sexta-feira, 15 de julho de 2011

Ricardo Bak Gordon vence Prémio Ibérico de Arquitectura 2011

O arquiteto português Ricardo Bak Gordon venceu a edição deste ano do Prémio FAD de Arquitetura, considerado pelos especialistas como o mais prestigiado galardão ibérico nesta área, anunciou a Ordem dos Arquitetos.

Entregues pela Arquinfad, associação com sede em Barcelona que se dedica à promoção da Arquitetura e do Design de Interiores, os prémios FAD são atribuídos há 53 anos a obras construídas em território ibérico.

Em declarações à Lusa, o autor das ‘Casas em Santa Isabel’, construídas na Rua Saraiva Carvalho (Campo Ourique, Lisboa), escolhidas ex-aequo com um hotel em Cáceres para o FAD de Arquitetura de 2011, considerou que a atribuição deste galardão significa “uma vez mais o reconhecer da importância da arquitetura portuguesa no debate internacional”.

“No caso do edifício projetado pelo nosso atelier, é também o reconhecimento de um trabalho sobre a capacidade que a arquitetura tem em ‘resignificar’ os lugares”, acrescentou Ricardo Bak Gordon.

Por parte da Ordem dos Arquitetos, o presidente João Belo Rodeia considerou que a atribuição deste galardão a Bak Gordon é uma demonstração do “forte reconhecimento que a arquitetura portuguesa tem tido, dentro e fora de portas” e funciona igualmente como “um estímulo para os arquitetos, numa situação de crise como a que vivemos”.

João Belo Rodeia sublinhou ainda o facto de o vencedor do Prémio FAD Arquitetura 2011 ser "um arquiteto da nova geração, que tem um trabalho muito original, muito variado e que tem como denominador comum a investigação sobre a questão da criação de atmosferas muito humanizadas”.

“Não é por acaso que estas ‘Casas em Santa Isabel’ são ao mesmo tempo muito modernas e muito aprazíveis para estar”, acrescentou Belo Rodeia, frisando que este projeto tinha sido um dos escolhidos para representar Portugal na Bienal de Veneza de 2010.

Esta não foi a primeira vez que o Prémio FAD, nas suas várias vertentes, foi entregue a arquitetos portugueses. Em 1999 foi atribuído a Carrilho da Graça, pelo edifício do Pavilhão do Conhecimento – Ciência Viva, em 2005 a Eduardo Souto Moura, pelo Estádio Municipal de Braga, e em 2009 foi a vez do arquiteto Maria João Trindade, com o edifício da estação Biológica do Garducho, no Alentejo.

Ricardo Bak Gordon nasceu em Lisboa em 1967 e licenciou-se em 1990 na Faculdade de Arquitetura da Universidade Técnica de Lisboa. Frequentou igualmente a Faculdade de Arquitetura da Universidade do Porto e o Instituto Politécnico de Milão.

Autor do Pavilhão de Portugal na ExpoZaragoza 2008, do Pavilhão de Portugal na Bienal de São Paulo 2007 e do Projeto Expositivo da primeira Trienal Internacional de Arquitetura de Lisboa em 2007, Ricardo Bak Gordon é atualmente professor convidado no Mestrado Integrado em Arquitetura do Instituto Superior Técnico, em Lisboa, e na Universidad Camilo José Cela, em Madrid.

Fonte: Destak









Seja o primeiro a comentar

Enviar um comentário

  ©Template by Dicas Blogger

TOPO