se garantir a correta compatibilização entre a nova estrutura e a existente, bem como o contínuo funcionamento do aeroporto e a segurança dos transeuntes que circulam nas imediações e no interior do mesmo.

Em simultâneo, iniciou-se a construção do novo Hotel TRYP Aeroporto, um projeto em parceria da BRITALAR Turismo e da Hoti Hotéis Portugal, empreitada adjudicada à BRITALAR Engenharia por um valor próximo dos 15 milhões de euros.
Este novo edifício, com uma área de construção global de mais de 15.000 m2, divididos por 13 pisos, trará à envolvente do Aeroporto da Portela e à cidade de Lisboa um aumento da oferta hoteleira em cerca de 170 quartos. Este Hotel, sob a insígnia TRYP, da cadeia Meliã, oferecerá também 130 lugares de estacionamento, 3 salas de conferências, restaurante e bar, piscina exterior e interior, integradas num health club & SPA.

O edifício caracteriza-se por uma elevada qualidade acústica, dada a proximidade ao aeroporto e possuirá certificação energética de classe A.

Ler o resto do artigo >>

domingo, 1 de Janeiro de 2012

Destaques de 2011 do Engenharia e Construção

Neste artigo vamos revelar quais as empresas e a personalidade que mais se destacaram no ano de 2011 para os visitantes do Engenharia e Construção. A decisão foi vossa através das respostas ao inquérito de balanço do ano que promovemos antes do Natal. Vamos distinguir a melhor construtora, a melhor empresa de fiscalização e o melhor gabinete de projectos. A nível individual vamos promover a personalidade do ano. As votações foram muito renhidas, havendo vencedores pela margem mínima. Fiquem a conhecer de seguida quem mais se destacou na construção, engenharia civil e arquitectura no ano de 2011.

CONSTRUTORA DO ANO
- Mota-Engil (não perca o artigo Mota-Engil, Teixeira Duarte e Soares da Costa entre as 50 maiores empresas de construção da Europa)

FISCALIZAÇÃO DO ANO
- VHM

GABINETE DE PROJECTOS DO ANO
- afaconsult

PERSONALIDADE DO ANO
- Souto Moura (não perca os artigos Souto Moura vence "Nobel da Arquitectura", Souto Moura vence Prémio Secil 2011 e As obras de Souto Moura)

Ler o resto do artigo >>

Os 10 artigos mais lidos de 2011

O Engenharia e Construção nasceu precisamente há um ano, no primeiro dia de 2011. Passado estes 365 dias o nosso balanço é claramente positivo. No que diz respeito a números, escrevemos 227 artigos ao longo de 12 meses. Tivemos mais de 145000 visitas, sendo que a maior parte deste número foi conseguida na segunda metade do ano. No Facebook a nossa página tem já mais de 1150 fãs, número muito bom e líder neste segmento se tivermos em conta que foi uma página que partiu dos 0 fãs, ao contrário de outras. Mas vamos ao que interessa, os artigos que maior interesse despertaram nos nossos visitantes, os 10 artigos mais lidos de 2011:

- Casas modulares: vantagens e desvantagens
- A maior barragem do mundo: A Barragem das Três Gargantas
- Praia artificial de Mangualde foi inaugurada [com fotos e vídeo]
- As melhores empresas de construção para trabalhar em Portugal
- Ftool Versão 2.12
- Insolvência da Patrícios
- Construtora NOVOPCA abre falência
- Preços de casas modulares
- Engenheiros civis portugueses com caminho aberto para trabalhar no Brasil
- Viaduto de Millau - A ponte mais alta do mundo

Ler o resto do artigo >>

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO